6 de abril de 2013

SAO PAULO


SP: pai acusa hospital de trocar filho e entregar menina morta

O pai do bebê Gabriel Xavier da Silva Azevedo, que nasceu prematuro no último sábado no hospital Santa Marcelina, em São Paulo, está acusando a instituição de ter trocado seu filho por uma criança morta. Marcos Joaquim de Azevedo, 43 anos, relatou que sua mulher, Erika Mariana Xavier da Silva, viu o menino nascendo, com vida, mas logo depois recebeu a notícia da morte. O casal fez os procedimentos para enterrar o bebê, mas para surpresa deles constataram se tratar de uma menina, chamada Gabriela Cristiane.
"Quando cheguei ao hospital para retirar o corpo do meu filho, eles me mostraram e eu achei estranho o seu tamanho. Levei ele até o cemitério Vila Formosa e, chegando lá, a mãe queria vê-lo. Quando ela olhou, disse que não era o Gabriel, e a mãe dela ficou em choque ao ver uma pulseira com o nome de uma menina. Voltei ao hospital para entender a situação, eles fizeram uma reunião e disseram 'só Jesus para resolver o seu problema, porque não sabemos o que fazer", contou Marcos.
Ele registrou uma ocorrência no 50º DP e está aguardando uma posição do hospital. "Queremos encontrar ele. A minha esperança é que meu filho esteja vivo, que houve uma troca, é nisso que estou pensando", disse ele. Segundo o advogado que representa a família, Ademar Gomes, todos os documentos fornecidos pelo hospital  aos pais constam que a criança era do sexo masculino.
Ele pediu a instauração de um inquérito policial para apuração de responsabilidade."O que aconteceu de fato? O hospital será responsabilizado por negligência e imprudência. Queremos as respostas", afirmou o defensor. O Terra entrou em contato com a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, que administra o Santa Marcelina, e aguarda uma resposta.