30 de junho de 2016

Mais de 200 mil pessoas entregaram suas vidas a Jesus em apenas um ano, no Tibete


Em um relato mais atualizado, Handley informou que outros 62 monges budistas decidiram fazer o mesmo que seu ex-lama e agora também estão seguindo a Cristo. (Foto: Zimbio)Algo sobrenatural está acontecendo no Tibete, uma região da China, considerada como a mais alta do mundo e a casa do Monte Everest, a maior montanha da terra que está cerca de 9 mil metros acima do nível do mar.
Os tibetanos são em sua maioria, budistas, mas há também alguns muçulmanos e cristãos, de acordo com relatórios.




No ano passado, um sacerdote budista tibetano decidiu entregar sua vida a Jesus Cristo e tornou-se pastor, depois de ver o amor de Cristo, demonstrado por um grupo de missionários, que ajudaram e forneceram bens de ajuda humanitária para o povo de sua região. O apoio dos missionários chegou ao Tibet em decorrência de um grande terremoto que atingiu a região, de acordo com Joe Handley, presidente da Missão 'Asian Access', uma organização cristã busca espalhar a Palavra de Deus no sul da Ásia.

Agora, a semente do amor de Cristo tem crescido. Em um relato mais atualizado, Handley informou que outros 62 monges budistas decidiram fazer o mesmo que seu ex-lama e agora também estão seguindo a Cristo.
E isso não é tudo. "Só no ano passado, [os líderes da igreja] estão estimando-se que mais de 200.000 pessoas entregaram suas vidas a Cristo, como resultado dos trabalhos da comunidade cristã na região", diz Handley.
 
Mas o que estaria causando essa avalanche de conversões cristãs?
Handley diz que isso tudo é devido também ao trabalho dos missionário, que levam uma mensagem de esperança e cura para o povo do Tibete, após o terremoto devastador do ano passado.

"Eles não viram budistas, hindus ou outros grupos religiosos ajudando no meio dos escombros. Em vez disso, semana após semana, os seguidores de Jesus que sacrificaram o seu tempo e arriscaram suas próprias vidas para servir, se dispondo a ser as mãos e os pés de Jesus", diz ele.

A 'Asian Access' está desempenhando um papel fundamental neste movimento espiritual, por meio da formação de líderes das igrejas, com o objetivo de estabelecer o crescimento espiritual a longo prazo na região.

"A 'Asian Access' só tem o privilégio de se colocar ao lado de pastores-chave como os que investiram na vida deste sacerdote tibetano", diz Handley. "Investimos profundamente, construindo a sua capacidade para que eles possam alcançar suas comunidades".

"Deus faz coisas incríveis quando você investe nas pessoas. É possível vê-las crescendo mais profundo nEle, crescendo mais forte como líderes, aprendendo a reproduzir outros líderes e depois se espalhando pela região com os esforços de plantação de igrejas, de maneiras notáveis", acrescenta.

A 'Asian Access' está agora pedindo por orações e apoio financeiro dos cristãos em todo o mundo, para que a organização possa alimentar o movimento espiritual no sul da Ásia.

Atleta cristão ora por passageiro durante voo e comove a internet: "Ele buscou a Deus"

Na foto, Tim Tebow (de costas) ora pela vida de homem que teve problemas cardiácos durante um voo. (Imagem: Facebook)Um homem de 60 anos havia sofrido um ataque cardíaco durante o voo. Tim Tebow também deu apoio à família do homem, quando o avião pousou em Phoenix, Arizona (EUA) e esperou com eles no hospital, onde o senhor de idade acabou morrendo, posteriormente.

 

 

O ex-astro da Liga de Futebol Americano, Tim Tebow surpreendeu os passageiros de um avião que ia de Atlanta, Georgia para Phoenix, Arizona (EUA), depois que orou com a família de um homem que havia entrado em colapso durante o voo.

Em um post no Facebook - que já teve cerca de 10 mil compartilhamentos - o passageiro Richard Gotti relatou o fato. Um senhor de idade ficou inconsciente e funcionários da companhia aérea imediatamente vieram em seu auxílio.

"Então, de repente, observei um cara andando pelo corredor. Aquele cara era Tim Tebow. Ele foi até a família, enquanto eles choravam em seu ombro!", disse Gotti.

"Eu vi Tim orando por aquele homem, com toda aquela parte do avião. Ele buscou a Deus em uma situação difícil. Graças a Deus ainda temos pessoas de fé, que nos momentos de dificuldade buscam ao Senhor!".
De acordo com a People, Tebow também ajudou a família do homem com a sua bagagem, quando o avião pousou e esperou com eles no hospital, onde o indivíduo, de 60 anos, acabou morrendo mais tarde.

