1 de fevereiro de 2015

Famílias missionárias da JOCUM terão vistos renovados no Reino Unido


Famílias missionárias da JOCUM terão vistos renovados no Reino Unido


Setor que cuida dos procedimentos de vistos de imigrantes no Reino Unido fez o comunicado no último dia 27

Mais de 350 famílias que trabalham com o ministério evangelístico JOCUM no Reino Unido, após serem ameaçadas de serem expulsas e voltarem aos seus países de origem por problema na documentação, estão aliviados, pois suas licenças de estadia podem ser renovadas.
Desde que o setor que cuida dos procedimentos de vistos de imigrantes no Reino Unido comunicou no dia 27 de janeiro que o governo concedeu um novo estatuto que permite às famílias renovar os vistos de estadia no país, as mais de 350 famílias envolvidas no ministério JOCUM (Jovens com uma Missão), respiraram aliviadas, pois estavam prestes a serem deportadas por problemas nas documentações e suas licenças de estadia no país poderiam ser revogadas a qualquer momento.
“Estamos muitos agradecidos ao Senhor por este resultado positivo, mas admitimos que aprendemos várias lições duras, sobre nossos procedimentos internos e nossos cuidados com os registros. Nós já estamos implementando grandes mudanças nessas áreas para podermos trabalhar e viver de acordo com as expectativas do governo”, explicou a organização missionária em um comunicado em suas redes sociais.
A organização cristã afirmou que “temos respeitado e apoiado as iniciativas do governo em busca legitimas de organizações fraudulentas que tentam burlar ou fugir das leis de vistos no Reino Unido. Estamos muito contentes que o problema tenha sido resolvido na JOCUM e, assim, não ser considerado parte dos tais grupos".
No comunicado a JOCUM explicou a grande importância da decisão do governo em renovar os vistos de estadia: “As consequências para a JOCUM de não terem as licenças renovadas teria sido profunda. Várias centenas de missionários voluntários teriam sido informados que eles não teriam mais o direito de permanecer no Reino Unido e que teriam que deixar o país ou procurar uma outra instituição para lhes dar apoio”.
“Em termos absolutos, quase a metade dos missionários da JOCUM (cerca de 300 pessoas, além de cônjuges e filhos) teriam sido obrigados a fazer planos futuros alternativos.”
A JOCUM em nota diz: “Agradecemos a Deus que esta situação foi tão satisfatoriamente resolvida e desejamos oferecer nossos sinceros agradecimentos a todos aqueles que deram apoio a nós durante este tempo de provação. Sentimo-nos apoiados e incentivados a permanecermos totalmente comprometidos com o nosso lema que é: “Conhecer a Deus e fazê-lo conhecido pelos outros”, concluem.