25 de setembro de 2014

MENSAGEM DO DIA

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

João 3:16-17

ASSISTA ESSE VÍDEO PASTOR SILAS MALAFAIA FALANDO SOBRE O PT


Videos impactantes que vai estimular sua vida para melhor


A incrível resistência de Marina Silva nas pesquisas; veja

Nesta terça-feira (23) “saiu do forno” mais uma pesquisa presidencial. O que chama a atenção é que os números mostram praticamente o mesmo panorama de um mês atrás.
Apesar dos inúmeros ataques de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) e toda sorte de especulações vazias, a candidata Marina Silva (PSB) se mantém inabalável nas pesquisas, mesmo adotando a postura moderada de não se digladiar com seus oponentes diante dos ataques dos mesmos.
Se a eleição fosse hoje, segundo o Ibope, Dilma Rousseff (PT) teria 38% das intenções de voto, contra 29% de Marina Silva (PSB). Aécio (PSDB) aparece com 19%. Há um mês, estes números eram, respectivamente, 34%, 29% e 19%.
Arte: G1

Arte: G1

Nepal: cantora pagã se converter ao cristianismo e é perseguida


Anju Panta afirma que se converteu ao cristianismo porque encontrou “paz” no Senhor. Além disso, respondendo às críticas que sua conversão provocou entre os radicais hindus e à campanha de difamação lançada por eles, ela diz: “Não tenho nada a dizer para aqueles que estão me criticando. Pode ser que seja o plano de Deus e agora estou sob a graça dele”.

Imagem: Reprodução/Nepali SitesMuitos cristãos, especialmente aqueles que se convertem a partir de outras religiões, sofrem forte rejeição por causa de sua nova fé.
A cantora ainda afirma: “Minha fé não me permite adorar a divindade hindu através da música”. Esta decisão desencadeou a fúria de grupos radicais hindus, mas também a admiração da comunidade cristã.
No Nepal, 81% da população são de fé hindu. De 26,6 milhões de pessoas, os cristãos são pouco mais de 150 mil (0,4%), e cerca de 7,2 mil são católicos. Segundo site ‘Portas Abertas’, há um movimento crescente no país de radicais nacionalistas que querem fazer do Nepal uma nação oficialmente hindu.
Silas Bogati, um líder cristão na capital explica: “Há vários desafios para se tornar cristão no Nepal”. Ele aconselhou a comunidade cristã local a permanecer firme na fé, pois Deus dará o poder para superar tais obstáculos.

Vaticano prende ex-embaixador do Papa por pedofilia


O polonês Jozef Wesolowski era núncio na República Dominicana. Ele foi afastado no começo deste ano

O Vaticano disse nesta terça-feira (23) que prendeu um ex-arcebispo acusado de pagar por sexo com crianças enquanto era um núncio apostólico (embaixador do Papa) na República Dominicana, informa a agência Reuters.
Jozef Wesolowski está em prisão domiciliar, informou o Vaticano em um comunicado.
Wesolowski é a figura mais proeminente da Igreja a ser presa desde que Paolo Gabriele, um ex-mordomo papal, foi condenado em 2012 por roubar e vazar documentos privados do Papa Bento XVI.
Diferente de Gabriele, Wesolowski não foi detido na prisão do Vaticano, poucos quartos anexados a um tribunal, mas foi colocado em prisão domiciliar em um apartamento do Vaticano por razões médicas.
Wesolowski foi afastado por um tribunal do Vaticano no começo deste ano e aguardava julgamento e acusações criminais. De acordo com a France Presse, o Vaticano abriu nesta terça um julgamento criminal contra o ex-núncio por pedofilia.
Ele estava morando em liberdade em Roma, e vítimas de abuso sexual pediam sua prisão, expressando preocupação de que ele pudesse fugir.
O Vaticano disse que esta detenção reflete o desejo do Papa Francisco “que um caso tão grave e delicado seja tratado sem atraso, com rigor justo e necessário”.

Pastor lista “sinais da vinda de Cristo” e diz que a Grande Tribulação começará no próximo ano


Pastor lista “sinais da vinda de Cristo” e diz que a Grande Tribulação começará no próximo ano

A aparição das luas de sangue no início deste ano ainda rende discussões no meio cristão, e agora um teólogo afirma que o período da Grande Tribulação descrito no Apocalipse se iniciará em 2015.
Mark Biltz é um teólogo, pastor e estudioso sobre profecias, e acredita que há sinais claros que estão no céu e na terra de que a Grande Tribulação começará em um ano, no máximo. Para ele, a aparição da primeira lua de sangue na última Páscoa marcou o início do processo.
Desde 2008 ele vem fazendo o que ele chama de “alerta para a Igreja”, através das quatro luas de sangue em datas proféticas entre 2014 e 2015, segundo informações do portal Noticia Cristiana.
Judeu, Biltz passou anos estudando as profecias de Gênesis sobre o sol e a lua, onde a Bíblia afirma que as luzes no céu serviriam como “sinais para as estações do ano”. “O termo hebraico significa que ele não é apenas um sinal, mas um sinal da Sua vinda”, explica Biltz, que explica que a palavra traduzida como “estações” tem o significado de “certo tempo”, o que significa que as celebrações do feriado estabelecidas por Deus no Antigo Testamento seguem o calendário lunar adotado por judeus.
“Os eventos são agora fora de controle”, escreveu o pastor em um artigo. A lista destes “eventos”, inclui ataques contra os cristãos por muçulmanos radicais como Estado Islâmico e Boko Haram. Ele também menciona o surto de Ebola na África, que afeta pelo menos cinco países e ameaça tornar-se uma epidemia continental.
O pastor afirma que, embora com menos espaço na mídia, os ataques terroristas em Jerusalém têm crescido exponencialmente nos últimos meses, de acordo com o Serviço de Segurança de Israel (Shabak).
Em um estudo sobre terremotos, o aumento dos tremores que atingiram mais de 6 pontos na escala Richter foi confirmada. 116 terremotos ocorreram este ano, 70 deles durante a primeira lua do sangue. Ou seja, em 2014, um crescimento médio superior a quatro vezes em relação aos grandes terremotos na última década.
Biltz diz ainda não ter dúvidas de que estas são “as dores de parto da vinda do Messias”, e afirma que estamos vivendo o relógio profético.