Um porta-voz da Delta Airlines confirmou ao jornal 'Atlanta Constitution' que tinha havido uma emergência médica a bordo do avião. Ele disse que os paramédicos acionaram o plano de saúde para garantir o passageiro recebeu atendimento imediato.
"Não podemos dizer o suficiente sobre os profissionais da Delta que cuidam de nossos clientes todos os dias e nós somos gratos aos nossos clientes, que são tantas vezes rápidos em agir com bondade e cuidar uns dos outros", acrescentou.

Outra passageira do voo, Pamela Rainey, também postou uma foto de Tebow e elogiou o seu ato de bondade.
Tebow não comentou publicamente sobre o incidente.
Cristão comprometido, Tebow é bem conhecido por sua forte declaração de fé. Em 2010, ele criou a Fundação Tim Tebow, uma organização de caridade, "com a missão de trazer fé, esperança e amor para aqueles que necessitam de um dia mais brilhante em sua hora mais escura da necessidade".

Esquerdistas tentam derrubar página de deputada evangélica no Facebook

A conversa tinha o objetivo principal falar sobre o Dia do Orgulho LGBT. (Foto: Máximo Moura/ALCE).A iniciativa foi tomada após um debate promovido pelo programa Rádio Debate, da rádio Universitária FM. A deputada dialogou frente a frente com Ari Areia, ator do monólogo onde ele derrama seu sangue sobre a imagem de Jesus crucificado.






Ativistas da classe militante LGBT querem "tirar do ar" a página da deputada Dra. Silvana Oliveira (PMDB). O motivo é o fato da parlamentar defender um projeto de lei que prevê multas e a possível impossibilidade de realizar manifestações que promovam a "satirização, ridicularização e /ou toda e qualquer outra forma de menosprezar ou vilipendiar dogmas e crenças de toda e qualquer religião”.
 
A iniciativa foi tomada após um debate promovido pelo programa Rádio Debate, da rádio Universitária FM na tarde da última quarta-feira (29). A deputada dialogou frente a frente com Ari Areia, ator do monólogo “Histórias Compartilhadas” onde ele derrama seu sangue sobre a imagem de Jesus crucificado, além de expor o símbolo religioso com cenas de sexo num mesmo cenário. Além dos dois representantes estava o psicólogo Márcio Gondim.

A conversa tinha o objetivo principal falar sobre o Dia do Orgulho LGBT, que aconteceu na última terça-feira (28). Mas, o que marcou o debate foi a discussão do projeto de lei proposto pela parlamentar. Para Silvana, serve como prova qualquer ato público que escandalize.

“Nunca, jamais, eu vou tentar macular quem quer que seja, mas as leis, o direito, estão aí para serem seguidas. Qualquer ato público que escandalize já serve legalmente e juridicamente como prova, então, uma pessoa cristã como eu – e aqui eu não citei nenhum versículo bíblico ainda, se precisar eu cito, mas não citei, estou aqui em cima do que é lei, do que é correto – se escandaliza, já virou um fato”, disse a deputada de acordo com o portal Tribuna do Ceará.

Em contrapartida, o ator declarou que a arte tem a função de provocar. “Eu acho muito problemática essa concepção de que exista uma boa arte ou uma arte real associada ao lugar do belo, do sublime, do bonito. A arte em si tem uma função essencial de provocar. E ela pode estar no lugar do belo, do sublime, mas pode estar em outro lugar, não só no teatro, mas também na música”, disse.




O debate continua acalorado e em determinado ponto, o ator questiona a atuação de Silvana como parlamentar. “O grande problema, nessa sua atuação como parlamentar, é que tanto a sua moção de repúdio, como o projeto de lei que a senhora apresentou, são baseados estritamente em posições pessoais, de credo pessoal”.

“Por que eu sou católica?”, questionou a deputada. “Não, a senhora é evangélica, mas a senhora é uma parlamentar religiosa, e a senhora usa sua religião (interrupção). Quando a senhora assumiu seu mandato de deputada, a senhora prometeu guardar a Constituição, a senhora acha que um projeto de lei como esse, que autoriza a Polícia Militar a invadir um teatro, por exemplo, interromper uma peça teatral, está respeitando a Constituição, quando a Constituição fala que o direito à liberdade de expressão é concedido à população de forma irrestrita, a senhora não acha que é absurdo esse tipo de posicionamento?”.
 
Silvana retoma a palavra: “Não existe direito absoluto quando você contraria o direito de outro, quando você contraria, viola o outro – e para isso existem as leis, para ordenar a sociedade. (…) A arte só teria essa forma de tocar se for vilipendiando, se for agredindo, se for insultando o outro? As leis estão aí, a Polícia Militar está aí, é exatamente para garantir que todas as pessoas têm direitos, deveres e valores, jamais esse projeto vai penitenciar ou vai punir se você está seguindo a regra social”, ressaltou.

