13 de abril de 2013


PR: homem é preso com armas, bandeira e símbolos nazistas

Polícia Civil investiga ligação dele com grupos neonazistas, que mataram uma pessoa em 2009 na cidade onde houve a prisão

A Polícia Civil de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba (PR), prendeu na noite da última quinta-feira o designer Gregor Smal, 39 anos, após ser informada pela Polícia Militar que ele tinha em casa diversas armas de uso restrito e bandeiras nazistas. Ao chegar ao local, na região rural da cidade, os agentes encontraram duas pistolas Luger (usadas pelos alemães na Segunda Guerra Mundial), uma arma em forma de caneta, três armas de cano longo e munições de diversos calibres. Além disso, foram achadas medalhas de cruz de ferro, condecorações nazistas, uma bandeira com a suástica e um soldado de chumbo de Adolf Hitler. 

"Estamos investigando se ele tem envolvimento com grupos neonazistas ou se fazia apologia ao regime de Hitler. Apreendemos o computador dele para averiguar isso. Ele alegou que é colecionador e investigaremos a origem das armas", afirmou o delegado José Vitor Pinhão, que investiga o caso.
Gregor Smal, 39 anos, foi preso com vários artigos nazistas Foto: Marco Charneski / Tribuna do Paraná/Especial
Gregor Smal, 39 anos, foi preso com vários artigos nazistas
Foto: Marco Charneski / Tribuna do Paraná/Especial
Ele está detido na delegacia da cidade e deve ser encaminhado para uma penitenciária em Curitiba. Em 2009, o casal Bernardo Dayrell e Renata Ferreira foi assassinado após uma festa neonazista em Quatro Barras. O crime teve motivações de disputa entre o grupo neonazista liderado por Dayrell e Ricardo Barollo, apontado pela polícia como o mandante do duplo homicídio.
Além dele, Jairo Maciel Fischer, Rodrigo Motta, Gustavo Wendler, Rosana Almeida e João Guilherme Correa foram acusados de participar no crime. Todos eles aguardam julgamento. No dia do assassinato do casal, vários membros do grupo neonazista foram a uma festa em comemoração ao aniversário de Adolf Hitler em uma chácara de Quatro Barras.
Conforme a lei 7.716, de 1989, "fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo" prevê pena de até três anos de reclusão.