Choro em bueiro revela paradeiro de bebê e de mãe na Argentina

Menina de um ano e oito meses foi encontrada ao lado do corpo da mãe, Paola Acosta, em caso que gerou repercussão no país.


O choro de uma criança de um ano e oito meses de idade ajudou a polícia a localizar o seu paradeiro e o de sua mãe, desaparecidas havia dias na província de Córdoba, no centro do país.
A menina, Martina, foi encontrada dentro de um bueiro ao lado do corpo da mãe, Paola Acosta, de 36 anos, segundo os moradores e a polícia local.
Elas estavam desaparecidas desde a noite da quarta-feira passada (17) e foram localizadas no último domingo (21) quando moradores ouviram os prantos da criança.
O caso causou comoção entre os argentinos e nesta quarta-feira (24) ainda continuava entre os temas mais comentados nas redes sociais.
A tia de Martina, Mariana Acosta, publicou uma foto da mão da criança apertando a dela no hospital onde a menina está recebendo tratamento pelas horas que passou em contato com água e lixo, ao lado do corpo de Paola.
De acordo com os médicos que a atenderam, ela sofreu "um quadro violento de hipotermia, além de fraturas e infecção decorrente do contato com água poluída".
"Ela está consciente e com fome e devemos esperar para ver como seu quadro evolui. Até o momento está estável", disse a médica do Hospital de Niños de Córdoba, Fernanda Marchetti, onde a menina está internada.
Detetives do caso afirmaram que "o mais provável" é que elas tenham sido levadas para o bueiro "muito depois" da morte de Paola. "A criança não teria resistido tanto tempo naquele lugar e alguém já teria ouvido seu choro", disseram os investigadores à imprensa local.
Suspeito preso
De acordo com a polícia e a imprensa argentina, Paola tinha saído de casa com a criança nos braços para encontrar o ex-namorado, Gonzalo Lizarralde, para receber dele a pensão alimentícia.
No dia seguinte, os outros dois filhos de Paola, de 14 e 16 anos, afirmaram à polícia que as duas não tinham voltado para casa.
Lizarralde, que é pai de Martina, foi preso a pedido do promotor do caso. O advogado dele, Sebastián Maccari Gaido, disse aos jornalistas que seu cliente é inocente. "Ele entregou o dinheiro a ela e foi embora", disse Maccari Gaido.
Parentes da vítima contaram à imprensa local que Lizarralde teve um namoro rápido com Paola. Exames recentes de DNA comprovaram que Martina era filha dele.
No fim de agosto, Lizarralde pagou a primeira parcela da pensão alimentícia e na quarta-feira, quando Paola e a filha sumiram, Lizarralde deveria pagar a segunda parte.
Crimes passionais
O caso gerou manifestações públicas e colocou novamente no foco das atenções os crimes passionais na Argentina, principalmente em Córdoba. De acordo com organizações dedicadas ao assunto, Paola foi a 10ª vítima fatal de violência de gênero na província.
A presidente da ONG Casa del Encuentro, Ada Rico, que auxilia vítimas deste tipo de violência, disse à BBC Brasil que 1.256 mulheres foram vítimas fatais de violência de gênero entre 2008 e 2013.
"O caso de Paola não foi o pior que já vimos, mas, sem dúvida, o que nos causou a todos uma forte comoção pela crueldade. Crueldade de como ela foi deixada (morta) e de sua filhinha deixada durante horas em um bueiro. Foi crueldade demais", afirmou Rica.

Psicóloga conta sua relação com menino doente pelo ebola na Libéria

Ane Fjeldsæter, de 31 anos, saiu da Noruega para ajudar em Monróvia.
Epidemia de ebola já causou 2.811 mortes na África Ocidental.


