14 de maio de 2015

Mulher com deficiência mental morre espancada em cerimônia de exorcismo islâmico




Imagem: Mulheres muçulmanas, no Paquistão.
Uma mulher marroquina, deficiente mental e mãe de oito filhos, foi morta por um exorcista islâmico depois de ser espancada repetidamente com um bastão em uma cerimônia de expulsão de"demônios".
A mulher de 40 anos era da aldeia de Douar Beni Salah, na região norte de Marrocos. O Faqih, como os exorcistas islâmicos são chamados, bateu por todo corpo da mulher com uma vara, enquanto recitava versos do Alcorão, tendo a ajuda de quatro assistentes.
O exorcista e seus assistentes foram presos, e uma investigação foi iniciada.
A prática deste tipo de exorcismo, chamada de 'ruqyah', é prevalente em algumas sociedades islâmicas. O rito inclui versos específicos do Alcorão, com encantamentos que o profeta Maomé disse no Hadith.
Este não foi o único caso de morte por meio de cerimônias de exorcismo. Em 2012, seis pessoas foram acusadas de assassinar uma jovem muçulmana, que foi acusada de estar possuída por não poder ter filhos. Durante a cerimônia, os exorcistas colocaram seus dedos na garganta da mulher, a forçaram a tomar banho com água quente e bateram na vítima com uma vara.
Bouya Omar, um santuário popular em Marrocos, pratica regularmente atividades de exorcismo onde as pessoas são espancadas e acorrentadas, de acordo com o Arabiya News.