Mais de 2.930 idiomas já tem acesso a Bíblia traduzida, segundo a SBU

Onze comunidades ao redor do mundo agora têm a sua primeira Bíblia na íntegra, 6 receberam o Novo Testamento e outras 11 a sua primeira porção da Bíblia. (Foto: Reuters)Apenas em 2015, foram feitas traduções para 50 idiomas, falados por quase 160 milhões de pessoas, com auxílio das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU). 

 

A Bíblia Sagrada está disponível em 2.935 idiomas, falados por 6,039 bilhões de pessoas. Apenas em 2015, foram feitas traduções para 50 idiomas, falados por quase 160 milhões de pessoas, com auxílio das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU). 

Segundo o Relatório de Traduções de 2015, 11 comunidades ao redor do mundo agora têm a sua primeira Bíblia na íntegra, 6 receberam o Novo Testamento e outras 11 a sua primeira porção da Bíblia. 

Por outro lado, ainda existem 497 milhões de pessoas que não contam com nenhuma parte da Bíblia traduzida para seu idioma, além dos 281 milhões que contam apenas com partes da Bíblia traduzidas para o idioma nativo.


O compromisso de revisar traduções existentes e fornecer novas versões resultou em 20 novas traduções e revisões feitas em 2015, além de duas edições de estudo com o potencial de alcançar mais de 127 milhões de pessoas.
 
Paralelamente, crescem também as traduções da Bíblia para línguas de sinais e em Braile. Estima-se que mais de 300 milhões de pessoas, em todo o mundo, tenham deficiência auditiva e 70 milhões delas utilizam a língua de sinais para se comunicar. 

Há mais de 400 línguas de sinais únicas, porém o Novo Testamento está disponível somente na Língua de Sinais Americana. Entre as produções de 2015 em línguas de sinais, destacam-se as do Brasil, com 15 novas histórias bíblicas; Sri Lanka, com seleções do livro Atos; México, que concluiu os livros de Lucas e Atos; e a equipe ViBi, no Japão, que terminou os livros Êxodo, Tito e Efésios.

Em Braile, os avanços foram registrados no Sri Lanka, com a Bíblia em sinhala, o 44o idioma do país e no México, com a primeira porção em purepecha. Também foram produzidas porções adicionais em espanhol e armênio e uma nova versão da Bíblia em holandês.


A missão de traduzir as Escrituras, fundamental para o desenvolvimento da obra bíblica no mundo, estará em destaque nas palestras do 12º Fórum de Ciências Bíblicas, promovido pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) nos dias 25 e 26 de agosto, com o tema “Tradução da Bíblia: Uma Tarefa Inacabada”.

 

Renomados palestrantes estarão no Centro de Eventos de Barueri – Museu da Bíblia, em Barueri (SP), para mais uma edição do Fórum de Ciências Bíblicas, que homenageará os 70 anos das Sociedades Bíblicas Unidas (aliança que reúne 149 organizações, entre elas a SBB).

Confira a programação completa:
25 de agosto
14h30: Abertura
14h45: As traduções para línguas indígenas no Brasil

Há 28 anos, José Carlos Alcântara tem atuado entre povos indígenas brasileiros, especialmente os Kayabi, em companhia de sua esposa Raquel Alcântara. Ele foi conhecer in loco a realidade de vários povos do Brasil e de outros países, com vistas à mobilização da Igreja para o Movimento de Tradução da Bíblia. Em sua palestra, apresentará um panorama geral da tradução da Bíblia para as línguas minoritárias, bem como os desafios e a urgente necessidade de oferecer as Escrituras para aquelas comunidades em seu próprio idioma.

José Carlos Alcântara é pastor, missionário da Comunhão Batista Bíblica Nacional (CBBN), membro efetivo e do Conselho Deliberativo da Associação Linguística Evangélica Missionária (ALEM ) e membro da Diretoria da Associação de Missões Transculturais Brasileiras (AMTB).

16h30: A revisão da tradução Revista e Atualizada, de João Ferreira de Almeida
A Bíblia Sagrada na tradução de João Ferreira de Almeida, Revista e Atualizada é a preferida dos brasileiros. Considerada clássica, com seus 60 anos de história, a obra está sendo revisada mais uma vez, em trabalho coordenado por Vilson Scholz, em parceria com as igrejas que utilizam esta tradução. No Fórum, o público conhecerá o que está sendo feito nessa revisão e poderá constatar que é possível melhorar o que já é muito bom. 