Na imagem à esquerda, a psicóloga Ane e o menino Patrick "do outro lado da cerca"; à direita, o garoto liberiano segura o diploma de curado do ebola (Foto: Morgana Wingard/Médicos Sem Fronteiras)


A psicóloga Ane Bjøru Fjeldsæter, de 31 anos, ficou um mês trabalhando em Monróvia, na Libéria, pelo Médicos Sem Fronteiras. O país é mais afetado pelo ebola, com 1.677 óbitos em 3.280 casos registrados (até 24 de setembro).
Moradora de Trondheim, na Noruega, ela conta em depoimento uma das experiências que mais marcaram durante a estadia na área afetada pelo vírus.
Ao site do jornal norueguês "Dagbladet", Ane conta que, antes de atuar na Libéria, trabalhou em um campo de refugiados do Sudão do Sul e auxiliou doentes pelo ebola em Serra Leoa. Sobre a epidemia, ela disse sentir que "apagava um incêndio florestal com uma pistola de água". Ela considera o seu trabalho de psicóloga importante, porque "ajuda as pessoas isoladas por causa do ebola a se sentirem menos sozinhas".
Veja abaixo o depoimento.
Meu amigo do outro lado da cerca
A Libéria está dividida por uma cerca dupla laranja. Construímos isso para manter a doença sob controle. Construímos para nos separar (os saudáveis, os privilegiados) deles (os doentes, os necessitados). Construímos a cerca para nos sentirmos menos mortais. A fizemos com um nobre propósito de barreira sanitária.

Patrick está no interior da cerca, eu, do lado de fora. Eu o vejo todos os dias e nós sorrimos e acenamos um para o outro. Ele é apenas uma criança, mas está brincando com meninos cinco vezes mais velhos, como se estivesse tentando compensar o fato de ser jovem demais para morrer.
Eles jogam dama e pôquer quando têm energia para isto e escutam a BBC Africa pelo rádio que eu trouxe um dia na minha roupa de “invasora espacial”. Patrick tem um sorriso torto, tímido, e um hematoma perto do olho direito. Acaba de perder sua mãe, mas seu pai está com ele neste lugar horrível.
Todo dia eu digo a mim mesma: Ane, não perca o seu coração para esta criança que logo não estará mais entre os vivos. Ele está aqui por uma semana e, então, terá partido para sempre. Como você vai fazer o seu trabalho quando ele se for?  Você não sabe com o que está lidando? “Isso é coisa do ebola”, como dizem no rádio. Taxa de mortalidade de 90%. As pessoas que estão daquele lado da cerca não voltam para este lado. Você sabe que é perigoso se aproximar.

Digo isso a mim mesma todos os dias e nunca ouço. É impossível não olhar para o sorriso torto dele quando eu chego ao trabalho pela manhã. É impossível não notar as pequenas mudanças diárias em seus níveis de energia. Não resisto em acenar para ele ou verificar seu rosto e seu prontuário médico por qualquer indicação, qualquer uma que me permita ter esperança de que ele vai melhorar.
Tudo que me permita ter esperança de que vamos jogar pôquer juntos um dia, sem todo o incômodo de eu ter que usar máscara, óculos de proteção e luvas duplas.
Efeito ebola
Então, a manhã horrível chegou. Aquela para a qual eu tinha tentado me preparar. A manhã na qual Patrick não acenava mais. Eu olho através da cerca e o vi deitado em um colchão na sombra. Seus amigos mais velhos o rodeiam, na ponta dos pés, preocupados.
Eu me visto. Temo o pior. Faço o meu caminho passando pela enfermaria. Seu pai me diz que Patrick se queixou de dores no estômago durante toda a noite. O menino tem os lábios ressecados, febre, olhos brilhantes e nada da sua energia habitual. Ele tenta sorrir quando me vê.

- Patrick, meu amigo, você não parece tão bem. Me preocupa te ver assim. Posso fazer alguma coisa por você?
Ele olha para cima, sussurra alguma coisa. Eu me inclino em minha “roupa espacial”. O que ele disse?
- Eu disse, você pode me arranjar uma bicicleta?

Oh, Patrick, onde você andaria de bicicleta? Você amava sua mãe e estava perto dela quando ela ficou doente. Agora você está rodeado por cercas laranjas e nunca vai aprender a andar de bicicleta. Você acha que isso é apenas uma dor de estômago? Seus amigos mais velhos não te falaram sobre o ebola? Ou será que eles abaixaram o volume quando na BBC África falaram que, em breve, você estaria evacuando sangue?
Saio do lugar. Não quero começar a chorar dentro dos meus óculos de proteção. Eu me odeio por ter conhecido esse garoto. Por que eu nunca fico em casa?
Tiro o resto do dia de folga. Prometo a mim mesma que vou procurar um emprego normal.
Na manhã seguinte, algo me leva de volta. Quero estar lá pelo pai de Patrick, não importa o que ele estiver passando. Ele parece cansado, mas sorri assim que me vê do outro lado da cerca. Assim que sento numa cadeira ao seu lado, alguém me manda um sorriso torto e tímido. Acenamos.
Vejo que Patrick não tem energia para sair da cadeira, então me visto com a roupa especial para entrar na área de isolamento. Apesar de ver apenas uma fração do meu rosto, ele me reconhece:
- Vejo minha amiga. Não vejo minha bicicleta!
Não posso contar a ele que não achava que sobreviveria até o dia seguinte. Tento encontrar as palavras certas. Posso dizer que me esqueci? Patrick olha para mim com firmeza.
- A mulher esquece, mas o homem não!
Patrick, de onde você tira essas coisas? Esse é o tipo de conversa que você ouve do seu grupo? Prometa que vai começar a brincar com crianças da sua idade um dia.
Patrick recebeu alta no domingo passado com o pai. Ambos pareciam cansados. Eu mal podia acreditar que Patrick tinha se curado do ebola antes que o hematoma perto de seu olho direito desaparecesse. Ele tinha emagrecido tanto, que tivemos de amarrar suas calças com um pedaço de barbante.
Receber alta do centro de tratamento é algo confuso. Depois de semanas nas quais as pessoas têm medo de chegar perto de você, de repente, elas querem te abraçar e te beijar. Isso pode confundir qualquer um, até mesmo um jovem experiente como Patrick.
Nas raras ocasiões em que alguém se recupera, fornecemos um certificado que comprova sua cura. Patrick Poopel, de pé aqui do meu lado da cerca, sorrindo timidamente e segurando certificado de cura de ebola, pronto para aprender a andar de bicicleta.
Ao contrário do que se poderia pensar, Patrick, isso é algo que a mulher nunca vai se esquecer

Marina defende política econômica sem aventura e sem desperdícios

Candidata do PSB quer órgão para verificar gasto e dar transparência fiscal.
No Bom Dia Brasil, ela falou de subsídios, agronegócio e negou fragilidade.


