6 de março de 2015

Perseguição acirrada na Indonésia

                                                                              

Perseguição acirrada na Indonésia

Dois missionários foram presos por distribuírem materiais evangélicos em público

Incidentes recentes indicam que Aceh tornou-se um lugar cada vez mais hostil para os cristãos viverem. Em 2014 mais de trinta igrejas de diferentes denominações foram total ou parcialmente destruídas e fechadas na Indonésia.
Considerada por muitos como um paraíso turístico, Aceh tem sido palco de grande perseguição aos cristãos. Recentemente, dois missionários foram presos por distribuirem materiais evangélicos em público. Eles foram logo liberados. Além disso, um livro intitulado "Cristo, Maomé, e eu” provocou a ira dos muçulmanos. O livro junto com outros folhetos foi enviado à casa das pessoas como uma forma de evangelizar, na melhor das intenções. Porém, muitos muçulmanos devolveram o livro para os correios e relataram o caso às autoridades locais.
No início do mês, um professor muçulmano que tinha tentado ensinar sobre a intolerância religiosa, trazendo seus alunos para uma igreja local foi acusado de promover o cristianismo e logo recebeu críticas e ameaças.
A série de incidentes provocaram insegurança religiosa entre os muçulmanos de Aceh, o que normalmente leva a uma maior discriminação e ódio para com os cristãos locais.
Aceh é apelidada de ‘A Porta de Meca" para simbolizar a sua forte posição islâmica. Na verdade, ela é a única província que impõe a Lei Sharia e pratica punições corporativas, tais como castigar os infratores com vara publicamente.
Apesar de ter sido severamente atingida pelo tsunami em 2004, e recebido ajuda de outros países, inclusive de agências missionárias, a província nos últimos cinco anos, aprofundou-se mais na religiosidade extremista e começou a fechar suas portas novamente para o mundo, exibindo rejeição ainda mais forte em relação ao cristianismo. Na última década, um número de agências missionárias foi expulso; vários trabalhadores foram ameaçados, agredidos e presos; e dezenas de igrejas foram fechadas.
A Portas Abertas tem estendido empréstimos de subsistência para os cristãos afetados pelo tsunami e até hoje realiza treinamentos e encontros bíblicos para fortalecer os líderes da igreja local, cristãos e colaboradores da Portas Abertas que atuam nessa região.
Pedidos de oração
- Ore para que essa evolução não coloque em risco as igrejas locais e em curso (muitas vezes secretas) e, obras missionárias.
- Clame ao Senhor pela segurança e sabedoria para os colaboradores da Portas Abertas e cristãos secretos nesta região.