6 de março de 2015

Deputados costarriquenhos cristãos intervêm e evangelização nas ruas é permitida


Deputados costarriquenhos cristãos intervêm e evangelização nas ruas é permitida

Conselho de San José declara por unanimidade permissão para manifestações religiosas em público

Em San José, capital da Costa Rica havia-se decidido que, evangelizar pregando a Palavra, cantando louvores e distribuição de panfletos estavam proibidos. Mas a intervenção de parlamentares Cristãos da Bancada, fez com a decisão fosse revogada e o direito à liberdade de expressão foi mantida.
A Câmara Municipal de San José tomou uma decisão a qual determinava que as manifestações espontâneas nas ruas, becos e lugares públicos da capital da Costa Rica, como pregação da Palavra, leitura da Bíblia, Flash Mob (evangelização com dança por jovens) e tocar instrumentos musicais estavam proibidos, baseado em solicitação de alguns comerciantes da cidade.
Mas na noite de terça-feira (24/02), o conselho de San José votou por unanimidade uma moção declarando que a permissão para manifestações espontâneas, que só poderiam ser realizadas através de uma solicitação especial estava revogada.
A noticia foi bem recebida pelos parlamentares cristãos que se manifestaram contra a decisão da Câmara Municipal e conseguiram reverter a situação trazendo a tona o que a constituição outorga a sua população, que é a liberdade de expressão.
O legislador cristão, Fabrício Alvarado afirmou com suas palavras: “Estou muito satisfeito pelo fato de, mais uma vez o trabalhando conjunto dos 4 parlamentares cristãos ajudaram a defender a liberdade de expressão e de culto”.
Alvarado também disse que desta forma “os vereadores rejeitaram as declarações do Presidente da Câmara Municipal quando disse, que as apresentações de músicas (importante meio de comunicação Costa Rica), estava proibida.
Após a votação do conselho, a polícia municipal informou a população que será respeitada a liberdade de expressão.
O parlamentar Gonzalo Ramirez disse que da sua parte. de agora em diante irá: “manter-se vigilante, a respeito da liberdade de culto e da pregação através da Palavra de Deus (a Bíblia) em locais públicos”.