13 de maio de 2015

Grávida negra é exposta: `vende-se bebê por R$ 50´




Grávida negra é exposta: `vende-se bebê por R$ 50´

Jornalista de Brasília registrou um boletim de ocorrência após a agressão
O "anúncio" foi feito no Facebook e apagado após a forte a repercussão negativa
As redes sociais têm sido palco de discurso de ódio e manifestações racistas. Recentemente, após alterar sua foto de perfil em uma delas, a jornalista brasiliense Cristiane Damacena recebeu uma enxurrada de xingamentos racistas.
Nesta segunda-feira 11 de maio foi a vez de mais uma mulher negra ser vítima desse tipo de ação. Coincidência ou não, a vítima foi outra jornalista de Brasília. Raíssa Gomes teve uma foto sua grávida, tirada em 2011, colocada em forma de anúncio num grupo de Facebook destinado a vender artigos usados, com a seguinte frase: “Vende-se um bebê por R$ 50 reais” Abaixo da foto ainda diz: “como eu e minha mulher não conseguimos Cytotec [medicamento utilizado para a realização de aborto] resolvemos vender a criança".
Raíssa soube que estava sendo exposta meia hora depois que o falso anúncio foi ao ar. O “anunciante” foi identificado como Laio Santiago e, após a repercussão, apagou o post. Ela acredita que sua foto foi retirada de um texto que escreveu para o site “Blogueiras Negras” o qual fala sobre a dificuldade de ser mãe e negra e sobre parto humanizado. 
Raíssa é categórica: “o que aconteceu comigo é somente um reflexo do que a sociedade pensa e reproduz. Já passou da hora das pessoas entenderem que não é um caso isolado; é necessário discutir abertamente sobre racismo no Brasil e a perpetuação dessas atitudes”.
A jornalista registrou boletim de ocorrência na própria segunda-feira em uma delegacia da Asa Norte (Brasília) e irá avaliar com sua advogada como dar prosseguimento ao caso.