Vilson Scholz é pastor, doutor em Novo Testamento, professor de Teologia Exegética e consultor de Tradução da SBB.
18h00: Lançamentos SBB
A SBB, em seu esforço para disseminar as Escrituras, sempre tem a preocupação de inovar, aliando qualidade e recursos tecnológicos às mais recentes tendências do mercado, para alcançar todos os públicos. Nesta palestra serão apresentadas as novidades editoriais voltadas a diferentes segmentos da população.
Paulo Teixeira, diretor de Traduções e Publicações da SBB, é teólogo e linguista, especialista em Língua e Literatura Hebraica.
20h00: Desafios da Bíblia nas novas tendências da sociedade
Em sua palestra, Erní Seibert fará uma análise das principais mudanças e dos desafios que a Causa da Bíblia enfrenta no mundo, desde as alterações do quadro demográfico até as transformações culturais e religiosas.
Erní Walter Seibert é doutor em Ciências da Religião, responde pela área de Comunicação, Ação Social e Arrecadação da SBB e é diretor mundial de Comunicações e Parcerias das Sociedades Bíblicas Unidas.

26 de agosto
14h30: Abertura
14h45: Panorama das traduções bíblicas no mundo
Nesta palestra, o público conhecerá as mais recentes informações das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU) sobre as traduções em âmbito mundial, o mapa dos projetos de traduções em andamento e quais são os desafios e oportunidades que este campo oferece.
Esteban Voth é doutor em Hebraico e diretor da equipe de assessores de traduções das Sociedades Bíblicas Unidas.  
 
16h30: Levando a Bíblia para o Oriente Médio pela TV
A tradução da Bíblia está diretamente relacionada com o trabalho de evangelização. Uma das regiões do Planeta onde o Evangelho tem tido maior dificuldade de penetrar é o Oriente Médio. Por isso, desde 1995, um grupo local de cristãos, apoiado por outros de várias partes do mundo, leva a Palavra de Deus por meio da SAT 7, uma rede de televisão via satélite fundada e presidida por Terry Ascott. A palestra de Lars-Göran Gustafsson será uma oportunidade de conhecer este ministério e as dificuldades que enfrenta.
Lars-Göran Gustafsson é representante internacional para a América do Sul da equipe SAT 7.

18h00: Lançamentos SBB
Paulo Teixeira
20h00: O Aplicativo da Bíblia e seu Uso pela Igreja
Nos primeiros 15 séculos depois de Cristo, as cópias da Bíblia eram feitas à mão. Com o advento da imprensa, as cópias se multiplicaram e, nos últimos anos, com o desenvolvimento da tecnologia digital, a Bíblia está presente em computadores, tablets e celulares. A Igreja, entretanto, tem enfrentado alguma dificuldade para utilizar essas ferramentas. Paschoal Piragine usa esta tecnologia há muito tempo em seu ministério e vai compartilhar sua experiência no Fórum.

Paschoal Piragine é pastor e presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba (PR).
Serviço: 12º Fórum de Ciências BíblicasData: 25 e 26 de agosto de 2016Horário: 14h30 às 22h00Local: Centro de Eventos de Barueri | Museu da BíbliaEndereço: Avenida Pastor Sebastião Davino dos Reis, 672 – Vila Porto – Barueri (SP)Valores: R$ 40,00 integral e R$ 20,00 para pastores e seminaristasInscrições no site

Teólogo fala sobre ruptura da União Europeia e profecias de Daniel: "Revelação bíblica"

 o mundo todo volta seus olhares para o continente neste momento em que a União Europeia perde um de seus pilares mais sólidos (Foto: Getty) 

As implicações políticas e econômicas nos níveis nacional e internacional são claras, porém o mestre em Teologia, Rafael Rossi aponta para uma relação importante deste fato com profecias bíblicas, como as registradas no segundo capítulo do livro de Daniel.







Na última sexta-feira, o Reino Unido passou por uma votação histórica e decisiva, traçando o seu futuro: a sua saída da União Europeia. Com uma diferença de cerca de 1,2 milhão de votos em um referendo, o país insular (formado pela Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales) acabou chegando à decisão de deixar o bloco econômico e político.
Entre especulações de crise para as ambas as partes desta ruptura dolorosa e também afirmações de que esta separação se fez necessária, devido às últimas decisões tomadas pelo bloco europeu, o mundo todo volta seus olhares para o continente neste momento em que a União Europeia perde um de seus pilares mais sólidos.

Profecias
As implicações políticas e econômicas nos níveis nacional e internacional são claras, porém o mestre em Teologia, Rafael Rossi aponta para uma relação importante deste fato com profecias bíblicas, como as registradas no segundo capítulo do livro de Daniel.

Inicialmente, Rossi contextualiza o momento em que o trecho foi escrito e lembra o relato - já conhecido por muitos - de que o rei Nabucodonosor teve um sonho intrigante, no qual havia uma estátua que misturava diversos elementos em sua composição.

