18 de abril de 2013


PB: polícia espera laudo para saber se criança enterrada por vizinho em quintal sofreu estupro

Fernanda Ellen, de 11 anos, estava desaparecida desde o dia 7 de janeiro deste ano
A Polícia Civil da Paraíba aguarda os laudos sobre a morte de Fernanda Ellen, de 11 anos, para saber se ela foi estuprada antes de ser assassinada. A criança estava desaparecida desde o dia 7 de janeiro deste ano, mas o corpo foi encontrado no quintal da casa de um vizinho no bairro Alto do Mateus, em João Pessoa (PB), no dia 8 de abril. O homem foi preso e confessou o crime.
O corpo da vítima permanece no IML (Instituto Médico Legal) e a polícia espera que a liberação e o resultado dos laudos aconteçam na sexta-feira (19).
O jovem de 25 anos disse que matou a estudante estrangulada porque ela se recusou a dar R$ 20 para ele comprar crack.
Ela sumiu quando voltava da escola vestindo uma bermuda jeans e uma blusa cor de rosa. A garota foi até o local para pegar o boletim escolar referente ao ano de 2012 e teria ficado contente ao saber que passou de ano.
No trajeto de volta, ela cruzou com Jefferson Luís de Oliveira Soares. Ele contou à polícia que como a menina se recusou a dar o dinheiro, ele a matou para ficar com um celular que ela carregava. Ele disse ainda que escondeu o corpo embaixo da cama e no dia seguinte enterrou no quintal. O suspeito negou que tenha cometido estupro, mas a Polícia Civil informou que um exame deverá comprovar se ocorreu ou não o abuso.
O suspeito era vizinho de Fernanda há três anos e é suspeito de ter estuprado uma estudante em 2010. A polícia conseguiu chegar até ele depois de rastrear o celular da vítima. O aparelho era usado por uma garota de programa, que confessou que recebeu o celular de Jefferson em troca de droga. Ela foi levada até a casa dele e o reconheceu. Depois disso, o jovem tentou fugir, mas acabou confessando e indicou onde estava o corpo.
A polícia precisou isolar toda a rua onde o suspeito mora porque cerca de mil pessoas se aglomeraram no entorno do imóvel para tentar linchá-lo.
O suspeito está no Presídio Desembargador Flósculo da Nóbrega. O pai da menina encontrou com ele e disse que jamais imaginava que ele seria o autor do crime. O pai contou que Jefferson ajudou em um mutirão montado pelos vizinhos para tentar encontrar a garota. Ainda não há informação do sepultamento.