24 de setembro de 2014

Estado Islâmico quer matar o Papa Francisco, diz embaixador iraquiano

Em entrevista ao jornal italiano La Nazione o embaixador do Iraque junto à Santa Fé, Habbed Al Sadr, afirmou que o Papa Francisco está sendo ameaçado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).
As informações sobre esta afirmação foram divulgadas para todo o mundo através do Daily Mail e servem de alerta para que o líder católico seja protegido durante a visita que fará a Albânia e Turquia, dois países de maioria muçulmana.
O embaixador iraquiano garante que as ameaças são reais. “O autoproclamado Estado Islâmico foi claro: eles querem matar o Papa”.
Para tentar matar Francisco, o grupo estaria recrutando seus integrantes de diversas nações. Al Sadr garante que o papa corre risco de morte em qualquer lugar do planeta.
“Quero deixar claro que não tenho nenhum conhecimento sobre os futuros planos dos terroristas. Mas a regra do Estado Islâmico é clara: ou a pessoa se converte à religião deles ou morre. Com o Papa, a morte seria a única opção que eles dariam”, disse.
O porta-voz do Vaticano, padre Frederico Lombardi, afirmou à imprensa que não há medidas de segurança avançadas para guardar o líder católico durante a visita nesses países muçulmanos, acredita-se que a Santa Sé esteja desvalorizando as informações do embaixador.
No final de agosto o jornal italiano II Tempo chegou a comentar que o Papa era alvo do EI, segundo a publicação os extremistas querem matá-lo por ser “um portador da verdade falsa” se referindo ao cristianismo. Outro motivo da revolta do Estado Islâmico foi a aprovação do Papa para as ações americanas no Iraque, com o objetivo de acabar com os terroristas. Com informações Terra.