3 de abril de 2016

Judeus iniciam seleção de sacerdotes que irão servir no Terceiro Templo, em Israel

Registro incluirá homens de linhagem sacerdotal (descendentes de Arão), nascidos e criados em Israel, e que tenham guardado as leis de pureza competidas aos sacerdotes

Judeus iniciam seleção de sacerdotes que irão servir no Terceiro Templo, em IsraelJudeus de Israel estão se movimentando em mais uma etapa para a preparação da futura construção do Terceiro Templo, em Jerusalém: selecionar sacerdotes que irão preparar a novilha vermelha e prestar serviços religiosos no local.
O anúncio da ação foi feito pelo rabino Chaim Richman, diretor do Instituto do Templo, na última segunda-feira (28).
O registro incluirá homens de linhagem sacerdotal (descendentes de Arão), nascidos e criados em Israel, e que tenham guardado as leis de pureza competidas aos sacerdotes. Entre as exigências está até mesmo a de não ter tido contato com pessoas mortas — sacerdotes que nasceram em maternidades, visitaram hospitais ou que visitaram cemitérios estão fora da lista.
Depois de compilar a lista de sacerdotes candidatos, o Instituto do Templo irá treiná-los para o complexo ritual com as cinzas da vaca vermelha. Para os judeus ortodoxos, o ressurgimento de uma novilha que siga o padrão estabelecido pelo livro bíblico de Levítico é um dos sinais da iminente vinda do Messias.
"Este é um enorme salto para o Instituto do Templo e para o povo judeu. Pela primeira vez em 2 mil anos, após milagrosamente voltarmos para a Terra de Israel, estamos começando o processo de restabelecer a pureza bíblica do sacerdócio judaico", disse o rabino Richman.
Fundado em 1987, o Instituto do Templo é uma organização dedicada à reconstrução do templo judaico no Monte Moriá, em Jerusalém. Além de se organizar para conscientizar o povo de Israel, o grupo recriou mais de 70 utensílios próprios para os rituais do Templo.
Desde o ano passado, a organização chegou a conclusão de que o primeiro passo para a construção do Terceiro Templo seria a novilha vermelha. Os pesquisadores passaram a congelar embriões bovinos da raça Red Angus, até obter um bezerro perfeito.
Simulação do Terceiro Templo
Uma cerimônia especial foi realizada no dia 10 de março em Jerusalém, marcando o início do mês de Adar no calendário hebraico.
Na ocasião, o Instituto do Templo se uniu ao Sinédrio para realizar a reconstituição do culto que seria realizado no Terceiro Templo. A cerimônia teve caráter educacional para um número de espectadores.
Os sacerdotes usavam roupas feitas de acordo com as especificações bíblicas, e músicos tocaram os instrumentos adequados, incluindo o explosivo som das trombetas.