"O capítulo narra o momento em que Deus deu a Nabucodonosor um sonho. Havia uma mensagem especial da parte de Deus ao rei e que por extensão chegaria até os últimos dias da história do mundo. Ao acordar, Nabucodonosor não se lembrava dos detalhes do seu sonho, mas sabia que esse sonho tinha certa importância", destacou Rossi em um artigo publicado originalmente no site 'adventistas.org'.

"Até o verso 3 do capítulo 2, o idioma no qual estava escrito era o hebraico. A partir do verso 4, o texto está em aramaico. Daniel está escrevendo diretamente às nações vizinhas de Israel, que não falavam o hebraico".

O teólogo lembra então que nenhum dos "sábios" da Babilônia conseguiram desvendar o enigma contido no sonho do rei, mas Daniel, com sabedoria e paciência, levou as respostas certas ao palácio.

"Fica evidente que os pretensos poderes humanos de adivinhação, previsão, astrologia, na realidade não existem. Deus age onde a sabedoria humana não age. Deus faz o que nenhum homem pode fazer e somente Ele é quem conhece o futuro", disse o teólogo. "Daniel mostra calma no momento de aflição, pois confiava em Deus e sabia que o Senhor estava no comando e não precisava se desesperar". Após muita espera e nervosismo por parte do rei, Daniel vai até Nabucodonosor e apresenta sua intepretação.

 

A cabeça era de ouro, os braços e o peito de prata, o ventre de bronze, as pernas de ferro e os pés uma junção heterogênea de barro e ferro."Cada metal representava um reino diferente conforme a interpretação de Daniel. O rei de Babilônia era a cabeça de ouro, elemento abundante na terra de Babilônia. Os reinos que sucedem são representados por elementos e partes do corpo na estátua que se encaixam por completo na história. Daniel prediz eventos muitos anos antes de acontecerem. Os eventos do capítulo 2 aconteceram no ano 603 a.C", contou Rossi, citando a história.

O teólogo lembrou que cada um dos elementos contidos na estátua representa um império e também prevê suas quedas e até mesmo rupturas."As nações da estátua marcam os impérios de propensões mundiais. Esses quatro impérios mundiais e o império dividido pelos pés em parte de ferro e barro apresentados por Daniel tiveram a sua faixa de tempo no governo, todos comprovados pela história", destacou.

"O verso 41 de Daniel 2 apresenta o último império, representado pelos pés como um reino dividido. A história nos mostra que após o império romano, o último império humano de alcance mundial, surgiu uma divisão do império em 10 partes, que são milimetricamente confirmados pelos dez dedos dos pés da estátua".Os reinos resultantes da divisão citada por Rossi foram: Francos, Alamanos, Anglos, Lombardos, Visigodos, Suevos, Burgundos, Hérulos, Vândalos e Ostrogodos.

Ferro e Barro

Rafael Rossi acrescentou as simbologias associadas a elementos como o ferro e o barro.
"O ferro e o barro definem que alguns deles seriam fortes e outros fracos. Como, por exemplo, a força militar que possuíam os francos e visigodos.




 Mas o fator que mais chama a atenção está no fato de que ferro e barro não se misturam. E isso era uma profecia permanente de que depois do quarto império, os países europeus tentariam se reunificar para formar um novo império, mas não mais se ligariam", explicou.


O mestre em teologia ainda lembrou que várias tentativas de unificação acabaram sendo frustradas posteriormente, como, com Carlos Magno (séc. VIII); Carlos V (séc. XVI); Napoleão Bonaparte (séc. XIX); além Kaiser Guilherme II e Hitler (ambos no séc XX). Segundo Rossi tais fracassos cumprem a profecia registrada no livro de Daniel.

"Todo o insucesso mostra que a profecia estava certa, todas as tentativas foram frustradas, pois a união não foi consolidada. O barro aparece sempre como elemento central dando a ideia da fragilidade dos impérios humanos", lembrou.

"A União Europeia, enfraquecida pela possível saída do Reino Unido, é apenas a continuidade da profecia que afirma que ferro e barro não se misturam. Não há nenhum elemento novo, senão a força da revelação bíblica séculos depois da previsão", afirmou.

Finalizando seu artigo, o teólogo lembra que a profecia o prenúncio da profecia no sonho de Nabucodonosor se concluía com uma pedra destruindo a estátua e lembra a interpretação deste ponto.
"Ela [pedra] representa o reino de Cristo que será um reino eterno. 

 Será estabelecido para sempre e terá o mundo todo unido. Haverá sim um império mundial, não mais controlado por homens, mas agora comandados pelo próprio Deus. A pedra que destrói a estátua e cresce do tamanho do mundo é a Volta de Jesus Cristo", afirmou.

