14 de maio de 2015

Os líderes da igreja do Reino Unido, David Cameron instar à revisão das sanções de benefícios




Os líderes das quatro denominações protestantes escreveram uma carta aberta ao primeiro-ministro David Cameron instando-o a rever o regime de sanções de benefícios e de adiar uma decisão sobre a substituição do sistema de armas nucleares Trident.
Também pede "ação internacional assertivo para defender os direitos humanos e prestar assistência humanitária na Síria" e "ação para fazer a liberdade de religião uma prioridade dos direitos humanos em todos os aspectos da política externa".
A carta aberta ao primeiro-ministro foi assinado pelos líderes da União Batista da Grã-Bretanha, a Igreja da Escócia, a Igreja Metodista ea Igreja Reformada United.
Ele diz: "Esperamos e rezamos para que, como você tomar decisões sobre o seu programa de governo, você vai escolher para oferecer maior apoio aos dos nossos vizinhos que são os mais fracos, os mais vulneráveis ​​e os que mais precisam de nossa ajuda Tais políticas. nem sempre será popular, eles podem ser politicamente ou financeiramente caro, mas eles são necessários se quisermos viver o bem comum ".
A carta refere-se ao papel desempenhado pelas igrejas locais no fornecimento de programas sociais.
No entanto, ele diz que "A nossa experiência e pesquisa nos levou a ser profundamente preocupado com os danos causados, sobretudo para as pessoas mais vulneráveis, através do sistema de benefícios sanções."
No Trident, refere-se aos apelos internacionais para fazer o uso de armas nucleares ilegais sob a lei internacional e apela a "um adiamento de uma decisão sobre Trident em 2016 para permitir que o Reino Unido a participar plenamente nas novas iniciativas multilaterais de desarmamento".
União Batista da Grã-Bretanha porta-voz Rev Stephen Keyworth disse: "A implementação de políticas governamentais é sempre difícil quando os recursos são limitados Enquanto aplaudimos algumas das realizações do governo anterior, como a redução do desemprego, um compromisso para combater a mudança climática. e assegurando 0,7 por cento da renda nacional é dada em ajuda externa, é importante para o novo governo para lembrar as bases fundamentais para ambas as políticas nacionais e globais:. a verdade, justiça, paz e bem-estar "