28 de maio de 2013

LEUCEMIA

Câncer no sangue
O que é?
Leucemia é o câncer das células brancas do sangue, os leucócitos. Esta doença começa na medula óssea (parte interna dos grande ossos, a "fábrica do sangue") e se espalha para outras partes do corpo. Há vários sub-tipos de leucócitos e, por isso, há diferentes tipos de leucemia. Normalmente, se divide nos dois principais grupos de células brancas: as leucemias linfocíticas ou leucemias mielóides. Além disso, pode se apresentar de duas formas, a forma aguda ou a forma crônica, dependendo da velocidade com que aparecem os sintomas e como ela evolui. Na forma aguda, as células são imaturas e não funcionam como deveriam, além de se reproduzirem muito rápido. Na forma crônica, as células são mais maduras e podem manter algumas das suas funções normais. O número de células malignas, neste último caso, aumenta vagarosamente. Este tipo de câncer é o câncer mais comum nas crianças, mas pode acometer adultos e velhos, também. Nos jovens, a forma mais comum é a leucemia linfocítica aguda, e nos adultos, a leucemia mielóide aguda seguida da leucemia linfocítica crônica.
O que se pode sentir?
Os sintomas da leucemia estão relacionados à piora do estado geral, porque o câncer é uma doença que compromete o corpo como um todo. Além disso, pode-se desenvolver sintomas relacionados à diminuição da atividade das células da medula óssea 
 
Sintomas gerais: 
 
Perda de apetite
Perda de peso não planejada ou sem fazer dieta
Aumento dos gânglios (ínguas), fígado e baço
Sensação de gripe que dura muitos dias
Dor nas articulações (juntas) e ossos

 
Sintomas relacionados à diminuição da atividade das células brancas (leucócitos), responsáveis pelo combate à infecções: 
 
Febre e calafrio
Infecções de repetição, principalmente "infecções oportunistas", como candidíase oral e do esôfago ("sapinho") ou pneumonia atípica

 
Sintomas relacionados à diminuição da atividade das plaquetas, responsáveis pelo controle da coagulação: 
 
Sangramento e hematomas frequentes sem um trauma claro ou proporcional
Sangramento das gengivas
Petéquias, pequenas manchas vermelhas em baixo da pele

 
Sintomas relacionados à diminuição da atividade das células vermelhas (hemáceas): 
 
Anemia
Fraqueza

 
Como esta doença é diagnosticada?
A pessoas que suspeitam que podem ter alguma alteração do sangue, principalmente, se suspeitam que podem estar com algum tipo de leucemia, devem procurar um médico. Este fará uma história e um exame físico completo para procurar algum sintoma ou alteração que confirme a suspeita de leucemia. Além disso, um exame de sangue e alguns exames de imagem, como raio X e tomografia computadorizada, devem ser realizados para completar a avaliação da doença, o diagnóstico diferencial e a extensão do problema. Porém, somente uma biópsia da medula óssea e/ou uma biópsia de um gânglio é que dará o diagnóstico definitivo. Para alguns casos, poderá ser necessário, também, uma punção do líquor - líquido presente na medula espinhal (diferente da medula óssea).
Qual é o tratamento para leucemia?
A maioria das leucemias, independente do tipo e evolução, necessita de quimioterapia (medicamentos que destroem as células malignas). Estes medicamentos podem ser dados na veia e, neste caso, é necessário que o paciente seja atendido num centro médico especializado em câncer e/ou leucemia, ou por via oral, quando o paciente recebe o medicamento, mas o toma em casa.
A quimioterapia pode ser dada sozinha ou, ainda, em combinação com outros tipos de tratamento, como: transplante de medula óssea, radioterapia, imunoterapia com interferon ou cirurgia. A decisão de qual é o tratamento mais adequado é baseada no tipo de leucemia, na idade e nas condições clínicas do paciente, além das características genéticas da linhagem de célula do sangue que está alterada.
Como se previne esta doença?
Muito pouco se sabe sobre como reduzir o risco de desenvolver leucemia, principalmente em crianças. Porém, vários fatores podem aumentar este risco, devendo ser evitados. No caso de não se poder evitá-los, como no caso de uma doença prévia, deve-se ficar atento a possíveis sintomas relacionados à leucemia, e procurar um médico experiente sempre que se tenha alguma dúvida.
Fatores de risco associados às Leucemias: 
 
Cigarro e outras formas de consumo de tabaco
Produtos químicos como benzeno
Radioterapia e quimioterapia prévias para outros tumores
Terapias de imunossupressão como as utilizadas após um transplante
História familiar de leucemia (principalmente para as crianças)
Síndrome de Down.
Perguntas ao seu médico:
Leucemia pode se transmitir pelo contato físico ou pelo sangue?
Quais as chances de cura de leucemia em crianças e em adulto?
A quimioterapia fará eu perder o cabelo?
E se a doença voltar, existem outros tratamentos para fazer depois?