11 de abril de 2015

Cristão da Ásia Central tem sido perseguido no trabalho por causa de sua fé




Cristão da Ásia Central tem sido perseguido no trabalho por causa de sua fé

Ele teve seu salário reduzido a quase metade, enquanto o dos outros trabalhadores permaneceu o mesmo
Apesar das diversas notícias em que a intolerância e o extremismo contra os cristãos resultam em severa perseguição; em muitos países, a afronta aos seguidores de Jesus pode acontecer de maneira sutil. A história de Ravshan é um desses casos.
O cristão Ravshan*, de 28 anos, é membro de uma igreja evangélica em um dos Estados da Ásia Central. Cerca de um ano atrás, ele começou a trabalhar em um supermercado como um dos gerentes. A maioria dos empregados de seu departamento é muçulmana devota. Depois que a administração descobriu que Ravshan é convertido ao cristianismo, passou a pressioná-lo constantemente.
Há seis meses, Ravshan foi transferido para um grande departamento, o qual ele não poderia gerenciar sem o apoio de um assistente. Ele então pediu por um, mas nunca teve ninguém. Ravshan percebeu que a administração começou a calcular a porcentagem do seu salário, descontando quantias a partir de qualquer erro cometido, até quando produtos na loja expiravam a validade. Por fim, recentemente, reduziram quase metade de seu salário, apesar do fato de que o salário dos outros trabalhadores de outros departamentos permanece o mesmo; o salário de alguns funcionários até aumentou.
Ravshan pretende escrever uma carta de demissão e deixar esse trabalho. Ore por ele e sua família; Ravshan é pai de duas crianças pequenas. Interceda também para que Deus o abençoe com um novo trabalho, onde ele não terá de enfrentar esse tipo de pressão.