Setenta mil cristãos se reúnem para louvar dentro de caverna

Setenta mil cristãos se reúnem para louvar dentro de caverna Igreja Subterrânea de Zabbaleen fica em meio a `cidade de lixo´

No Egito, cerca de 90% da população é muçulmana e a maioria dos cristãos são coptas. Mais de 70 mil cristãos árabes vivem em assentamentos conhecidos como Zabbaleen (nome derivado do termo árabe para “povo do lixo”). Essa região, na periferia da capital Cairo, é literalmente o depósito de lixo dos cerca de oito milhões que vivem na metrópole.

Sendo assim, a população que vive ao redor das montanhas de Mokattam, é formada majoritariamente por catadores de lixo. Essa situação que já dura pelo menos 4 décadas tem a ver com o fato de os cristãos sempre terem sido uma minoria perseguida no Egito.

Desde 1976, quando um incêndio devastou a região, os cristãos passaram a reunir-se nas cavernas existentes ali. Há várias existentes ali e a opção deve-se, sobretudo a fatores econômicos, já que não precisam pagar aluguel. A maior delas leva o nome de Mosteiro de São Simão, nome que homenageia o sapateiro que liderava grupos de oração nas cavernas durante o século X.

Trata-se da maior igreja cristã de todo o Oriente Médio e hoje tem capacidade para abrigar pelo menos 20 mil pessoas confortavelmente por culto. Nas cavernas próximas foram construídos outros locais de uso da igreja. Como todas elas são interligadas, formam um enorme complexo cristão subterrâneo.

Nessa “Igrejas das cavernas”, cerca de 70 mil cristãos se reúnem todas as semanas para adorar e louvar o nome de Jesus. Para eles é um forte testemunho poder se reunir com liberdade numa região cercada de países Islâmicos, que não proporcionam liberdade religiosa.

Markos Ayoub, um dos líderes cristãos locais, resume: “Não é fácil ser um cristão copta no Oriente Médio nos dias de hoje”. Por causa da turbulência política e problemas econômicos enfrentados pelo Egito nos últimos anos, muitos cristãos temem pelo futuro do cristianismo.

Os mais jovens, de modo especial, têm saído do país para recomeçar a vida fora do Oriente Médio. Apesar de todas as dificuldades, aqueles que ficaram continuam dando testemunho de fé e perseverança.

Grupo encontra túnel cavado com colheres por judeus na Segunda Guerra

Grupo encontra túnel cavado com colheres por judeus na Segunda GuerraAo longo de três meses, o grupo de judeus escavou o túnel com 35 metros, usando apenas colheres e as próprias mãos

Um túnel escavado por prisioneiros judeus foi localizado por uma equipe internacional de pesquisadores. A perfuração foi feita por eles com o uso de colheres e das próprias mãos, enquanto tentavam escapar das forças nazistas da Lituânia durante a Segunda Guerra Mundial.


Com 35 metros de comprimento, a estrutura subterrânea foi construída no Bosque Panerai, onde cerca de 100 mil pessoas foram mortas, sendo 70 mil judeus, entre 1941 e 1944.
“Como um israelense de família lituana, eu caí em lágrimas com a descoberta do túnel”, disse Jon Seligman, da Autoridade Israelense de Antiguidades. “Essa descoberta é um testemunho reconfortante da vitória da esperança sobre o desespero. A descoberta do túnel nos permite apresentar não apenas os horrores do Holocausto, mas também o anseio pela vida.”

Na época, o Bosque Panerai recebeu um grupo de 80 prisioneiros do campo de concentração Stutthof, na Polônia, para encobrir os rastros do genocídio a mando das forças alemãs.
Durante o dia, eles trabalhavam na escavação de covas coletivas, no empilhamento de corpos e na coleta de madeira para a incineração de seus conterrâneos. Na prisão onde passavam as noites, escavaram um túnel temendo serem mortos após a conclusão dos trabalhos.

Ao longo de três meses, o grupo de judeus escavou o túnel com 35 metros, usando apenas colheres e as próprias mãos. Na noite do dia 15 de abril de 1944, a fuga foi concretizada.
Segundo a Autoridade Israelense de Antiguidades, 40 prisioneiros passaram pelo túnel, mas, descobertos pelos guardas, muitos deles foram baleados. Quinze conseguiram cruzar as cercas do campo e escaparam para as florestas geladas da Lituânia, mas apenas 11 prisioneiros alcançaram as forças russas e, graças ao túnel, sobreviveram à guerra.

A localização exata do túnel foi perdida desde a Segunda Guerra Mundial, apesar das inúmeras tentativas de encontrá-lo. Graças a técnica de tomografia por resistência elétrica, usada para a exploração de petróleo e na indústria de mineração, é que a equipe formada por pesquisadores de Israel, Estados Unidos, Canadá e Lituânia conseguiu localizá-lo.


