20 de maio de 2013

Morre bebê que ganhou liminar para ser transferido para hospital na capital


Família conseguiu uma liminar na Justiça, mas ela não foi cumprida.
Criança precisava ser transferida com urgência e passar por cirurgia.

Bebê de Santos, com problema grave no coração, precisa de transferência para hospital em São Paulo (Foto: Reprodução/TV Tribuna)


Um bebê, com menos de um mês e meio de vida, com um problema grave no coração, morreu na madrugada desta segunda-feira (20) em um hospital em Santos, no litoral de São Paulo. A criança dependia da transferência de um hospital de Santos para um de São Paulo para sobreviver. A família conseguiu uma liminar na Justiça, mas ela não foi cumprida.
Um juiz intimou o governador a tomar providências. A transferência parecia estar certa, mas não foi feita. Depois de várias tentativas da família e da espera, a criança não resistiu e morreu no começo desta madrugada. O bebê estava internado há mais de duas semanas na UTI da Santa Casa de Santos com um problema gravíssimo no coração.
A criança precisava ser transferida para um hospital especializado em São Paulo para passar por uma cirurgia. A família conseguiu na Justiça uma liminar, que obrigou a secretaria de Saúde do Estado a transferir a criança de helicóptero.
Segundo relatório médico da UTI pediátrica da Santa Casa, a transferência seria a única esperança para o paciente.  No último sábado (18), a assessoria de imprensa do governo do Estado informou que o bebê seria transferido para a UTI neonatal do Incor, em São Paulo, por um helicóptero da Polícia Militar. Porém, isso não aconteceu. O enterro do bebê acontece às 14h desta segunda-feira, no Cemitério Municipal de Praia Grande. A família disse que vai entrar com uma ação na Justiça contra o Estado.
Já o Departamento Regional de Saúde da Baixada Santista, por meio do Governo do Estado, falou que o bebê estava com infecção e não tinha condições clínicas de transferência ou para uma cirurgia. Essa informação foi contestada pelo setor de pediatria da Santa Casa de Santos mas, segundo o Governo do Estado, o problema foi confirmado pelo InCor, que disponibilizou uma vaga para a criança na tarde deste domingo mas, por causa das condições clínicas, a transferência não ocorreu.