6 de fevereiro de 2015

Igreja Evangélica tem crescimento constante no Peru


Igreja Evangélica tem crescimento constante no Peru


Número de cristãos evangélicos dobrou em quase 15 anos

No Peru, a Igreja Evangélica tem experimentado um crescimento constante nos últimos anos. O número de cristãos evangélicos dobrou em quase 15 anos, após se implantado no país a pregação do Evangelho. Pastor afirma que “Deus quer que o Evangelho continue a ser pregado no país”. De acordo com o último censo realizado pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INEI) em 2007, a população que confessava seguir a religião evangélica era de 12,5%.
O pastor da Igreja Emmanuel, Saul Gutierrez, numa estimativa baixa, vê esta porcentagem chegar aos 15%, devido segundo ele: “O testemunho das pessoas, a transmissão da Palavra junto com outras ações constantes tem sido fundamental para o desenvolvimento do evangelismo”, disse ao Diário Correio de Lima.
Todos os dias vemos muitas pessoas se afastarem da igreja Católica. “Isso ocorre porque não se estabelece uma forte relação com Deus e a maioria estão na religião por tradição. Em contrapartida, os evangélicos se aprofundam mais na Palavra e constantemente adoram o Senhor”, diz o pastor Gutiérrez.
Ao contrário dos católicos,os evangélicos acreditam que a salvação não é alcançada pelas obras, mas sim pela fé. “Enquanto o catolicismo dá ênfase as coisas que se é feita, nós promovemos a fé viva em Jesus Cristo”, diz Othniel Pardo, pastor da Igreja da Graça Missão Cristã da Graça Reina.
A quantidade de evangélicos peruanos dobrou entre 1993 e 2007. De acordo com o pastor Guillermo Aguayo, as atividades promovidas pelas igrejas também estão envolvidas neste crescimento. ”Os cristãos, além de participar de culto de domingo, vão para diferentes seminários. Os eventos do estádio com grande número de pessoas, o aumento de domicílios cristãos com televisão e mais de 18.000 templos de adoração mostram a expansão dos evangélicos no país."
O pastor El Pardo diz que o crescimento vai continuar nos próximos anos. “O que Deus nos diz é que o Evangelho vai continuar a ser pregado até os confins da Terra”, conclui