20 de maio de 2013

Policial suspeito de matar jovem em show sertanejo se entrega, em Goiás

O agente de polícia Levy Moura de Souza, de 37 anos, suspeito de matar Luan Vítor Oliveira Sousa, de 20 anos, durante um show na Exposição Agropecuária deGoiânia, se entregou à Polícia Civil na madrugada desta segunda-feira (20). Um vídeo feito por um cinegrafista amador mostra quando o jovem é atingido por um tiro no peito durante uma briga, na madrugada de sábado (18).
O delegado-geral João Carlos Gorski informou ao G1 que, ao ficar sabendo que o mandado de prisão preventiva foi expedido, o policial se apresentou à Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), onde está detido.
O policial já havia sido afastado das suas funções no dia do crime. No domingo (19), a Polícia Civil pediu o mandado de prisão dele e instaurou um inquérito policial. A Corregedoria da Polícia Civil também vai investigar o caso. "Na nossa legislação, o homicídio é tido como falta grave. Ele pode ser expulso da Polícia Civil", adiantou o delegado-geral.
Procurado pelo G1, o policial civil Levy Moura de Souza não quis se pronunciar.
Segundo Gorski, depoimentos de pessoas que estavam no show durante o crime começaram a ser colhidos. No entanto, o delegado-geral preferiu não informar os nomes, para não atrapalhar as investigações. Gorski também afirmou que as imagens que mostram o momento em que o policial atira à queima-roupa na vítima estão sendo analisadas.
Em depoimento à polícia no dia do crime, o policial afirmou que a vítima e um colega tentaram roubar a câmera fotográfica da namorada, e alegou ter agido em legítima defesa.
Vídeo
Imagens gravadas por um cinegrafista amador, que não quis se identificar, mostram o momento exato da confusão durante o show do cantor Lucas Lucco, que interrompeu a apresentação e pediu paz.
Jovem é morto durante show sertanejo na Pecuária de Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Jovem é morto durante show sertanejo na Pecuária
de Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
No vídeo, o policial aparece imobilizando o rapaz que, segundo ele, havia roubado a câmera fotográfica da sua namorada junto com Luan. Nesse momento, um jovem de camisa branca se aproxima e agride o policial com chutes e socos. O agressor se afasta. Em seguida, Luan, que está de camisa xadrez e não estava envolvido na confusão, surge nas imagens.
Luan chega correndo e para no lugar exato onde estava o rapaz de camisa branca que agrediu o policial. Armado, o policial civil Levy Moura levanta a cabeça e efetua um disparo no peito da vítima, que sai correndo com a mão sobre o ferimento. O vídeo mostra ainda que o rapaz que estava envolvido na briga foge e o policial corre atrás dele.
O jovem que tentou fugir acabou detido na delegacia que fica dentro do parque de exposições. No local, o agente e a namorada prestaram esclarecimentos e, em seguida, foram liberados.
A arma usada no crime, que pertence à Polícia Civil, ficou apreendida.
Versão contestada
Durante o enterro de Luan Vítor, no fim da tarde de sábado, no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia, a família estava indignada com o crime. Parentes e amigos negam a versão apresentada pelo policial.
“Ele teve a infelicidade de sair pra se divertir e se posicionar perto do local onde houve uma confusão, onde estava uma pessoa despreparada, armada. Ele deu um tiro a queima roupa no Luan. Nós não queremos vingança,  queremos justiça”, ressaltou o tio da vítima Lindomar Elias Vieira.
“Morreu por engano”, disse um amigo de Luan que estava com ele na Pecuária, mas preferiu não se identificar.