8 de abril de 2013

NOTICIA DO BRASIL


Após mais de 20 anos, policiais são julgados por massacre do Carandiru

Mais de 20 anos após o massacre do Carandiru, 26 policiais militares acusados de assassinato começam a ser julgados nesta segunda-feira, no Tribunal do Júri.
O processo demorou tanto para ir a julgamento devido a um conflito de competências - as Justiças Comum e Militar não se entendiam sobre quem deveria julgar os acusados.

O magistrado da Justiça Comum escolhido para atuar no caso, José Augusto Nardy Marzagão, só começou a analisá-lo em julho de 2012.Além disso, advogados de policiais entraram na Justiça com uma série de recursos que atrasaram ainda mais o processo.
Serão julgados a partir de hoje 26 policiais militares de um grupo de 28 (dois acusados já morreram). Eles respondem por 15 assassinatos ocorridos no segundo pavimento do pavilhão nove.
Desse grupo, cerca de um terço permanece trabalhando na polícia. A maioria já está aposentada.
Outros 57 policiais acusados devem ser julgados em outros três blocos ao longo de 2013.
O julgamento foi dividido em quatro com a finalidade de não confundir os jurados, segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo. Além disso, o Código de Processo Penal brasileiro não prevê o julgamento de tantos acusados simultaneamente.
Os grupos de acusados foram divididos de acordo com o número de andares do pavilhão nove.
O massacre do Carandiru ocorreu no dia 2 de outubro, de 1992, quando detentos do pavilhão nove da Casa de Detenção fizeram uma rebelião.
A Tropa de Choque da polícia invadiu o edifício com armas letais. O resultado foram os assassinatos de 111 presos.
Ao todo cinco acusados já morreram, inclusive o comandante da ação, o coronel Ubiratan Guimarães, que já havia sido julgado e inocentado.
Todos os acusados estão respondendo ao processo em liberdade.
O massacre na Casa de Detenção é apontado por analistas como uma dos fatores determinantes para a fundação da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).
O grupo criminoso se organizou inicialmente como o objetivo de lutar pelos direitos dos detentos e contra os abusos dos agentes do Estado.
Contudo, a facção também passou a realizar uma série de operações criminosas, tais como assassinatos, roubos, aluguel de armas e tráfico de drogas.

Argumentos

Segundo membros do Ministério Público e analistas, o resultado do julgamento será também um peso simbólico – na medida em que poderá ser interpretado como um indicador de que tipo de polícia a sociedade paulistana quer ter.
A Promotoria disse ter muitas provas que mostrariam a culpa dos policiais militares. Porém, os promotores se dizem preocupados com a suposta tendência no país de jurados absolverem policiais que matam criminosos - independente das circunstâncias dos homicídios.
"Uma parcela da sociedade ainda entende que bandido bom é bandido morto. Um conjunto probatório vasto e cristalino como a gente tem nada vai adiantar se o jurado julgar com base nessa ideia", afirmou o promotor Márcio Friggi em entrevista á imprensa na última sexta-feira.
Já a advogada de defesa, Ieda Ribeiro de Souza, disse que os integrantes do júri podem ser influenciados pela repercussão negativa que o massacre teve no exterior.
"Não quero dar uma conotação política para esse julgamento. Quero um julgamento jurídico", disse ela.
A advogada afirmou que a principal estratégia de defesa será argumentar que - como não foram feitos exames de balística conclusivos nas armas dos policiais - não seria possível provar quem matou quem.
Sem a individualização das condutas a lei brasileira não permitiria uma espécie de condenação genérica. Para dificultar o debate soma-se o fato de não haver nenhuma testemunha ocular dos crimes.
O Ministério Público, porém, afirma ter provas suficientes para individualizar as condutas.
"Se 286 policiais entraram no Carandiru naquele dia, por que nem todos estão sendo julgados?", disse Souza à BBC Brasil.
Segundo a Promotoria e o Tribunal de Justiça, essa primeira fase de julgamento deve durar aproximadamente 10 dias. Caso condenados, os acusados ainda devem poder apelar em liberdade.

Vazamento de óleo atinge praias de São Paulo



Uma vazamento de óleo de um terminal da Petrobrás atingiu ao menos nove praias do litoral de São Paulo neste fim de semana.
O óleo vazou do píer do Terminal Aquaviário Almirante Barroso na sexta-feira. Foram afetadas regiões do litoral de São Sebastião e Caraguatatuba.
Equipes de emergência já trabalham na contenção do vazamento. A mancha teria três quilômetros de extensão.

