19 de abril de 2015

Guerra na Síria já matou mais de 220 mil pessoas




Guerra na Síria já matou mais de 220 mil pessoas

País é o 4º na Classificação de Perseguição Religiosa 2015
O Observatório Sírio dos Direitos Humanos anunciou que a guerra na Síria já matou mais de 220 mil pessoas desde o início da revolta contra o regime de Bashar Al Assad, em março de 2011.
"Registramos 222.271 mortes desde o início dos confrontos, em março de 2011", disse o chefe da entidade, Rami Abdel Rahman, à agência de notícias AFP, ao acrescentar que o número de mortos entre os civis chega aos 67.293, incluindo 11.021 crianças.
De acordo com a organização não governamental, com extensa rede de informação no país, entre os combatentes contra o regime há 39.848 rebeldes sírios mortos e mais 34.872 jihadistas estrangeiros.
No que diz respeito às forças que apoiam o regime de Bashar Al Assad, são registrados 46.843 soldados mortos, 34.872 integrantes das milícias das Forças de Defesa Nacional, 683 membros dos xiitas do Hezbollah e ainda 2.844 de outros países.
Não estão contabilizadas cerca de 20 mil pessoas cujo paradeiro é desconhecido, acrescentou o observatório. Para a ONG, o número real é superior aos 220 mil anunciados.
Cristãos sírios: "Estamos cansados, muito cansados"
"É o que muitas pessoas de Aleppo dizem. É difícil, [a guerra civil síria] já está durando tanto tempo. Somos todos seres humanos, ficamos cansados, não há muito o que fazer", compartilha a irmã Sylvia*. Ela trabalha ajudando as pessoas deslocadas internamente que fugiram para sobreviver. Leia mais aqui
"Não, eu nunca pensei em deixar a Síria"
Fathi* é um dos cristãos que decidiram ficar em Alepo, na Síria, apesar das circunstâncias difíceis. "Todos os dias eu vejo de perto como podemos ajudar as pessoas"