Mulheres cristãs se armam após ataques terroristas, no Líbano: `Não vamos fugir´

Mulheres cristãs se armam após ataques terroristas, no Líbano: `Não vamos fugir´`Nós não vamos permitir que o Líbano se torne um novo Iraque. Não vamos fugir, nós temos armas e estamos prontas para nos proteger´

 

Mulheres cristãs no Líbano estão se armando, após uma série de devastadores ataques suicidas na última segunda-feira (27).
Cinco pessoas foram mortas e mais de 20 pessoas ficaram feridas, após oito homens-bomba se explodirem na aldeia predominantemente cristã de Qaa, a poucos quilômetros da fronteira com a Síria.

 Pelo menos dois dos ataques ocorreram à noite, do lado de fora da igreja 'Mar Elias', onde as famílias das vítimas se reuniram para uma vigília, no início do dia.
De acordo com a versão em inglês do jornal 'Al Arabya', os bombardeios "desencadearam medo e pânico entre os moradores da Qaa". Fotos divulgadas pela Reuters na terça-feira mostraram que as mulheres cristãs estão pegando em armas para se protegerem de futuros ataques.

"Nós não vamos permitir que o Líbano se torne um novo Iraque. Não vamos fugir, nós temos armas e estamos prontas para nos proteger", disse uma mulher de Qaa à organização humanitária internacional 'Demanda por Ação' (ADFA).

Ela disse que todas as mulheres da aldeia decidiram armar-se. "Jihadistas acham que eles irão para o inferno se forem mortos por mulheres, então vamos enviá-los direto para o inferno", acrescentou.
O sacerdote da igreja Mar Elias, reverendo Elian Nasrallah, disse ao New York Times por telefone na última segunda-feira que os moradores de Qaa estão "vivendo no terror".

"As pessoas estão presas em suas casas, sem se atrever a sair, temendo novos atentados suicidas", disse ele.
Nenhum grupo ainda assumiu a responsabilidade pelos ataques, mas as autoridades suspeitam que o Estado Islâmico estava por trás ações terroristas no Líbano.

Governo tunisiano rejeita a política islâmica

Governo tunisiano rejeita a política islâmicaNotícia favorece os cristãos, principalmente os que vivem nas áreas rurais, que enfrentam uma perseguição religiosa mais intensa

Os cristãos tunisianos têm enfrentado a violência cada vez mais intensa do Estado Islâmico (EI) que, em 2015, invadiu até mesmo um hotel na cidade de Sousse, atirando em turistas e deixando 55 mortos. Recentemente, a imprensa local relatou outro incidente em que quatro agentes de segurança morreram no Sul do país, em um ataque suicida. O exército local entrou em guerra com os soldados extremistas, matando dois supostos militantes e prendendo outros 16, em um esforço para conter a violência atual. A população continua em estado de alerta, impedida de sair às ruas no período das 8h da noite às 5h da manhã.

A liderança tunisiana espera que os Estados Unidos ajudem a conter os extremistas islâmicos e assim diminuir a ação deles em diversas regiões. Até agora, sabe-se que os americanos já colaboraram com aviões, jipes e equipamentos de comunicação para ajudar o exército a proteger a fronteira da Tunísia com a Líbia. Embora os extremistas estejam em ação, o governo não compactua com os planos deles. O partido Ennahda da Tunísia distanciou-se oficialmente do islamismo político para assumir uma identidade secular, declarando valorizar a neutralidade religiosa, através de programas mais práticos, humanitários e mais compatíveis com uma democracia tolerante e moderna.

A notícia favorece os cristãos, principalmente os que vivem nas áreas rurais, que enfrentam uma perseguição religiosa mais intensa. Se a Tunísia realmente caminhar para ser uma nação secular, ao menos politicamente, a pressão sobre a igreja no país poderá diminuir. Relatórios da Portas Abertas apontam que o número de cristãos no país esteja em torno de 30 mil, entre tunisianos e estrangeiros. Em suas orações, interceda por eles.

Acorda Igreja

Leia com atenção

Precisamos urgentemente recuperar os nossos valores que estão a cada dia desaparecendo das nossas vidas devemos acender novamente a chama da igreja primitiva que evangelizava e pregava a palavra de Deus sem medo e sem distinção as pessoas que precisavam ouvir sobre as verdades bíblicas a respeito da moral, fidelidade, e valores que edificam as famílias isso é o verdadeiro evangelho puro que tem como objetivo não só de ganhar almas mas de educa-las e doutrina-las para que eles firmem os pés na casa de Deus para alcançar a salvação em Jesus Cristo.