A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, afirmou que, para a economia brasileira voltar a crescer com baixa inflação, é necessário um governo que não vá se "aventurar" na política econômica e corte gastos que geram "desperdício" de recursos públicos. Só assim o país teria credibilidade para atrair investimentos, disse a candidata em entrevista realizada nesta quarta e exibida nesta quinta-feira (25) no Bom Dia Brasil.
Nós vamos fazer com que o Brasil volte a crescer. Uma boa parte do capital que o Brasil precisa não é tangível, é intangível. É confiança, credibilidade, respeito a contrato, criar um ambiente que favoreça os investidores a voltar a investir no Brasil. Isso só será possível com um governo que tenha legitimidade e que, de antemão, estabeleça o seguinte: nós não vamos nos aventurar em política econômica, não vamos inventar a roda", afirmou Marina.

A candidata disse que a política econômica vinha dando certo desde o governo de Itamar Franco, passando pelas gestões de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, mas foi interrompida por Dilma Rousseff, que, segundo ela, "se aventurou". "Agora nós temos o nosso país com baixa credibilidade, pouco investimento, juros altos que favorecem o baixo investimento".
Marina disse ter compromisso com o chamado "tripé econômico", receita criada na década de 90 que combina responsabilidade fiscal, câmbio flutuante e regime de metas de inflação. Ela também propôs a criação de um "conselho de responsabilidade fiscal", novo órgão que teria independência para verificar as contas do governo e dar mais transparência aos gastos públicos, de modo a evitar a "ineficiência" e o "desperdício".
"Nós temos um compromisso de que nós não vamos elevar o gasto público acima do crescimento do PIB e o conselho de responsabilidade fiscal tem que fazer com que o governo dê conta dos investimentos estratégicos na área social e, ao mesmo tempo, não vá pelo caminho da ineficiência, que é o que acontece hoje. Hoje o governo gasta de forma ineficiente. Você tem projetos que começam com R$ 6 bilhões, vão sendo reajustados para 10, 20, 30... E, se nós tivéssemos um conselho de responsabilidade fiscal, o governo seria cobrado para evitar este tipo de desperdício", afirmou.
Hoje o Tribunal de Contas da União já é responsável por fiscalizar os gastos do governo. Segundo Marina, o papel do conselho vai ser complementar ao do TCU, para evitar o que ela chamou de "contas criativas" do governo e gastos desnecessário. "Existe o Tribunal de Contas, mas nós não temos outros conselhos que nos ajudem em relação a dar eficiência às ações do governo. Nesse caso, nós já estamos com as contas que são criativas, que são maquiadas, que o céu é o limite", concluiu a candidata.
Questionada sobre a inflação, Marina disse que manterá a meta em 4,5% ao ano, e não uma diminuição deste patamar, como havia proposto Eduardo Campos, que era o candidato do PSB até agosto, quando morreu num acidente aéreo. Indagada sobre o que faria com os preços regulados pelo governo, como energia e gasolina, a candidata disse que Dilma deveria resolver a questão.
Segundo ela, a presidente está “manipulando os preços administrados para ter bons resultados no que concerne a inflação – e mesmo assim ela está alta – para ganhar dividendos políticos”.
Subsídios e bancos públicos
Marina foi questionada sobre o papel que os bancos públicos – BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal – teriam seu governo. Ela disse que eles continuarão com finalidade social, para por exemplo financiar a agricultura e o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, negando que vá enfraquecê-los.
"O que enfraquece os bancos é pegar o dinheiro do BNDES e dar para meia dúzia de empresários; uma parte deles falida, alguns que deram, enfim, um sumiço em bilhões de reais do nosso dinheiro... Esses sim, nós vamos parar com o mau uso".
Antes, Marina também foi indagada se manteria os incentivos para setores da indústria, com redução de tributos. Ela disse que vai “qualificar” essa ajuda, de modo que o governo exija "contrapartidas" dos beneficiários.
"Há necessidade de incentivos para que a indústria e o emprego possam ser protegidos. Isso aconteceu em 2008 naquele momento de fragilidade. O problema é que a continuação do remédio mesmo quando o paciente já deveria ir se preparando para ter autonomia cria situação de dependência", afirmou.
Ela disse que vai enviar, no primeiro mês de governo, uma proposta de reforma tributária que busque justiça, transparência e simplificação no pagamento. Na questão trabalhista, disse que não vai eliminar direitos e benefícios, mas que vai ampliar a formalidade no mercado de trabalho.
Agronegócio e transgênicos
A candidata também foi questionada se tenderia a ficar ao lado de ambientalistas em detrimento da infraestrutura ou do agronegócio. Ela respondeu que as áreas não são “incompatíveis” e disse que conflitos podem ser “manejados”. “Não há esse dilema para produzir e proteger, as duas coisas são inteiramente possíveis”, disse, ao defender maior produtividade em áreas menores.
“O problema do agronegócio não é proteção do meio ambiente, não são índios e quilombolas. É a falta de infraestrutura, de hidrovias, de ferrovias, de termos estradas adequadas para o transporte, armazenagem e portos”. Ela rebateu críticas por “travar licenciamentos ambientais”, dizendo que, em sua gestão como ministra do Meio Ambiente, foram feitas aquelas “mais complexas”.
Na questão dos grãos transgênicos, Marina disse que sempre defendeu um “modelo de coexistência”, com culturas modificadas geneticamente e naturais.
Fragilidade
Marina também comentou sobre o fato de ter chorado ao falar sobre Lula após uma recente entrevista. Ela negou tratar-se de fragilidade e sim que é uma pessoa “sensível”. Atribuiu o episódio ao “pesar” de suas filhas, que se vestiam de vermelho quando crianças por simpatia ao PT e que agora não têm mais orgulho do partido.
“Ter enfrentado cinco malárias, três hepatites, uma leishmaniose, perder a mãe aos 14 anos, ter sido alfabetizada aos 16 anos,  ter passado o que eu passei, vir me dizer que isso é fragilidade e não me pedir para não ter emoções, sinceramente... Já vi tantos líderes chorando e não é por isso que são mais fracos ou menos fracos”, disse, lembrando do próprio Lula, que “caiu no choro” quando tomou posse na Presidência.
“Eu sou uma pessoa sensível, mas não se pode confundir sensibilidade com fraqueza. As pessoas que não se deixam emocionar, essas sim podem ser muito fracas”, completou.

