15 de maio de 2015

Indonésia resgata cerca de 800 imigrantes que estavam à deriva




Imigrantes de Bangladesh resgatados de barco na Indonésia comem em abrigo temporário (Foto: REUTERS / Roni Bintang)Cerca de 800 pessoas que estavam em barcos foram levadas para terra firme na Indonésia nesta sexta-feira, mas outras embarcações repletas de imigrantes foram enviadas de volta para o mar, apesar de um apelo da ONU pelo resgate de milhares de imigrantes à deriva nas águas do Sudeste Asiático. A embarcação havia sido obrigada a retornar quando se aproximou da Malásia, destino habitual dos migrantes. Segundo os defensores dos direitos dos exilados, até 8 mil pessoas estariam à deriva no mar, presas em barcos e sob o risco de morrer de fome ou doença.

O destino incerto desses exilados de Bangladesh ou Mianmar, que tentam fugir da miséria ou das perseguições em seus países de origem, é similar ao drama dos migrantes que tentam chegar ao continente europeu atravessando o Mediterrâneo.

Contrabandistas abandonaram os navios cheios de imigrantes, muitos deles com fome e doentes, no mar de Andaman após uma ação de repressão tailandesa ao tráfico de pessoas. A Tailândia é a primeira parada na rota mais comum para tráfico humano usada por criminosos que têm como alvo muçulmanos do grupo rohingya que fogem da perseguição em Mianmar e Bangladesh e buscam escapar da pobreza.

"A última informação que temos é que cerca de 794 pessoas foram encontradas no mar e levadas para terra por pescadores às 5h da manhã desta sexta-feira", disse à Reuters por telefone o oficial de Busca e Resgate Khairul Nova, em Langsa, cidade na província indonésia de Aceh. A solução para a tragédia humanitária está distante, após a ameaça de Mianmar de boicotar uma reunião regional sobre o tema.

O primeiro-ministro malaio, Najib Razak, afirmou que está "muito preocupado com o sofrimento" dos migrantes, mas garantiu que o governo adotará as "medidas necessárias". As organizações humanitárias denunciaram o jogo de "pingue-pongue humano" dos governos da Indonésia, Malásia e Tailândia.