Cristã recebe 15 dias para decidir entre o cristianismo e o islamismo na Argélia

Cristã recebe 15 dias para decidir entre o cristianismo e o islamismo na Argélia 
A intolerância religiosa se manifesta de muitas maneiras no norte de África. A oposição à abertura de igrejas em algumas áreas, o ostracismo (isolamento ou exclusão), rejeição familiar, a intimidação e ameaças de radicais islâmicos, difamação e desrespeito, além da enorme pressão no trabalho. Todas estas são formas de perseguição enfrentadas por cristãos. Todos os países norte-africanos têm uma maioria muçulmana, e em quase todos eles a religião oficial é o islã. A história que você vai ler agora é de uma cristã da Argélia, chamada Nedjma*. Ela foi ameaçada pelo próprio pai por ter se convertido ao cristianismo. "Um dia meu pai disse: ‘vou dar-lhe 15 dias para abandonar sua fé cristã. Se você não abandonar, não será mais minha filha e deixará de fazer parte dessa família’. Estas palavras foram um golpe muito duro para mim. Eu sempre tive um ótimo relacionamento com todos os meus familiares e meu pai estava dizendo que não haveria mais nenhum contato físico entre nós", conta a cristã.
"Meu pai é profundamente enraizado na versão radical do islã e tem ideias salafistas, então ele jamais vai aceitar minha escolha, por isso mantive minha conversão em segredo por vários anos, até ele descobrir. No Oriente Médio, os laços familiares são importantíssimos", diz Nedjma. Quando ela foi descoberta, já estava casada com um cristão chamado Rafik*. "Meu pai nunca soube muitas coisas sobre meu marido e só veio desconfiar no dia em que pediu para Rafik fazer uma oração islâmica com ele. Naquele momento, ele foi obrigado a revelar sua verdadeira identidade. Foi um momento de tensão, pois sempre tivemos conversas muito evasivas com meu pai quando o assunto era religião, evitávamos discussões e saíamos de perto. Mas quando meu pai pediu para ele orar, então teve que explicar que só orava de acordo com a Bíblia, em nome de Jesus. Foi quando ele virou para mim e perguntou: E você? Também é uma cristã agora? Quando eu disse que sim, meu pai foi embora furioso", lembra ela.
Fazendo parte de um movimento salafista, que é uma linha ultraconservadora dentro do islamismo sunita, o pai de Nedjma falou sério sobre o tempo que deu para a filha tomar uma decisão. Embora ele não a tenha ameaçado de morte, ele seguirá os conselhos do Imã (autoridade religiosa dentro do islamismo), e com certeza o casal sofrerá as consequências. Mas eles já tomaram a decisão de seguir os caminhos de Cristo e se disseram dispostos a pagar o preço. "Depois que meu pai deixou nossa casa, só voltou dois dias depois para explicar o que significa ser um apóstata para o islã. Desde então eu tenho sido rejeitada por ele e por toda minha família. Não tem sido fácil e somente um milagre poderá mudar essa situação. Nunca vamos abandonar Jesus, pois foi ele quem nos deu a vida e a salvação. Vamos permanecer fiéis a ele.
*Nomes alterados por motivos de segurança.
Pedidos de oração
- Ore por Nedjma e Rafik, para que permaneçam firmes na fé em Cristo, apesar dos desafios que enfrentarão daqui para frente.
- Peça a Deus para que o coração do pai dela seja alcançado pelo amor de Jesus e que aconteça o milagre que Nedjma tanto espera.
- Ore por todos os cristãos perseguidos da Argélia, que enfrentam situações semelhantes, para que sempre encontrem estratégias para continuar a pregar o evangelho naquele país.

Muçulmano que morreu após salvar cristãos de terroristas é homenageado no Quênia

 
Muçulmano que morreu após salvar cristãos de terroristas é homenageado no QuêniaSalah Farah, um professor muçulmano que arriscou sua vida ao proteger cristãos de morrerem nas mãos do grupo terrorista Al-Shabaab, no Quênia, recebeu uma das maiores honras do país por seu ato de coragem.
Salah Farah, que morreu por causa dos ferimentos sofridos no ataque, foi condecorado postumamente com o “Order of The Great Warrior” (“Ordem do Grande Guerreiro”, em tradução livre), conforme anúncio feito pelo presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, nesta quinta-feira (30).
Kenyatta disse que se orgulhou por Farah ter "se recusado a ser dividido pelo terrorismo", e disse que o prêmio estava sendo entregue para homenagear "seu ato de coragem".
Farah, que era vice-diretor de uma escola primária em Mandera, estava em um ônibus com 60 passageiros quando foram parados por militantes da Al-Shabaab, em dezembro do ano passado.
Ele foi um dos muçulmanos que se recusaram a permitir que os terroristas separasse  os passageiros cristãos dos islâmicos, dizendo: "mate a todos nós, ou os deixem sozinhos".
"Somos irmãos. É apenas a religião que nos difere, então peço aos meus irmãos muçulmanos que cuidem dos cristãos, e que os cristãos também cuidem de nós... e deixe que um ajude ao outro", disse ele.
Al-Shabaab é um grupo terrorista ativo no nordeste do Quênia, onde a população muçulmana é mais concentrada.