24 de setembro de 2014

Palavra da Tarde

Boa tarde a todos que dedicam seu tempo para visualizar o nosso blog, quero Agradecer pela visualizações e pelos cometários, que Deus possa a cada dia abençoar vocês, e a suas Família obrigado tenham uma boa tarde.

querem fazer parte nossa redação entre contato por email: proclamaioevangelho777@gmail.com

 E não tinham sede, quando os levava pelos desertos; fez-lhes correr água da rocha; fendeu a rocha, e as águas correram. Isaías 48:21

“Homofobia? Há cristofobia”, afirma Pastor Everaldo

O candidato à Presidência do Brasil Pastor Everaldo Pereira (PSC) foi entrevistado pelo jornal Extra, do Rio de Janeiro, onde pode falar um pouco sobre suas propostas para o país.
Questionado sobre se aprovaria a lei que criminalizada a homofobia, o presidenciável afirmou que não, pois entende que já há lei para injúria, calúnia e preconceito e que tal lei só serviria para impedir a pregação religiosa sobre o homossexualismo.
“A lei já é suficiente para qualquer tipo de injúria, calúnia. O que é homofobia? Há cristofobia, uma porção de coisas. Preconceito contra homossexual, negro, amarelo, branco, índio. O que querem fazer, hoje na lei, é dizer que um pastor e um padre não podem dizer, na sua fé, que a prática do homossexualismo é um pecado. Querem proibir quem crê nisso de falar nesse assunto.”
Everaldo também foi questionado sobre ter parentes gay e pode lamentar a morte de um primo. Ele falou também que se tivesse um filho gay o amaria da mesma forma. “Eu ia lamentar profundamente, diria que não era o que eu queria para ele, mas continuaria amando, porque é o meu filho”, disse.
Entre as propostas mais chamativas do plano de governo do candidato do PSC está a privatização de estatais como a Petrobras, envolvida em um grande esquema de corrupção. Além desta empresa, Everaldo também pretende privatizar a Infraero e reduzir a quantidade de empresas estatais para investir em saúde, educação e segurança.
Apesar de ser o primeiro candidato que usa o título de pastor para concorrer a uma eleição presidencial, Everaldo Pereira se compromete a não misturar religião e política, caso seja eleito. “O estado é laico”, afirmou ao ser questionado se distinguiria as religiões existentes no país.

Ibope aponta Marco Feliciano entre os primeiros em São Paulo

Pesquisa inédita realizada pelo Ibope sobre as intenções de votos para a Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo indica que o Pastor Marco Feliciano estará entre os mais votados no maior colégio eleitoral do país.
Confirmando o que havia sido apontado por especialistas, o candidato do Partido Social Cristão já aparece entre os cinco candidatos mais bem colocados na pesquisa. O líder assembleiano foi alçado ao top 5 após sua passagem pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.
Recordistas de votos em 2010, o palhaço Tiririca (PR) deve repetir o número expressivo. Além de Feliciano e Tiririca, Celso Russomanno (PRB), Paulo Maluf (PP) e Baleia Rossi (PMDB) também são apontados como puxadores de votos para as eleições de 2014.
Segundo a pesquisa apenas 12% dos paulistas sabem dizer em quem votarão para deputado. Feliciano deve arrematar um grande percentual dos votos evangélicos e um bom número de católicos conservadores, já que foi o parlamentar que mais lutou pela defesa dos valores morais.
O Partido Social Cristão conta hoje com apenas 2 deputados federais, mas se a pesquisa se confirmar o PSC poderá chegar a 5 caso o parlamentar repita o fenômeno de votos de Tiririca (PR-SP).
Em 2010 o parlamentar evangélico foi o 12º mais votado em São Paulo, com 211.839 votos válidos. Feliciano chegou a ser boicotado por líderes evangélicos no estado devido a influência e expressivo número de votos

