31 de janeiro de 2015

Presos no Natal, onze cristãos permanecem detidos no Irã


Presos no Natal, onze cristãos permanecem detidos no Irã


País ocupa o sétimo lugar na Classificação da Perseguição Religiosa

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido demonstrou sua preocupação com o governo iraniano sobre a detenção na notória prisão Evin do ex-líder da Igreja Pentecostal Assíria de Teerã, bem como duas outras pessoas cujo paradeiro permanece desconhecido.
O pastor Victor Beth Tarmez, de 60 anos, e dois outros cristãos, que eram seus convidados, foram presos quando agentes de segurança do Estado iraniano invadiram a casa de Victor durante a celebração do Natal que ele realizava na noite de 26 de dezembro. A reunião foi considerada “não autorizada e ilegal”.
 
Mansour Borji, da comissão Artigo 18 do Conselho de Igrejas Iranianas Hamgaam (“Caminhando juntos”, em dari), afirmou ao World Watch Monitor (WWM) que a família de Victor está receosa quanto à sua saúde por ele ser diabético. Borji também disse que os detalhes da verdadeira acusação pela qual ele está preso ainda não estão claros.
Ao WWM, Borji afirmou que Victor foi forçado a falar em farsi com sua família em uma chamada telefônica muito breve, da prisão, em vez de usar sua língua nativa assíria, para que os guardas pudessem monitorar o que era dito.
O Ministério das Relações Exteriores britânico escreveu: “O governo do Reino Unido está profundamente preocupado com a atual perseguição de minorias religiosas do regime iraniano, incluindo os cristãos. O Reino Unido e a comunidade internacional esperam que o Irã viva de acordo com o direito à liberdade de religião e crença, como prescrito no Artigo 18 do Acordo Internacional dos Direitos Políticos e Civis”.
Mais prisões durante o Natal
Mansour também confirmou ao WWM que mais oito cristãos foram presos no dia de Natal em uma casa na província de Teerã e, desde então, foram transferidos para uma localidade desconhecida.
São eles Mehdi Kian, Ali Sadraddin, Mohammad Kazemi, AzinFaroudi, Mohammad Hossein Moridian, Maryam Narimani, AlirezaNasiri e Matin.
Outra organização, Middle East Concern, relatou que, no Natal, foi registrado um total de 24 prisões de cristãos, embora acrescente que, separadamente, cinco outros cristãos foram soltos recentemente da prisão, alguns sob fiança e de forma condicional. Um deles, Amin Khaki, estava preso desde março de 2014.
Classificação da Perseguição Religiosa
O Irã é o sétimo país na Classificação da Perseguição Religiosa. A lista classifica as 50 nações onde viver como cristão é mais difícil, e é elaborada anualmente pela Portas Abertas.