23 de agosto de 2014

Mulher agredida por cotovelada em São Roque deixa a UTI

Pai da vítima disse ao blog que ela está com muita dor de cabeça.
Agressor está preso e deve responder por tentativa de homicídio qualificado.



Vítima está internada na UTI em Sorocaba (Foto: Reprodução/TV TEM)I
A auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar Santiago, de 30 anos, deixou a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (SP) e está internada na enfermagem neurológica, sem previsão de alta. A informação foi divulgada na manhã deste sábado (23) pela assessoria da Secretaria da Saúde. Fernanda se recupera de um traumatismo craniano causado por uma cotovelada após sair de uma festa em São Roque (SP), no dia 16 de agosto. O comerciante Anderson Tingo de Oliveira, de 34 anos, apontado como o responsável pela agressão, está preso e deve responder por tentativa de homicídio qualificado, já que a vítima não conseguiu se defender.
Geraldo César, pai de Fernanda (Foto: Ana Carolina Levorato / G1)
Para o pai de Fernanda, Geraldo Cézar, a melhora no estado de saúde da filha é um alívio. “Só dela sair da UTI é maravilhoso, graças a Deus ela está se recuperando”, disse em entrevista ao G1. Ele estava no hospital no momento da transferência da filha para o setor de neurologia e conta que Fernanda reclama de dores de cabeça constantemente, mas está conversando. “Minha filha não se lembra do que aconteceu, mas não estamos perguntando disso, queremos que ela fique bem e forte primeiro”, destaca.
Parentes da vítima estão impressionados com a comoção da população com o caso. “Você não tem ideia da quantidade de pessoas que estão nos ligando e rezando por ela. Isso ajuda muito na recuperação”, disse o pai.
As imagens da agressão foram registradas por uma câmera de segurança (veja o vídeo acima). Nelas é possível ver que Fernanda discute com Oliveira, que está com um grupo de pessoas em frente a uma loja de motos, perto de uma casa noturna onde eles estavam momentos antes, na avenida Antônio Dias Bastos. No vídeo, a mulher fala algo para o homem, que a atinge com uma cotovelada. Ela cai e pessoas que estavam no local chamam o resgate, que chega pouco tempo depois.
O irmão de Fernanda, Eduardo Cézar, disse ao G1 que a família não consegue entender o que aconteceu. "Nós estamos indignados pelo que houve com a minha irmã. Foi uma atitude bruta, totalmente ignorante. Ninguém esperava que ele fosse reagir daquela forma e ninguém sabe ao certo qual o motivo da agressão", afirma o vendedor.
“Tivemos acesso às imagens porque sou amigo do dono da loja. Quando vi a cena levei um choque muito grande. Nós o conhecemos e ninguém esperava uma reação tão violenta como aquela”, afirma Eduardo.
Para a Polícia Civil de São Roque, o depoimento da vítima não será determinante para conclusão do inquérito. “As imagens dizem tudo, foi quase um nocaute”, destaca a delegada responsável pelo caso, Priscila de Oliveira Rodrigues. A polícia aguarda ainda um laudo do Instituto Médico Legal (IML) e do prontuário médico, que irá relatar com detalhes todas as lesões sofridas.
A delegada também avalia se irá convocar novamente as testemunhas do fato para depor - nesta sexta-feira (22), seis pessoas prestaram depoimento na delegacia. “Todos disseram não terem visto o golpe e sim ouvido um barulho, depois disso viram a vítima caída no chão. Mas, as imagens mostram claramente que houve testemunhas do golpe”, complementa a delegada. Neste caso, as pessoas ouvidas poderão responder criminalmente por falso testemunho.
Anderson Tingo Oliveira (Foto: Reprodução/TV Tem)Enquanto isso, Anderson segue preso temporariamente na Unidade Prisional de Transição de São Roque. Após a conclusão do inquérito, a prisão preventiva será solicitada à Justiça e o caso relatado ao Ministério Público.
Em depoimento, Anderson afirmou que ‘quis afastar’ Fernanda e, por isso, reagiu com um ‘ato de impulso’. “O suspeito disse que estava incomodado com as ofensas que a vítima fez a ele e a sua irmã e deu a cotovelada para afastá-la”, conclui a delegada.
Ainda conforme a Polícia Civil de São Roque, Anderson de Oliveira tem passagem por contravenção penal por envolvimento com máquinas caça-níqueis. Já em relação ao roubo em que matou um ladrão, ele não respondeu por homicídio, pois foi considerada legítima defesa.