27 de fevereiro de 2015

Deputado Hugo Motta é eleito presidente da CPI da Petrobras


Deputado Hugo Motta é eleito presidente da CPI da Petrobras


Parlamentar venceu disputa contra a candidatura avulsa de Ivan Valente (PSOL-SP), que teve 4 votos. Luiz Sérgio (PT-RJ) foi designado relator

Conforme previsto, o deputado Hugo Motta (PMDB-PB) foi eleito presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, no começo da tade desta quinta-feira (26/2). Motta venceu o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), que apresentou uma candidatura avulsa. O deputado paraibano obteve 22 votos, ante 4 de Valente. Houve também um voto em branco, e a votação é secreta. Uma vez eleito, Hugo Motta indicou o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) para relator da Comissão, conforme acordo costurado entre PT e PMDB ao longo da semana. A CPI começa a receber requerimentos na próxima segunda-feira, com sugestões para audiências, convocações e requisições de documentos. 
Mais cedo, a CPI enfrentou um tumulto depois da apresentação, pelo PSOL, de uma questão de ordem pedindo que sejam afastados da CPI os deputados que receberam dinheiro de empreiteiras investigadas pela Lava Jato. Prestações de contas entregues ao Tribunal Superior Eleitoral mostram que boa parte dos parlamentares titulares da CPI receberam doações das empresas investigadas, inclusive o presidente Hugo Motta e o relator Luiz Sérgio.
Motta, por exemplo, recebeu R$ 451 mil das empresas Andrade Gutierrez e Odebrecht. Já Luiz Sérgio levou R$ 962,5 mil das empresas Queiroz Galvão, OAS, Toyo Setal e UTC. “Solicito a vossa excelência, observadas as regras regimentais e em consonância com os princípios constitucionais, sejam destituídos da presente Comissão Parlamentar de Inquérito os parlamentares que tenham recebido, direta ou indiretamente, financiamento de campanha oriundo das empresas citadas”, diz um trecho da moção do PSOL, que acabou rejeitada pelo deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que presidia a sessão no momento.