Deputados evangélicos aparecem na lista dos mais atuantes no Congresso

Entre os 20 deputados federais mais atuantes no Congresso Nacional, três são evangélicos. O ranking com todos os nomes de parlamentares foi montado pelo site Atlas Político que avaliou cinco dimensões dando pontos de 0 a 1 para cada uma delas, o parlamentar com pontos mais próximos do 5 aparecem nas primeiras posições.
As dimensões analisadas foram: Representatividade, Campanha Responsável, Ativismo Legislativo, Debate Parlamentar, e Fidelidade Partidária, que juntas formam o que o site chama de 5D. O conteúdo das propostas e se são candidatos da esquerda ou direita não foram avaliados, apenas a participação ativa de cada um dos deputados.
Entre os evangélicos, o primeiro a aparecer é o deputado Roberto de Lucena (PV-SP) que ocupa o quinto lugar do ranking 5D com 3.97 pontos. Lucena é pastor da Igreja O Brasil Para Cristo de Arujá, Grande São Paulo, e está em seu primeiro mandado.
Já o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) está em 15º lugar com 3.54 pontos. Candidato ao Governo do Rio de Janeiro, como deputado ganhou nota máxima (1) na dimensão de “Debate Parlamentar” e também pela “Representatividade”.
O Pastor Marco Feliciano está em 17º lugar com 3.52 pontos tendo como nota máxima 0.92 em relação a “Fidelidade Partidária”. Eleito com mais de 213 mil votos, Feliciano ganhou destaque na imprensa ao assumir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias em 2013, cargo que exerceu após ser indicado pelo partido e eleito pelos participantes da Comissão. Veja a lista completa dos deputados 

Estado Islâmico quer matar o Papa Francisco, diz embaixador iraquiano

Em entrevista ao jornal italiano La Nazione o embaixador do Iraque junto à Santa Fé, Habbed Al Sadr, afirmou que o Papa Francisco está sendo ameaçado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).
As informações sobre esta afirmação foram divulgadas para todo o mundo através do Daily Mail e servem de alerta para que o líder católico seja protegido durante a visita que fará a Albânia e Turquia, dois países de maioria muçulmana.
O embaixador iraquiano garante que as ameaças são reais. “O autoproclamado Estado Islâmico foi claro: eles querem matar o Papa”.
Para tentar matar Francisco, o grupo estaria recrutando seus integrantes de diversas nações. Al Sadr garante que o papa corre risco de morte em qualquer lugar do planeta.
“Quero deixar claro que não tenho nenhum conhecimento sobre os futuros planos dos terroristas. Mas a regra do Estado Islâmico é clara: ou a pessoa se converte à religião deles ou morre. Com o Papa, a morte seria a única opção que eles dariam”, disse.
O porta-voz do Vaticano, padre Frederico Lombardi, afirmou à imprensa que não há medidas de segurança avançadas para guardar o líder católico durante a visita nesses países muçulmanos, acredita-se que a Santa Sé esteja desvalorizando as informações do embaixador.
No final de agosto o jornal italiano II Tempo chegou a comentar que o Papa era alvo do EI, segundo a publicação os extremistas querem matá-lo por ser “um portador da verdade falsa” se referindo ao cristianismo. Outro motivo da revolta do Estado Islâmico foi a aprovação do Papa para as ações americanas no Iraque, com o objetivo de acabar com os terroristas. Com informações Terra.

Líderes cristãos pedem a países árabes ação contra Estado Islâmico

Líderes cristãos do Oriente Médio estão pressionando os governos muçulmanos e autoridades religiosas para que condenem o Estado Islâmico (EI) que tem espalhado terror no Iraque e na Síria.
Nesta terça-feira (16) uma coletiva de imprensa com alguns desses líderes cristãos foi organizada em Genebra (Suíça), para pedir uma atitude em defesa das minorias étnicas e religiosas que estão sendo massacradas pelo EI.
O patriarca Inácio III, da Igreja Sírio-Católica de Antioquia afirmou que os líderes dos países árabes e da Liga Árabe precisam fazer algo para controlar a situação. “A situação dos cristãos e outras minorias em meio aos massacres e atrocidades (do Estado Islâmico) é terrível e nosso futuro na região está em jogo”, disse.
“Estamos pedindo aos líderes religiosos dos países muçulmanos que emitam uma fatwa (édito religioso) contra a morte de qualquer ser humano, não apenas de outros muçulmanos”, disse o patriarca Sako I, da Igreja Católica da Caldeia.
Sako lembrou que no Iraque mais de 10 mil cristãos foram mortos pelos terroristas do EI e que outros 170 mil foram expulsos do norte do Iraque, precisando buscar refúgio em outras cidades e até países para não serem mortos.
Outros seis líderes cristãos, incluindo da Igreja Ortodoxa Grega, se uniram com os patriarcas para declarar que as ações do Estado Islâmico vão contra os direitos humanos, ameaçando a sociedade no Oriente Médio.
“Se não for fortemente condenado e efetivamente destruída, então esta ideologia vai danificar todo o sistema de direitos humanos”, disseram os líderes cristãos que clamam contra os terroristas.