Procuradoria quer investigação sobre ligação de Lula com o mensalão

A Procuradoria da República no Distrito Federal solicitou a abertura de um inquérito com o objetivo de apurar as denúncias feitas pelo publicitário Marcos Valério - o operador do mensalão - contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Antonio Palocci.
Em setembro de 2012, Valério disse à Justiça que Lula e Palocci teriam negociado com Miguel Horta, então presidente da Portugual Telecom, uma transferência supostamente irregular de R$ 7 milhões para o PT.
Esse deve ser a primeira investigação formal da eventual participação de Lula no escândalo do mensalão.

Fifa adverte que não aceitará mais atrasos nos estádios da Copa

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, afirmou que mais atrasos na organização da Copa do Mundo "serão impossíveis" a partir de agora.
"A data limite para a entrega dos estádios da Copa do Mundo da Fifa permanece sendo dezembro de 2013. Não haverá concessões", disse Valcke.
A Fifa tornou pública sua preocupação de que alguns estádios estão enfrentando uma corrida contra o tempo em suas reformas – incluindo o Maracanã.
Valcke afirmou no site do órgão que a Copa das Confederações será realizada, porém nem todos os preparativos estarão "100% completos".

Polícia prende foragido suspeito de matar taxistas no RS



Um foragido da Justiça condenado por assaltar táxis foi preso no sábado em Cachoeirinha, na Grande Porto Alegre, uma semana após o assassinato de três taxistas na capital gaúcha, informou a Polícia Civil neste domingo. A corporação investiga se o preso, identificado como Roger de Almeida Waszak, 30 anos, teria relação com os recentes homicídios registrados na cidade e em Santana do Livramento, na fronteira.
Na madrugada do dia 30 de março, três taxistas foram assassinados em Porto Alegre com tiros de calibre 22. Na mesma semana, outros três foram mortos por uma arma do mesmo calibre nas cidades de Santana do Livramento (RS) e Rivera, no Uruguai.
No resumo de um julgamento de um recurso de Waszak, analisado em junho de 2010, o preso alegou que era injustamente acusado de roubo porque tentava se vingar de taxistas que atiraram contra ele. Os motoristas, segundo o relato, tentavam atacar o pai dele por causa de um desentendimento.
O suposto interesse em vingança fez a polícia acreditar que o preso possa ter relação com os crimes. Ele está foragido desde janeiro de um presídio de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. O foragido foi encontrado em uma casa de Cachoeirinha.
Roger Waszak foi condenado por uma série de assaltos na região de Sarandi, bairro da zona norte de Porto Alegre. Ele contratava os serviços dos motoristas e pedia para ser levado para uma localidade conhecida como Asa Branca, onde anunciava o assalto e levava objetos e dinheiro. Segundo relatos das vítimas, ele mostrava uma cicatriz no abdome para os taxistas antes de cometer os crimes. 
Blitze e protestos 
Para evitar a escalada dos crimes, a Polícia Militar do Rio Grande do Sul intensificou as blitze na cidade, abordando taxistas e passageiros. De sexta para sábado, 375 carros foram vistoriados, mas nenhum suspeito foi encontrado. 
As mortes geraram protestos por parte dos taxistas. O sindicato da categoria cobra do governo do Estado o financiamento de cabines e para a instalação de máquinas de cartão de débito e crédito nos carros, na tentativa de evitar que os motoristas andem com quantias elevadas em dinheiro.

Menino de 12 anos é assassinado no lugar do pai

Um menino de 12 anos morreu assassinado durante a esta madrugada (08) no Jardim Guarituba, em Piraquara, região metropolitana de Curitiba. Segundo a Polícia Militar (PM), na mesma situação a madrasta e o pai do garoto foram atingidos pelos disparos e precisaram ser encaminhados ao hospital.
Conforme informações divulgadas pela Rádio Banda B, a polícia informou que o alvo dos assassinos era o pai do menino.
O corpo de Kevin Damasceno foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). O pai dele, Paulo Damasceno, levou um tiro na perna. A madrasta, Roseli Assunção, levou um tiro na mão.

Homem é vítima do mesmo assaltante duas vezes no mesmo 


dia no Rio


Ele teve o carro roubado duas vezes pelo criminoso.
Segundo ele, Polícia Militar não atendeu o chamado.






Um homem foi roubado duas vezes no mesmo dia e pelo mesmo bandido, na Zona Norte do Rio, neste domingo (7). Depois de ser assaltada por volta das 8h da manhã, a vítima encontrou o carro roubado e resolveu acionar a polícia. Só que, para surpresa do homem, quem chegou primeiro foi o criminoso, conforme mostrou o Bom Dia Rio.
"Oito horas da manhã roubaram o carro. Quando deu quatro horas da tarde achei o carro. Vim na polícia, liguei pro 190. Apareceu o ladrão, roubou o carro de novo, botou uma mulher e uma criança dentro do carro e saiu disparado na Av. Brasil.", contou a vítima na 22ªDP (Penha), onde o roubo foi registrado.

