27 de fevereiro de 2015

Pais: autoridade x abuso de poder

Neste mês, a Graça Filmes lança, no Brasil, o filme Lição de Vida. Inspirado em histórias reais, a trama faz um alerta aos pais a respeito da influência que suas atitudes podem exercer em seus filhos.
Um problema grave – o abuso físico e moral de crianças protagonizado por quem deveria protegê-las – tornou-se caso de polícia. Aproximadamente um ano após ser sancionada, em nosso país, a polêmica Lei da Palmada, uma pergunta vem à tona: essa lei anula ou controla a autoridade paterna?
Para a Cris Poli, a Supernanny, “bater não educa. Simplesmente interrompe um comportamento indesejado sem explicação, ou descarrega sobre as crianças nervosismo, estresse, irritação e mal-estar por situações alheias a elas, que não ensinam o bom comportamento nem mudam a maneira de agir. [Esse ato] tão somente agride, machuca e deixa nelas um sentimento de impotência e rebeldia”.
A história de Eli (Miles Elliot), no filme Lição de Vida, apresenta algumas marcas que um ambiente familiar degradante pode imprimir nesses pequenos. A agressividade e a falta de confiança são algumas sequelas deixadas nesses meninos e meninas que tiveram negado o direito a uma infância saudável.
Segundo Cris Poli, “o ambiente em que as crianças crescem tem o poder de influenciar o comportamento delas. Violência gera violência, e amor gera amor. A maneira de lidar com crianças que cresceram em um ambiente hostil é com muito amor, paciência, palavras de incentivo e elogio, para fortalecer a autoestima, que, certamente, deve estar bastante machucada e com feridas profundas que precisam ser curadas”.
Ela ainda afirma que “esses traumas influenciarão profundamente os pequenos, já que foram traídos na confiança, maltratados e feridos física e emocionalmente, sem saber como reagir ou se defender. Além disso, o mais brutal é que essas situações acontecem nos lares até com os próprios pais”.
De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a família, o Estado e a sociedade são responsáveis pela proteção dos menores e devem assegurar o desenvolvimento físico, psicológico, moral e social deles.
Ygor Siqueira, diretor da Graça Filmes, ressalta que “toda criança tem o direito de brincar, aprender, criar, dentre outros, para desfrutar da inocência da infância”. Algumas frases ditas às crianças, como: “eu não o amo mais”, “você não serve para nada”, “você faz tudo errado”, por exemplo, podem torná-las violentas, sem criatividade e transformá-las em adultos problemáticos.
A Supernanny, brasileira declara que “os pais tem um papel fundamental na formação dos filhos, porque são referenciais de comportamento, atitudes, expressão de valores e princípios no dia a dia e na interação com as crianças”.
Ygor comenta que “esse lançamento tem o objetivo de mostrar aos pais que eles são um espelho para seus filhos. Portanto, são suas nobres atitudes que os farão, no futuro, grandes homens e mulheres”.