Líderes dizem que desafio do balde de gelo é satânico

O popular “desafio do balde de gelo” tornou-se mais que uma moda nas redes sociais; é uma verdadeira revolução em termos de levantamento de fundos para pesquisa. Originalmente era uma maneira bem-humorada de se arrecadar dinheiro para buscar a cura da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).
Famoso e anônimos participaram da brincadeira, que envolvia a doação de dinheiro para os estudos da doença. Mesmo assim, causou polêmica entre segmentos cristãos. O primeiro motivo apontado foi a informação que as pesquisas envolviam o uso de células-tronco, condenada por vários líderes evangélicos que comparam a prática ao aborto.
Nathanael King, pastor da Comunidade Cristã de Temecula Hills, na Califórnia, fez uma denúncia no portal da revista pentecostal Charisma. Ele argumenta que “Os cientistas usam um óvulo e um espermatozoide masculino e fertilizam o óvulo em laboratório. Logo em seguida, quando a nova vida começa a se formar, removem dele as células-tronco, verdadeiros blocos de construção da vida embrionária. Estes embriões são criados com o propósito declarado de serem destruídos para a pesquisa médica”.
Obviamente a ALSA, entidade americana que recebeu a maior parte dos mais de 100 milhões de dólares arrecadados com o desafio, não é a única a fazer pesquisas. Existem outros institutos, como o John Paul II Medical Research, em Iowa. De origem católica, faz pesquisas cientificas pró-vida, utilizando apenas células-tronco adultas, e não células-tronco embrionárias.
Mesmo com a controvérsia, além dos milhares de anônimos, várias personalidades, incluindo líderes e cantores evangélicos, aderiram ao desafio. Nas últimas semanas, foi noticiado que o “desafio do balde de gelo” teria origem maligna. Selena Owens, articulista do site conservador World Net Daily (WND) afirma que na verdade, é um “ritual satânico”.
Seu argumento principal é a maneira como morreu Corey Griffin, co-criador do desafio do balde de gelo. Ele morreu no mês passado, aos 27 anos. O jovem pulou do telhado de um imóvel na cidade de Nantucket, Massachusetts, em direção ao mar. O departamento de polícia da cidade relatou que o corpo foi encontrado por um salva-vidas, mas Griffin morreu no hospital. Para Selena Owens a morte seria parte de um ritual dos Iluminatti, do qual ele seria membro.
Griffin e os familiares de Pete Frates, ex-jogador de beisebol do Boston College, criaram o desafio na tentativa de aumentar a conscientização sobre a doença e angariar fundos para achar a cura. Frates, 29 anos, foi diagnosticado com a doença em 2012.
Para a articulista do WND o ato foi “Muito estranho. Muito bizarro. Muito sombrio”. Ela também cita um vídeo postado pela evangelista Anita Fuentes que afirma ter encontrado várias mensagens subliminares no que chamada de “ritual do balde gelo”.
Fuentes acredita que a coisa toda é “ritualística por natureza”. As pessoas são escolhidas para passar por uma forma de batismo na água gelada, “em nome de ELA.” A evangelista defende que é uma forma dos Ilumminati divulgarem suas ideias.

Evangélicos e satanistas dividirão espaço de culto

Tom Mannin, pastor da Oklahoma City Community Church, está envolvido em uma situação no mínimo inusitada. Sua congregação realiza cultos religiosos no Centro Cívico da cidade desde que foi fundada em 2012. O local é alugado todos os domingos para esse fim, sem incidentes. Agora, um grupo de satanistas exigiu que a prefeitura lhes alugasse o mesmo espaço para a realização de “missas negras”.
A administração da cidade concordou e no final deste mês, o prédio do Centro Cívico terá no mesmo final de semana um culto a Deus e outro ao Diabo.
Em um post em seu blog pessoal, Mannin pediu à sua congregação, bem como os cristãos em geral, que respondam com “amor e esperança” aos membros do Dakhma de Angra Mainyu, nome do grupo satanista que requisitou o mesmo espaço que sua igreja.
“Como Igreja, queremos responder sendo um povo amoroso, consistentes com os ensinamentos de Jesus e as formas que Ele respondia àqueles que o rejeitaram e até mesmo o odiavam. Vamos orar que o amor de Deus seja abundante em nossa cidade, onde vivem pessoas de diferentes crenças “, escreveu Mannin.
No domingo, 21 de setembro, enquanto a igreja usará o auditório, o Dakhma fará sua reunião em um espaço anexo, com capacidade para 92 pessoas.
Obviamente a decisão da prefeitura de alugar o mesmo espaço para dois grupos tão distintos gerou uma grande polêmica dentro e fora de Oklahoma. Mais de 37 mil pessoas assinaram uma petição pedindo que o centro cívico não fosse usado para uma “missa negra”.
A governadora de Oklahoma, Mary Fallin, afirmou que pessoalmente acha o ritual do grupo satânico um “escárnio nojento da fé cristã”. Mesmo assim, por ser um espaço público, não há motivação legal para impedi-los de usar o espaço comunitário.
Nos últimos anos, o Estado de Oklahoma vem testemunhando uma verdadeira batalha judicial dos satanistas para serem reconhecidos como forma válida de religião. A organização Templo Satânico irá colocar uma estátua com dois metros de altura que em frente à sede do governo. Sua alegação é que grupos cristãos colocam estátuas em locais públicos e, portanto, eles também têm esse direito.
Num primeiro momento, o pedido foi negado pelo governo. Contudo, nesta segunda (6) o grupo assumidamente satanista divulgou como seria a estátua, uma representação de uma ser parte homem e parte bode. Ele está sentado em um trono marcado pelo pentagrama. Embora recebe outros nomes, a imagem é conhecida como Bafomete, essa figura mística que é adorada por grupos satanistas no mundo todo.

