23 de maio de 2013

Criança que morreu em creche de SP será enterrada nesta quinta


O corpo do menino de 2 anos que morreu nesta terça-feira (21) no Centro de Educação Infantil Cruz de Malta, em Jabaquara, na Zona Sul de São Paulo, será enterrado na manhã desta quinta-feira (23). O sepultamento de Richard dos Santos Nogueira irá ocorrer no Cemitério Campo Grande, na Avenida Nossa Senhora do Sabará, também na Zona Sul, onde a criança é velada desde a noite desta quarta (22).
A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar as causas da morte da criança.
A Diretoria Regional de Educação (DRE) de Santo Amaro emitiu uma nota lamentando o episódio. A diretoria também afirmou que está prestando toda a assistência necessária à família. O caso foi registrado no 97º Distrito Policial, de Americanópolis.Segundo a diretora da creche, o menino passou mal quando foi acordada por funcionários da unidade. O médico que fica no local foi acionado. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado. Ainda segundo a diretora da creche, o garoto foi levado ao Hospital Artur Ribeiro Saboia, onde morreu.

"Ele brincou normalmente de manhã, almoçou. Nós temos um video que mostra isso. Depois do almoço,  todas as crianças repousam e ele também. A professora foi chamá-lo e ele não respondeu. Ela percebeu que ele estava como que desmaiado. Ela imediatamente chamou socorro. Nós temos enfermagem. A criança foi atendida imediatamente. Chamou-se o Samu e os Bombeiros, que levaram a criança. Assim chegou no hospital, onde continuaram os procedimentos, mas finalmente viram que a criança não voltou." A causa da morte, segundo a diretora, foi "aspiração gástrica", disse a diretora da Entidade Mantenedora Associação da Cruz de Malta, Thereza Samaja, de 73 anos.
Segundo a diretora, a criança tinha bronquite e aspirou a secreção do pulmão. "A criança tem um problema de bronquite. A secreção vai para o estômago. Em vez de sair pela boca, vai para outra via do pulmão. É muito triste, mas poderia ter acontecido em qualquer lugar", afirmou.
Ainda de acordo com a diretora, a criança era atendida desde os quatro meses pela Cruz de Malta, que também oferece atendimento médico, e depois continuou matriculada na creche. "Nós temos a ficha de saúde dessa criança que apresenta várias intercorrências na área de saúde pulmonar. Uma criança que frequentemente tinha bronquite, tinha asma. Sempre foi muito bem acompanhada por nossos médicos e também pela mãe que é muito cuidadosa", afirmou.