27 de setembro de 2015

Cristãos podem ser representados politicamente


25 Myanmar_0310104600

Com as eleições programadas para novembro, os cidadãos de Mianmar lembram que, em 2010, o partido de oposição foi boicotado. Como ele continua sendo visto como a esperança do país de mudar a política espera-se que dessa vez seja o vencedor.

Mas o analista da Portas Abertas, adverte: "Essas eleições terão jogadores fortes e o exército já anunciou regras que proíbem quaisquer debates sobre o papel dos soldados em Mianmar e também o questionamento sobre a atual Constituição. Atualmente, 25% dos assentos estão reservados para as Forças Armadas do país”.

Ainda segundo o analista, além do Exército, o outro jogador influente é Ba Ma Tha, uma organização composta por monges budistas nacionalistas. Eles celebraram sua vitória de ter introduzido com sucesso as “leis sobre a proteção da raça e da religião", com eventos de âmbito nacional, demonstrando assim o seu nível generalizado de organização e seu poder.

De acordo com os relatórios da Portas Abertas: “Um terceiro jogador pode sair dos grupos étnicos, já que eles têm várias dezenas de partidos culturais que podem fazer a balança inclinar. O governo tenta chegar a um acordo de paz provisório antes das eleições, em um aparente esforço para ganhar votos adicionais. Como várias dessas minorias étnicas são minorias cristãs consideráveis (chegando a ser maioria em alguns casos), o resultado dessas eleições pode ser decisivo para a igreja em Mianmar”.