5 de maio de 2015

Vítima libertada do Boko Haram diz que testemunhava e esperava a morte todos os dias




Vítima libertada do Boko Haram diz que testemunhava e esperava a morte todos os dias

Outra mulher contou que a única refeição que tinham era milho seco à tarde
Asabe Umaru, de 24 anos, era uma das vítimas sequestradas pelo Boko Haram, na Nigéria. Ela e os dois filhos ficaram dias sob o poder dos radicais.
Ela faz parte do grupo que estava na floresta da Sambisa, no norte do país, e foi liberto pelo exército nigeriano na última semana.
"Todos os dias nós testemunhávamos a morte de uma de nós e esperávamos nossa vez", conta ela sobre a tensão e o medo que enfrentava.
Quando o exército foi resgatá-las, algumas foram apedrejadas até a morte pelos radicais. Soldados não perceberam "a tempo que não éramos os inimigos" e algumas mulheres e crianças foram "atropeladas por seus caminhões", disse Umaru à agência de notíciasReuters.
Outra vítima falou a respeito da má alimentação que recebiam enquanto sequestradas.
"Éramos alimentadas apenas com milho seco à tarde, que não estava bom para o consumo humano", disse Cecilia Abel à Reuters.
Muitas sequestradas foram obrigadas a se casar com militantes do grupo. Também há informações de que muitas delas, sendo cristãs, foram forçadas a abandonar o cristianismo e aderir ao islã. 
Continuemos orando por outras centenas de meninas e mulheres que continuam sob o poder do Boko Haram.