16 de abril de 2013


Setor de aves na China perde US$1,6 bi devido à gripe aviária

PEQUIM, 16 Abr (Reuters) - O setor de aves da China registrou perdas de mais de 10 bilhões de iuans (1,6 bilhões de dólares) desde o surgimento de relatos sobre uma nova cepa da gripe aviária há duas semanas, disse um funcionário da Associação Nacional de Avicultura do país à Reuters nesta terça-feira.
Autoridades abateram milhares de aves e fecharam mercados de aves vivas em Xangai e Pequim, em uma tentativa de reduzir a taxa de infecção humana e acalmar os temores crescentes sobre o vírus H7N9.
No entanto, novos casos estão sendo relatados diariamente. No total, 14 pessoas já morreram por causa do vírus da gripe aviária e 63 foram infectadas, disse a agência oficial Xinhua na segunda-feira.
A maioria dos casos até o momento foi no leste da China, onde o consumo de aves caiu em mais da metade, de acordo com Liu Yonghao, presidente do New Hope Group, maior produtor chinês de ração animal.
Os preços caíram devido a uma demanda mais fraca. O frango de alta qualidade está sendo vendido a 4 iuans o quilo, em queda ante os 16 iuans por quilo cobrados anteriormente, disse Liang Zhong, funcionário da associação de aves, em entrevista ao jornal China Daily.
Os governos da região central da província de Anhui e da cidade oriental de Ningbo ofereceram ajuda financeira para os criadores de aves, segundo noticiou a agência Xinhua nesta terça-feira.
O governo de Ningbo planeja dar cerca de 20 milhões de iuans em subsídios aos agricultores que criam galinhas, patos e gansos, enquanto o governo de Anhui vai oferecer aos agricultores juros mais baixos em empréstimos, bem como incentivos fiscais.
No entanto, dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas na segunda-feira mostram que os preços médios do frango inteiro em todo o país caíram apenas 1,5 por cento para 18,8 iuans o quilo nos primeiros 10 dias de abril, em comparação com o período de 10 dias anterior.
A China é o segundo maior mercado mundial de aves depois dos Estados Unidos, e a avicultura é o setor de carne que cresce mais rápido. No entanto, uma série de escândalos relacionados à segurança alimentar nos últimos meses tem prejudicado a confiança do consumidor a respeito da indústria.