22 de maio de 2013

Menor acusa PMs de agressão em favela pacificada da Zona Sul do Rio





Um menor, de 16 anos, morador do Morro do Vidigal, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, acusa agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade de agressão, durante uma abordagem na noite de terça-feira (21). No entanto, segundo os PMs, o jovem foi levado para delegacia por desacato e desobediência, conforme mostrou o Bom Dia Rio desta quarta-feira (22).
O jovem, que não quis se identificar estava na rua com os amigos, quando foi parado por dois policiais da UPP.  Ele contou que os PMs começaram as agressões já no início da abordagem. "Ele abordou e não deu nem boa noite. Aí eu falei que já tinha sido abordado e falei do meu direito de ir e vir. Mas ele me ‘bandou’ e 'começou' as agressões”, relatou o menor que ficou com marcas no pescoço e no rosto.
Um amigo, que estava junto com ele no momento da abordagem, também confirmou as agressões. “Eu tentei fazer alguma coisa, só que não teve como. Foi muita covardia. Ele é menor e não fez nada para ser agredido”, contou.
De acordo com os familiares, o menor foi levado algemado para a delegacia. O caso foi registrado como desacato e desobediência. Para o pai do menino, houve abuso por parte dos agentes e eles devem ser punidos. "Eles estão manchando a farda da polícia do Rio de Janeiro", disse.
Policiais negam violência
O dois policiais disseram que não houve violência por parte deles e que o menor tentou agredi-los durante a revista. Os agentes relataram ainda que os machucados foram feitos pela mãe do jovem, que teria ficado irritada ao saber que o filho estava envolvido em uma confusão. Durante a madrugada, o menor foi levado pela família ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito.
A mãe do jovem não foi localizada para comentar sobre a versão apresentada pelos policiais.