26 de junho de 2016

Brasileiros criam pulseira com ‘chip’ para substituir cartões nas compras

 

Brasileiros criam pulseira com ‘chip’ para substituir cartões nas comprasEmbora a pulseira ATAR Band não traga a proposta de implantar seu chip sob a pele do usuário, o advento de aparatos tecnológicos que facilitam as compras reacendem a discussão sobre a `marca da besta´

Uma startup brasileira desenvolveu um produto que pretende substituir o cartão e o dinheiro nos pagamentos presenciais — basta que o usuário utilize apenas seu “pulso”.
A ATAR Band é uma pulseira inteligente equipada com um chip NFC, que pode transferir dinheiro para qualquer máquina de cartões que seja compatível com a tecnologia contactless. Segundo estatísticas da empresa, o serviço está disponível em 85% das maquininhas nacionais.
O dinheiro deve ser aplicado no acessório através de um boleto bancário, gerado no aplicativo para smartphones da ATAR Band. Depois de ser munida de créditos, a pulseira está pronta para realizar pagamentos à vista; basta aproximá-la do terminal do vendedor e inserir sua senha.
A ATAR Band começou a ser vendida no dia 18 de maio pelo preço sugerido de R$ 299 através de seu site oficial. O projeto, que começou a ser discutido em 2014, já recebeu oito premiações e pelo menos R$ 1 milhão em aportes, graças ao seu enorme potencial de crescimento.
Marca da besta?
Embora a ATAR Band não traga a proposta de implantar seu chip sob a pele do usuário, o advento de aparatos tecnológicos que facilitam as compras reacendem a discussão sobre a “marca da besta” descrita no livro bíblico de Apocalipse.
Apocalipse aponta que a marca seria obrigatória entre os conscientes e inconscientes seguidores da besta, com o aval da figura de autoridade do anticristo. A identificação seria usada como uma espécie de documento oficial, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca (13.17).
Segundo o teólogo e mestre em filosofia Jonas Madureira, não há qualquer indício na Bíblia de que os chips, em qualquer forma, sejam a tal marca da besta — pelo menos até agora. “Acontece que o Apocalipse é um livro confuso até mesmo para os maiores estudiosos dos textos sagrados, cheio de enigmas e metáforas”, afirma.
Madureira explica que muito dessa confusão se dá pelas diferentes correntes de estudiosos. “Enquanto um grupo, mais moderno, defende que muito na Bíblia está em forma de metáfora, de simbolismo, outra corrente mais tradicional afirma que tudo deve ser interpretado ao pé da letra”, esclarece o teólogo.
Jonas explica que nas décadas de 20 e 30 do século passado, os liberais, que preferiam a interpretação metafórica, ganharam destaque. Para contrariá-los, os fundamentalistas, mais tradicionais, defendiam a literalidade dos textos bíblicos.
Para completar a confusão, existem correntes que, embora não sejam liberais, aceitam a interpretação baseada no simbolismo. Há quem ache realmente, mesmo nos círculos evangélicos, que os chips são o falado selo do anticristo. Outros defendem que a tal marca citada em Apocalipse não seria física, mas espiritual.

Cristãos continuam sendo alvo de extremistas islâmicos em Mali

Extremismo islâmico é o responsável pela instabilidade e insegurança de várias regiões do país, o que faz aumentar a violência contra os cristãos

A violência contra os cristãos no Mali ainda tem um nível elevado, e fica ainda mais crítica quando as forças de segurança do país falham em defender os cidadãos dos ataques de grupos extremistas. Com base em relatórios da Human Rights Watch, uma organização internacional não governamental que defende e realiza pesquisas sobre os direitos humanos, recentemente, os militantes islâmicos no Mali mataram mais de 25 pessoas por execução. 
O governo maliano tem falhado em suas estratégias de proporcionar a paz à nação e há muitos relatos de que as forças de segurança têm cometido vários abusos, além de ferir gravemente as leis de direitos humanos. No entanto, a liderança do exército afirma ter prendido Yacouba Toure, um dos membros influentes do grupo islâmico Ansar Dine (Defensores da Fé), que é liderado por Iyad Ag Ghaly, fundador desde 2012. Yacouba é suspeito de realizar o tráfico de armas que são usadas em ataques, tanto no Mali quanto em países vizinhos.
A prisão dele indica um passo à frente para o governo maliano que tem lutado contra o extremismo islâmico. O grupo é responsável pela instabilidade e pela insegurança de várias regiões do país e enquanto eles estiverem em ação, aumenta o risco do aumento da violência contra os cristãos. Por outro lado, se as tropas estrangeiras se retirarem do país, a Al-Qaeda também pode assumir o controle de outras áreas. Cada vez mais os cristãos do Mali necessitam de orações. Interceda por eles.