12 de maio de 2015

Ator de 'Piratas do Caribe' diz que Estado Islâmico é uma abominação e se junta às forças curdas na Síria




Michael Enright
Aos 51 anos, o ator britânico Michael Enright deixou Holywood para se juntar às forças curdas no combate ao Estado Islâmico na Síria.
Enright participou do filme 'Piratas do Caribe: O Baú da Morte' (2006), além de 'Encontro Explosivo' (2010), e alguns seriados.
Nasser Hajj Mansur, porta-voz do Departamento de Defesa da região autônoma curdo-síria de Al Jazeera, explicou por telefone que Enright aderiu há algumas semanas às Unidades de Proteção do Povo após chegar à Síria procedente do Iraque.
Embora já esteja em Al Jazeera, Mansur "ainda não se incorporou a nenhuma frente de batalha porque está recebendo treinamento", explica Mansur.
Em entrevista ao jornal Daily Mail, Enright disse querer que os jihadistas sejam aniquilados. O ator já quis se juntar à tropa norte-americana após o atentado de 11 de setembro, mas foi convencido pelos amigos a não ir. Agora, após a execução do piloto Muaz al Kasaesbeh, ele decidiu não ficar parado.
"O EI é uma abominação. Isto é um chamamento para a humanidade, é um chamamento para toda a gente, para que façam o que possam, da maneira que possam", afirma.
As barbáries cometidas pelo Estado Islâmico têm chamado a atenção de todo o mundo. Os jihadistas querem impor a lei islâmica e, para isso, visa destruir qualquer grupo que queira impedí-los. Dessa forma, as minorias religiosas, principalmente os cristãos, são alvo certeiro do grupo. A Igreja de Cristo precisa permanecer em oração.