5 de maio de 2015

Governo da Índia afirma que irá `proteger´ as minorias religiosas com lei tendenciosa




Governo da Índia afirma que irá `proteger´ as minorias religiosas com lei tendenciosa

País é o 21º na Classificação de Perseguição Religiosa 2015

O governo disse na terça-feira (28) que não iria tolerar quaisquer atrocidades contra as minorias no país, alegando que iria protegê-las; aproveitando a ocasião para lançar uma lei nacional anti-conversão
Respondendo às preocupações manifestadas por membros da oposição sobre as igrejas sendo atacadas, o ministro do Interior Rajnath Singh disse que o governo não iria tolerar qualquer coisa que perturbasse a harmonia social. "Quero assegurar, especialmente às minorias, que o governo irá protegê-las com todas as suas forças", disse ele, discutindo as demandas para o seu ministério.
O governo liderado por Modi Narendra tem estado sob ataque por ações de reconversão de cristãos ao hinduísmo e ataques a igrejas.
Segundo Modi, o governo queria uma lei anti-conversão, mas observou que a Índia é o único país onde as minorias não procuram por tal lei.
Rajnath Singh tentou colocar a culpa sobre o problema de conversão em governos estaduais, argumentando que lei e a ordem são um assunto de Estado. "Os Estados devem tomar medidas rígidas."
O ministro do Interior disse que ataques a locais religiosos têm ocorrido por muito tempo e também houve casos de vandalismo e roubo em templos. "Em todos os países do mundo, as minorias procuram uma lei anti-conversão, mas na Índia elas não exigem isso", disse ele.