Grupo quer distribuir livros satanistas em escolas públicas

Em nome do “politicamente correto” e do “Estado laico”, um grupo satanista está anunciando que irá distribuir livros infantis ensinando a adoração a Satanás em escolas públicas. Para ele, trata-se apenas de garantia constitucional da liberdade religiosa.
Os conflitos entre ateus e cristãos sobre a distribuição de literatura em escolas públicas dos Estados Unidos chamou a atenção da mídia. Mas o grupo Templo Satânico, sediado em Nova York, pretende oferecer livros de colorir às crianças que frequentam escolas públicas. Contudo, negam que a intenção seja atrair as crianças para sua religião.
Representantes da cidade de Orlando, na Flórida, disseram que ainda não receberam pedidos formais para a distribuição dos livros, mas que se reservam o direito de revisar todos os materiais que sejam oferecidos aos alunos.
A questão é que muitos grupos cristãos distribuem rotineiramente material bíblico e os satanistas exigem os mesmos direitos. Por isso, inicialmente ativistas ateus reclamaram de “discriminação” e o Conselho Escolar passou a permitir que materiais religiosos de todos os grupos, incluindo ateus, fossem distribuídos aos alunos.
O grupo Templo Satânico tem chamado atenção da mídia por sua luta pelo direito de ser reconhecido em termos de igualdade com todos os demais grupos religiosos. Eles já pediram autorização para colocar uma estátua de Satanás ensinando duas crianças no Estado do Oklahoma. Os adeptos da seita acreditam que Satanás é o “eterno revoltado contra o tirano supremo”, que seria Deus. Também insistem que as escolas públicas não deveriam ensinar religião alguma, pois a constituição afirma o Estado laico.
Os pastores da Flórida já se manifestaram contrários a essa iniciativa. Para eles, esse tipo de literatura é prejudicial para as crianças e a sociedade como um todo e prometem recorrer à justiça para impedir a distribuição.

Igreja paga milhões de dólares pelo direito de pregar que só Jesus salva Dezenas de igrejas querem se livrar de pressões de denominação presbiteriana pelo “politicamente correto”

Dezenas de igrejas tem abandonado a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA, na sigla original), a maior denominação desta tradição nos EUA. O movimento teve início em 2012, meses depois de homossexuais praticantes serem aceitos como pastores e pastoras presbiterianos.
Surgiu assim a Evangelical Covenant Order of Presbyterians (Ordem Pactual Evangélica de Presbiterianos), abreviada para ECO. Já são quase mil congregações da antiga PCUSA, que reúne ainda cerca de 10 mil igrejas nos EUA. O que tem chamado atenção nos últimos meses é que megaigrejas presbiterianas que desejavam se desligar da denominação para poder pregar com liberdade contra o casamento homossexual, enfrentavam ameaças de processos caso não entregassem seus templos. Com isso, coube aos pastores arrecadar verdadeiras fortunas que foram dadas para a PCUSA a título de “compensação”.
No início do ano, a Menlo Park Presbyterian Church, sediada em San Francisco, Califórnia, e liderada pelo conhecido pastor e autor John Ortberg, pagou cerca de 9 milhões de dólares para seu templo que tem mais de um século. Agora, a Highland Park Presbyterian Church, de Dallas, Texas, pagará pouco menos de 8 milhões de dólares para seguir o mesmo caminho.
“A principal razão foi que, após um longo processo de discernir a direção de Deus sobre estas questões, entendemos que era a melhor coisa a fazer neste momento”, afirmou um dos líderes da igreja.
Na maioria dos casos das igrejas que abandonaram a denominação, a justificstiva era a posição liberal adotada pela PCUSA, pois seus líderes não acreditam na divindade de Jesus, nem defendem que a salvação ocorrer apenas através de Cristo.  O que tem chamado atenção é como uma instituição que já foi baluarte dos valores bíblicos, tendo fundado alguns dos seminários mais prestigiados do mundo, agora convive com uma deserção em massa. Ainda mais incrível são igrejas tendo de pagar verdadeiras fortunas para reconquistarem a liberdade de pregar o evangelho bíblico, anunciando a Jesus como Salvador e se posicionando contra o casamento gay, que fere esses princípios.
A pressão e as ameaças não vieram de fora, de outros grupos religiosos ou do governo, são frutos de decisões de seus próprios líderes e ecoam em menor escala o que já acontece com congregações ligadas à Igreja Episcopal Anglicana, a Igreja Unida de Cristo, Igrejas Metodista e a Igreja Luterana nos EUA, além de outras menos expressivas. Esses movimentos começaram com o argumento da necessidade cultural de serem “politicamente corretos” e de ler as Escrituras a partir da cultura.
É importante frisar que a PCUSA, embora tenha influenciado igrejas presbiterianas em diferentes países, nada tem a ver com a Igreja Presbiteriana do Brasil ou a Igreja Presbiteriana Independente. Com informações Christian PostChristian Headlines e The Blaze.