9 de maio de 2015

'Quero ir pra igreja com a Urach', afirma Ken Humano após complicações com hidrogel



Celso Santebanes, o Ken Humano quer encontrar Andressa Urach e ir à igreja com ela.
Celso Santebanes, o Ken Humano, ainda está internado no Hospital de Clínicas de Uberlândia, mas já tem planos para depois que receber alta: voltar a São Paulo, encontrar Andressa Urach e ir à igreja com ela.

Andressa apoiou o modelo e se colocou à disposição. “Eu não o conheço. Ele não me procurou, mas com muito prazer levaria ele, sim, para a presença de Deus, como tenho feito com todas pessoas que amo. Deus esta dentro de nós, mas se ele quiser conhecer a casa de oração do meu Pai certamente o levaria", disse ela ao Ego.

Segundo Celso, a viagem a capital paulista deve acontecer daqui a dez dias, junto com a namorada, Jennifer Pamplona. Ela também é amiga de Urach, com quem trabalhou como estilista antes da apresentadora se converter.

"Quando voltar para São Paulo, daqui a dez dias, vou encontrar a Andressa Urach e conversar sobre a experiência de vida que passamos. Quero ir pra igreja com a Urach. Eu, ela e a Jennifer. A Jennifer é uma melhores amigas da Andressa e será ótimo dividirmos tudo que passamos de difícil. Antes eu fazia tudo pra ser o mais perfeito, hoje em dia vejo isso. Uma bobagem! Quero focar minha vida em Deus e na minha saúde", afirmou Celso.

Urach conta que Jennifer tem frequentado o Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus. "Fiquei muito feliz, pois está procurando a Deus e não precisou de mim pra isso. Certamente ela mesma levará ele (Ken). Só fiquei sabendo que ela está indo. Se for verdade fico muito feliz. Acho que quando a pessoa precisa de Deus ela busca por si", afirmou.

A descoberta da doença de Celso se deu quando o modelo foi investigar uma inflamação. Assim como Andressa Urach, o rapaz dizia sofrer com complicações por conta do hidrogel. O drama do modelo começou quando ele recebeu o diagnóstico de leucemia linfoide aguda. Celso foi internado primeiramente no dia 7 de janeiro em Araxá, Minas Gerais, mas foi encaminhado logo depois para Patos de Minas por causa da gravidade de seu quadro. Apenas oito dias depois, em 15 de janeiro, ele voltou a ser transferido, desta vez para o Hospital de Clínicas de Uberlândia, onde segue seu tratamento até agora.