6 de março de 2015

Dengue já matou 24 pessoas no estado de São Paulo em 2015

                                                      
Dengue já matou 24 pessoas no estado de São Paulo em 2015

Em 2014, 5 pessoas morreram no mesmo período; aumento é de 380%

Dados do Ministério da Saúde divulgados nesta sexta-feira (6) em São Paulo mostram que 24 pessoas morreram no estado de São Paulo por causa da dengue em 2015, número 380% maior do que as cinco mortes nas oito primeiras semanas epidemiológicas de 2014.
Os casos com sinais de alerta subiram 159%. O aumento das notificações de dengue foi de 697% _ de 11.876 casos em 2014 para 94.623 em 2015.
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que os municípios paulistas que agora têm um aumento expressivo de dengue não "fizeram a lição de casa" para evitar a explosão de notificações e de mortes.
Segundo ele, a doença no estado evolui de forma diferente a do resto do país, onde, apesar do aumento de casos, há redução de casos graves e óbitos.
Chioro comparou os números com os resultados do país, onde as notificações subiram em menor proporção, de 73.135 para 174.676, aumento de 139%. Já os casos com sinais de alerta caíram 28%, de 771 para 555, e as mortes também tiveram redução, de 62 para 39.
Entre os municípios que não conseguiram evitar a explosão da dengue citados por Chioro está Catanduva, a grande cidade paulista com maior incidência até o momento. Lá a taxa de infecção é de 5,6 mil habitantes a cada 100 mil, número bastante acima dos 300 por 100 mil usados como parâmetro para definir que há uma epidemia.
Chioro afirmou que os municípios ainda podem amenizar a situação se trabalharem melhor na prevenção e no manejo clínico. Ele afirma que a hidratação é uma das principais medidas no tratamento da dengue e que erram municípios que esperam a abertura de vagas em leitos para iniciar o tratamento.
Nesta sexta, o ministro vai se reunir com o secretário de estado da Saúde, David Uip, para ajustar ações contra a dengue que podem ser adotadas no estado, especialmente nos municípios em situação de epidemia.
Água
Chioro comentou ainda que a crise hídrica pode ter contribuído para a explosão de casos em São Paulo, mas que não se pode "botar a culpa em São Pedro".
Ainda assim, o fato de o verão não ter acabado e de ainda existe um período de chuvas até abril, em meados do próximo mês é que deve ser alcançado o pico da dengue no país.