18 de abril de 2013


Revista da Al Qaeda publicou “fórmula” para construir bombas com panelas 
Em inglês, a publicação ligada à rede terrorista divulgou há três anos uma receita para fabricar artefatos parecidos com as bombas que explodiram em Boston

A polícia de Boston e o FBI continuam, nesta quinta-feira (18), as investigações para descobrir os responsáveis pelo atentado de segunda-feira (15), que matou três e feriu mais de 170 pessoas. Entretanto, já se sabe que os artefatos utilizados nas explosões, ocorridas ao fim da maratona da cidade, eram de fabricação caseira. Coincidentemente, há três anos, a revista Inspire (inspirar, em tradução livre), ligada à rede terrorista Al Qaeda, publicou um artigo intitulado Faça uma bomba na cozinha da sua mãe, cujo texto explica passo a passo como fabricar explosivos com utensílios domésticos, entre esses, panelas de pressão. 
As autoridades divulgaram, na terça-feira (16), imagens mostrando que pelo menos uma das bombas foi produzida com uma panela de pressão
Diversos meios de comunicação em todo o mundo, como o britânico The Telegraph, divulgaram tal coincidência e relataram que esse foi o primeiro de muitos textos da revista que ensinam formas diversas para o emprego da violência por meio de artefatos baratos e de fácil manejo e construção.
Ainda não existem provas que liguem o atentado em Boston aos grupos extremistas islâmicos como a Al Qaeda. Porém, é possível reconhecer que a fabricação de artefatos explosivos com objetos simples do cotidiano não necessita nem de grande investimento, nem de habilidades técnicas específicas. 
Além disso, está claro que publicações na internet, como da Inspire, ao disseminarem fórmulas para a produção de bombas se consolidam como manuais de referência para a violência no mundo. Independentemente dos motivos que inspirem sujeitos a atacar civis, como na Maratona de Boston, qualquer um pode se tornar um terrorista em potencial com apenas alguns cliques. 
Ninguém foi preso e as investigações continuam
O FBI e a polícia de Boston negaram na última quarta-feira que tenha havido a detenção de um suspeito de envolvimento nas explosões da segunda-feira na Maratona de Boston, depois de vários veículos de imprensa americanos terem informado o contrário.
"Apesar de relatórios amplamente divulgados sobre o contrário, não houve uma detenção ligada ao ataque na Maratona de Boston", disse o FBI em comunicado.
A polícia de Boston também informou em sua conta no Twitter que "não houve uma detenção relacionada" com as explosões na maratona.
O FBI explicou que "ao longo do último dia e meio houve uma série de informações de imprensa baseadas em fontes não oficiais que foram imprecisas".
"Como estas notícias têm frequentemente consequências não propositais, pedimos aos meios de comunicação, particularmente nesta etapa adiantada da investigação, que exercitem a cautela e tentem verificar a informação por meio de canais oficiais apropriados antes de informar", concluiu o FBI.
A rede CNN desmentiu que tivesse havido uma detenção pouco após informar sobre a mesma, e o jornal Boston Globe também indicou que havia um suspeito sob custódia das autoridades.
Em seguida, vários jornalistas citaram esses veículos para informar sobre a suposta detenção. Os relatórios vieram pouco depois de outros que afirmavam que as autoridades já tinham identificado um suspeito graças ao vídeo gravado pelas câmaras de segurança das lojas de departamento Lord & Table e as imagens feitas por uma rede de televisão local.
As imagens mostram "um suspeito carregando uma bolsa preta, e, possivelmente, deixando-a na cena da segunda bomba", segundo o Boston Globe, que cita como fonte um funcionário próximo à investigação.