26 de fevereiro de 2015

Escreva para o pastor Makset e sua família no Cazaquistão


Escreva para o pastor Makset e sua família no Cazaquistão


País ocupa o 42º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa

Mesmo temporariamente livres da perseguição, o pastor Makset e sua família contam com sua ajuda para descansarem no Senhor em meio às dúvidas.
Ele teve o nome na lista de “Procurados” do governo uzbeque. Seu crime: liderar igrejas domésticas sem a devida autorização. Foi assim que começou a saga do pastor Makset Djabbarbergenov, em 2007. Para evitar a prisão, Makset fugiu com a família para o Cazaquistão, um país vizinho. Lá, receberam status de refugiados, concedido pela Organização das Nações Unidas. Mas em 2012, sua história começou a tomar outro rumo.
O Uzbequistão trocou as acusações feitas contra o pastor; agora, ele era procurado por “terrorismo”, e o governo uzbeque exigia que o pastor fosse extraditado do Cazaquistão. Lá, Makset seria julgado e, se fosse considerado culpado (o que era muito provável), seria condenado a quinze anos de prisão.
Em setembro de 2012, as autoridades cazaques o prenderam, para que sua deportação fosse arranjada. Os movimentos de sua esposa, Aygul, que estava grávida na época, e dos quatro filhos do casal eram monitorados diariamente pela polícia.
Após três meses, a Suécia ofereceu asilo à família, possibilitando a libertação de Makset. Mas a alegria veio acompanhada de um toque de dor: eles não podem visitar seu país natal e nenhum outro da região até 2017.
Muitos por quês
Makset e a família ainda estão se acostumando à vida na Europa. “Ainda não sabemos por que estamos aqui. Mas vamos seguir em frente e recuperar nossa saúde”, diz Aygul, que busca com o marido a direção de Deus para a vida deles.
As palavras de Makset ecoam a incerteza da esposa: “Há muito a ser feito no campo turcomano, então me pergunto diariamente, desde que chegamos à Suécia: ‘Por que estamos aqui? Para onde iremos?’”.
Envie seu apoio
Ainda que não possamos responder às dúvidas da família, podemos encorajá-la fazendo-a se lembrar de que não está sozinha. Você pode ajudar, enviando uma mensagem de apoio, por meio de um cartão, até o dia 29 de maio de 2015, endereçado para:
MAKSET E AYGUL
A/C Portas Abertas Brasil
Caixa Postal 12.655
CEP 04744-970
São Paulo, SP