9 de maio de 2015

"As leis de Deus não podem ser mudadas pelas leis dos homens", diz governador do Texas (EUA)



Greg Abbott tem 57 anos e afirma que é prova viva de que Deus responde às orações daqueles que O adoram.Ao dar uma palestra no 11º Café Anual da Oração Católica Nacional quinta-feira, o governador do Texas, Greg Abbott afirmou que "agora, mais do que nunca", é o momento para os americanos comecem a orar pela proteção das liberdades religiosas nos Estados Unidos.
Considerando que o direito de liberdade religiosa tem sido colocado à prova pelos secularistas e os advogados LGBT, que tentam usar o sistema judicial para promover sua agenda política e infringir direitos da Primeira Emenda, o governador de 57 anos - um católico romano conservador - afirmou que ele é uma das muitas provas vivas de que Deus realmente responde às orações.
"Deixe-me começar por fazer um ponto muito simples. O simples fato de eu estar aqui hoje é prova de que as orações fazem o seu trabalho", disse Abbott aos presentes no hotel Marriott Marquis.
O governador ficou paraplégico depois que uma árvore caiu em suas costas no ano de 1984.
"Olhando para trás, posso dizer que, se você já viu tudo o que eu tenho visto, se você tiver passado por tudo o que eu tenho passado, você nunca mais questionar o Senhor", continuou Abbott. "Você nunca temeria o vale da sombra da morte, porque você sabia que poderia palpavelmente sentir a presença de Deus com você e ora com gratidão, com a conexão estabelecida com Deus que vem através da oração".
Abbott explicou que a oração é o ato de abrir a porta para que Deus para "faça algo" a respeito das situações difíceis que seus adoradores enfrentam.
"Vocês já repararam como as orações aumentam em tempos de grande necessidade?" Perguntou Abbott. "Na América de hoje, estamos em um momento de grande necessidade e há uma uma grande urgência em orar agora, mais do que nunca, especialmente a necessidade de orar por nossas liberdades religiosas. Eu ouvi dizer que 'a América não criou a liberdade religiosa, mas a liberdade religiosa criou a América'. A liberdade religiosa está sendo testado por alguns que querem silenciar os fiéis e blafemar contra Deus empraça pública".
Abbott mencionou exemplos de advogados de direitos religiosos que têm sido bem sucedidos na defesa da Primeira Emenda, posicionando-se contra ativistas judiciais que tentam limita-la.
O governador lembrou que em 2005, o estado do Texas foi vitorioso em uma batalha no Supremo Tribunal contra ateus que estavam tentando fazer com que o Estado removesse um monumento dos Dez Mandamentos do prédio do do Capitólio, em suas terras. Ele também mencionou que os ateus não têm tido sucesso em outros processos judiciais, como o que tentaram tirar a expressão "Uma nação sob Deus" do Juramento de Fidelidade.
Porém outras leis como a permissão para o aborto - que já ceifou a vida de mais 55 milhões de bebês - e a chegada da proposta de legalização do casamento gay ao Supremo Tribunal - que pode chegar a uma decisão em Junho - foram citadas por Abbott como motivos para que os norte-americanos "abram suas portas para Deus".
"Vemos esses ataques à fé continuarem a se expandir por todo o país", disse Abbott. "Vemos isso na infindável batalha para defender o nascituro e vemos isso com o assalto legal sobre o casamento definido por Deus, mas sabemos que a lei de Deus não pode ser desfeita pela lei do homem".
Abbott acrescentou que Deus já forneceu orientações sobre como garantir que a Sua vontade e as liberdades religiosas sejam preservadas.
"A boa notícia é que Deus já nos deu o roteiro para responder às nossas orações e assegurar que somos capazes de proteger e defender estas liberdades religiosas", afirmou Abbott. "Em Provérbios 29:2 diz: 'Quando os justos governam, o povo se alegra. Mas quando o ímpio domina, o povo sofre".
"Então, Deus nos disse há muito tempo que o que nós precisamos neste mundo são líderes justos", continuou o governador. "Assim como nós oramos hoje e todos os dias, devemos orar para que a orientação de Deus em Provérbios seja cumprida e que sejamos abençoados com líderes justos".