22 de janeiro de 2015

Cristãos coreanos são obrigados a descartar literatura cristã após leitura

Na Coreia do Norte é considerado crime possuir Bíblia ou qualquer material de conteúdo cristão

Além da ajuda com alimentos e itens de necessidade básica, a Portas Abertas apoia a Igreja norte-coreana com literatura cristã, um item de valor inestimável para os cristãos que vivem em um país onde é proibido possuir uma Bíblia. Contudo, é preciso ter muita cautela.
O governo da Coreia do Norte reprime materiais ilegais, o que obriga os cristãos a se desfazer do conteúdo que recebem logo depois que leem. A solução que muitos encontram é memorizar tudo o que está escrito, para que o conhecimento adquirido, tão raro de ser encontrado, não se perca. 
Mesmo sob tais circunstâncias, os líderes da Igreja norte-coreana relatam o crescimento espiritual na vida desses irmãos proporcionado por meio da ajuda de parceiros da Portas Abertas. "Como cristãos, líderes e soldados de Cristo, somos capazes de nos comprometer ainda mais com o Senhor através do amor e apoio que muitos irmãos ao redor do mundo nos fornecem", um dos líderes explica. "Estamos muito orgulhosos de sermos cristãos e, cada vez mais, entusiasmados na realização de nosso ministério. Nunca vou esquecer a indescritível dedicação, apoio incondicional e contribuição para a Igreja na Coreia do Norte”, conclui. 
Em 2015, a Coreia do Norte completa 13 anos consecutivos como o país mais perseguidor aos cristãos. Forçados a viver somente em segredo, os cristãos não ousam compartilhar sobre a sua fé nem mesmo com seus familiares, por medo de serem enviados a campos de trabalho forçado (onde cerca de 50 a 70 mil cristãos estão presos)