13 de maio de 2015

Detido na Síria, fotógrafo brasileiro dividiu cela com membros do Estado Islâmico




Gabriel Chaim ao lado de um dos fotógrafos que também foi preso com ele
Detido na fronteira com a Turquia, o fotógrafo brasileiro Gabriel Chaim estava fazendo a cobertura da guerra na Síria e agora deixou a prisão em Ancara.
Junto com outros dois fotógrafos, ele foi detido por cruzar ilegalmente a fronteira entre a Síria e a Turquia, e ficou preso desde o dia 8, chegado a dividir a cela com 40 membros do Estado Islâmico.
Em entrevista ao G1, Chaim falou sobre a diversidade de pessoas que havia na prisão, em celas com cerca de 100 prisioneiros.
“O pessoal do Estado Islâmico ficava de um lado. Todo mundo tinha muito medo deles. Quando eles iam fazer oração, cinco vezes por dia, todo mundo ficava em silêncio, a TV era desligada. Foi um inferno”, relatou.
O fótografo ainda contou que quando chegou à cela, outros presos foram perguntar de onde eram. "Falaram para tomar cuidado, para não falar que tínhamos estado na Síria porque tinha gente do EI lá dentro. Naquela hora eles estavam dormindo."
Especializado em fotografar áreas de crise e conflito, Gabriel Chaim afirma que ficar detido o deixou ainda mais forte. "Isso tudo me deixa com mais vontade de seguir em frente, de continuar o meu trabalho, de mostrar a vida dessas pessoas que estão presas em seu próprio território”, explica.
Desde o início da guerra civil na Síria e com a ação do Estado Islâmico, milhares de pessoas morreram, outras milhares estão presas ou vivendo como refugiadas em seu próprio país, inclusive cristãos.