Muçulmanas convertidas ao cristianismo são punidas pela lei da sharia no Egito

Muçulmanas convertidas ao cristianismo são punidas pela lei da sharia no Egito

A maioria dos cristãos egípcios é conhecida como copta. A palavra “copta” foi usada originalmente no árabe clássico para se referir aos egípcios de uma forma geral, ao longo dos séculos, porém, ocorreu uma mudança semântica, e a palavra passou a se referir mais especificamente aos egípcios convertidos ao cristianismo, principalmente depois que a maior parte da população passou a seguir o islã. Não são raros os romances ocorridos entre os cristãos coptas e as muçulmanas divorciadas, que infelizmente terminam em tragédia. “Estas mulheres se convertem ao cristianismo e tentam um novo casamento após serem abandonadas pelos seus maridos, mas a sharia torna o ato legalmente impossível. Normalmente, elas são assassinadas”, comenta um dos analistas de perseguição.
Parece haver um padrão de punição coletiva, favorecendo o forte contra o fraco. Este é um cenário que assola muito a cultura islâmica. No ano de 2013, a ex-muçulmana Marwa Mohamed, de 26 anos e Karim Eid, de 27, começaram um romance na cidade de Tamia, que fica a 87 km de Cairo. Ela deixou seus dois filhos, porque a lei jamais permitiria que ela os levasse e decidiu ir morar com Eid, em Cairo. A conversão dela não estava descrita nos documentos oficiais e durante cerca de três anos o casal viveu em paz. Marwa chegou a engravidar do novo marido, mas perdeu o bebê. Certo dia, Eid a levou para rever a família, em Tamia, onde foi reconhecida pela filha, mesmo estando com a aparência totalmente diferente, sem lenço na cabeça e com roupas ocidentais.
A notícia se espalhou rapidamente, e os primos de Marwa invadiram a casa de seus pais, onde ela foi agredida e morta. Os assassinos estão foragidos e nenhuma acusação foi feita. “Os tribunais egípcios enxergam esse tipo de situação como uma questão de honra, especialmente quando há cristãos envolvidos. Quando o romance acontece de forma contrária, ou seja, se a mulher era cristã e decide se converter ao islamismo, então o caso é tratado com toda a atenção pelo Estado. A conversão é feita juridicamente e o processo é acelerado, mesmo em casos de meninas menores de idade”, explica o analista. De acordo com relatórios da Portas Abertas, até mesmo o jornalismo muçulmano lamenta essa tendência. No caso de Eid, sua família decidiu deixar a cidade para evitar outros problemas. O Egito está na 22ª ocupação da atual Classificação da Perseguição Religiosa. Embora haja uma grande pressão sobre os cristãos, o número de novos convertidos cresce mais a cada dia. Ore por essa nação.

Record estreia segunda fase da novela ´Os Dez Mandamentos´

Na nova temporada, Moisés, Arão, Josué e os outros hebreus seguem rumo à Terra Prometida em sua longa jornada. Após a morte de Moisés Josué assumirá a liderança do povo

Record estreia segunda fase da novela ´Os Dez Mandamentos´Sucesso de audiência na TV aberta e também de bilheteria nos cinemas, a saga 'Os Dez Mandamentos' já está com a estreia de sua 2ª temporada definida pela Rede Record. Programada para estrear no dia 04 de abril, às 20h30, a nova produção dará continuidade à história da peregrinação dos hebreus no deserto, após a fuga do Egito.
Na nova temporada, Moisés, Arão, Josué e os outros hebreus seguem rumo à Terra Prometida em sua longa jornada. Após a morte de Moisés Josué assumirá a liderança do povo.
No elenco, Guilherme Winter, Petrônio Gontijo, Sidney Sampaio, Denise Del Vecchio, Larissa Maciel, Dudu Azevedo e outros irão protagonizar novas cenas dirigidas por Alexandre Avancini.
Em um vídeo de divulgação da nova temporada, a equipe de produção / direção da saga falou sobre o que os telespectadores podem esperar da produção.
"Se antes o Egito era o grande inimigo, agora o inimigo real são eles mesmos", destacou a autora Vivian de Oliveira.
"Nós já abrimos o Mar Vermelho e agora vamos abrir a terra para os telespectadores", disse o diretor geral Alexandre Avancini.
Clique no vídeo abaixo para conferir: