27 de abril de 2013



Polícia detém 4 por desabamento de 



edifício em Bangladesh


Dois são funcionários municipais que disseram que edifício era seguro.
Dois são donos de fábricas; eles forçaram trabalhadores a entrar no prédio.

Quatros pessoas foram detidas neste sábado (27) em Bangladesh por suposto envolvimento com o desabamento de um edifício que abrigava várias fábricas têxteis nos arredores de Daca, na quarta-feira (24), em uma tragédia que até agora causou 328 mortes, informou a polícia local.
Os detidos são dois donos de oficinas têxteis e dois funcionários municipais que asseguraram, um dia antes do acidente, que o imóvel era seguro, informaram fontes policiais ao jornal local "The Daily Star".
A Polícia Industrial acusa os proprietários das fábricas de ignorarem as rachaduras que apareceram no edifício de oito andares na terça-feira (23) e obrigarem os funcionários a seguirem trabalhando normalmente, apesar do risco que corriam.
Equipes tentam resgatar sobrevivente após desabamento de prédio em Bangladesh (Foto: Andrew Biraj/Reuters)Equipes tentam resgatar sobrevivente após desabamento de prédio em Bangladesh. (Foto: Andrew Biraj/Reuters)

O dono do edifício Raza Plaza, Sohel Rana, que pertence à ala jovem da Liga Awami - o partido governante em Bangladesh -, está foragido. Ele é acusado de usar seus contatos na política para obter a permissão para construir em terreno público.
Até sexta (26), 2.044 pessoas foram resgatadas dos restos do edifício, segundo afirmou o porta-voz do Exército, Shahinur Islam, somando-se às 14 pessoas que foram encontradas com vida sob os escombros nas últimas horas, de acordo com o The Daily Star.
O número de mortos e feridos deve continuar aumentado, uma vez que cerca de quatro mil trabalhadores podiam estar no edifício no momento do desabamento, disse à Agência Efe uma fonte da Federação Nacional de Trabalhadores do Setor Têxtil (NGWF, na sigla em inglês).
Segundo uma lista divulgada pela polícia local, que se baseou nas denúncias feitas por familiares de desaparecidos, em torno de 600 pessoas ainda podem estar sob os escombros, informou a agência "BSS".
Prédio de oito andares desabou na localidade de Savar (Foto: Munir uz Zaman/AFP)Prédio de oito andares desabou na localidade de Savar. (Foto: Munir uz Zaman/AFP)
Os trabalhos de resgate continuam, apesar de já terem se passado 72 horas, tempo-limite, segundo os especialistas, para encontrar alguém com vida.
O desastre voltou a evidenciar as más condições trabalhistas e de segurança que sofrem os trabalhadores do setor têxtil no país asiático, os mesmo que abastecem várias multinacionais ocidentais.
Bangladesh é o país com os custos mais baratos de produção na indústria da roupa em todo o mundo, e por isso empresas de todas as partes do globo estão transferindo parte de sua produção para o país.
Segundo dados da NGWF, nos últimos 15 anos, acidentes ocorridos em fábricas têxteis (incêndios ou desabamentos) no país deixaram 600 mortos e três mil feridos.