24 de setembro de 2014

Extremistas muçulmanos se inspiram em GTA e criam jogo de videogame que estimula matar cristãos e judeus

O grupo de extremistas muçulmanos Estado Islâmico anunciou que vai lançar um jogo de videogame que ensina a matar cristãos e judeus, nos moldes do popular Grand Theft Auto (GTA).
Segundo a imprensa internacional, o Estado Islâmico afirmou que no jogo, os entusiastas do extremismo islâmico poderão participar de uma jihad fictícia contra os forças militares dos Estados Unidos e Iraque.
Essa seria mais uma estratégia de recrutamento e doutrinação usada pelos terroristas para atrair adeptos ao islamismo. O grupo já tem usado as mídias sociais de forma intensa para divulgar seus ideais e atrair jovens voluntários para a guerra.
A mesma estratégia foi usada nos últimos anos pelo Exército dos Estados Unidos para recrutar jovens.
O jogo, chamado Flames of War – Fighting Has Just Begun (“Chamas da Guerra – A luta apenas começou, em tradução livre”), ganhou um trailer na última semana. O vídeo já foi acessado original foi acessado centenas de milhares de vezes antes de ser removido do YouTube. Cópias do vídeo feitas por outros usuários da plataforma de streaming já beiram um milhão de visualizações.
Segundo informações do portal Noticia Cristiana, o jogo será produzido pela empresa Al Hayat Media Center, e simulará combates de militantes do Estado Islâmico com soldados iraquianos e norte-americanos, com uma série de explosões. A proposta do jogo é promover a jihad (“guerra santa”) contra cristãos e judeus, assassinando o maior número possível.
O Estado Islâmico afirma que o jogo foi concebido para “elevar o moral dos militantes e ensinar as crianças e jovens a lutar contra o Ocidente e incentivar o medo nos corações daqueles que se opõem ao Estado Islâmico”.
No jogo, a cada inimigo morto, o jogador ouve a frase “Allahu Akbar“, que significa “Deus é grande”. Segundo informações prévias, o jogo poderá ser baixado gratuitamente, mas o lançamento ainda não foi anunciado de forma oficial.