Antes de levar o carro pela segunda vez, o assaltante ainda espancou o homem. Como a Polícia Militar não apareceu, ele decidiu ligar novamente para o 190. Pelo telefone, a atendente descobre que o carro foi roubado de novo e, sem receber o socorro que pediu, a vítima ouviu a recomendação: “Ela falou pra fazer um outro boletim de ocorrência do novo roubo.", contou o homem.

Vídeo mostra tentativa de assalto que resultou em um ladrão morto no PR


Uma vítima foi ferida na perna e um ladrão foi morto pela polícia. 
Tentativa de assalto ocorreu na tarde de domingo (7), em Curitiba.

agens de uma câmera de segurança mostram uma tentativa de assalto que resultou em uma vítima ferida e um ladrão morto em Curitiba, no final da tarde de domingo (7). No vídeo é possível perceber que o assaltante espera um motorista estacionar e anuncia o assalto.
Depois, quando a vítima sai do veículo, ele [o ladrão] dispara um tiro, que acertou a perna do rapaz.
Segundo a Polícia Militar (PM), o rapaz estava com outros dois assaltantes e o grupo fugiu a pé. Ele trocou tiros com a polícia e morreu baleado. A vítima ferida na perna foi encaminhada para o Hospital Evangélico e passa bem.

Homem é preso suspeito de abusar sexualmente da própria filha

Homem de 47 anos abusava da filha há, pelo menos, dois anos.

Ele foi preso após a jovem denunciar o caso à polícia.

Após denúncias, um vendedor ambulante, de 47 anos, foi preso na manhã desta segunda-feira (8) no bairro Goiabal, em São Luís, suspeito de abusar sexualmente da própria filha.
Segundo informações do Plantão Central da Beira-Mar, a jovem, agora com 17 anos, sofria a violência desde os 15, e denunciou o pai.  De acordo com a Polícia Civil, o suspeito deve ser ouvido e, caso a violência seja comprovada, ele será encaminhado para uma unidade prisional capital.


Conselho de Justiça e Caixa assinam hoje acordo
para facilitar o saque do FGTS por presidiário


Parentes e advogados poderão retirar o dinheiro do fundo de garantia
O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e a Caixa Econômica Federal firmam, nesta segunda-feira (8), um termo de cooperação técnica permitindo que parentes e advogados possam sacar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de contas em nome de pessoas presas.

Pelas regras atuais, o trabalhador tem que comparecer pessoalmente a uma agência da Caixa para movimentar a conta do fundo, o que dificulta muito para presidiários que têm direito a retirar o dinheiro. 


O deslocamento do presidiário depende de autorização judicial e de mobilização de escolta policial até a agência. A cooperação tem o objetivo de facilitar o saque do FGTS, nas condições estabelecidas pela Caixa, por pessoas que estejam impedidas de comparecer às agências devido à prisão. 

As regras de saque do fundo de garantia continuarão as mesmas. A assinatura do termo de cooperação ocorrerá às 14h na sede da Caixa Econômica Federal.

A cada nove horas, Sedex sofre um roubo na Grande SP


A Grande São Paulo registrou ao menos um roubo de encomendas que seriam entregues pelos carteiros a cada nove horas em 2012, o que obrigou os Correios a colocar escolta em parte das entregas realizadas pelo Sedex. Foram instaurados 911 inquéritos pela Polícia Federal só no ano passado. Segundo os carteiros, a escolta é feita por dois homens em um carro que acompanha a van do Sedex. Porém, só a menor parte das linhas conta com esse tipo de proteção, o que deixa a maioria dos funcionários vulnerável aos assaltos.

O carteiro Celso dos Santos, de 43 anos, há 20 nos Correios conta que já foi assaltado duas vezes este ano. Santos trabalha há dez anos como motorista do Sedex.

— Por isso, acabei afastado das ruas.

Segundo Guilherme de Castro Almeida, titular da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio da PF, responsável por apurar os casos, uma parte dos assaltos é praticada por ladrões que buscam cartões bancários e que já contam com alguém capaz de desbloqueá-los. Ele afirma que as zonas sul e leste da capital são os locais com mais roubos e atribui esse tipo de crime ao crescimento da classe C, que agora tem condição de comprar produtos eletroeletrônicos em site da internet, alvo da cobiça dos bandidos. No ano passado, 71 pessoas foram presas em 

Almeida conta que há uma unidade de repressão a crimes postais em um dos centros de distribuição dos Correios e que, até o metade do ano, haverá um software capaz de cruzar informações para detectar as características dos bandidos em determinada área, auxiliando nas investigações.
Os Correios afirmam que desenvolvem ações em conjunto com órgãos de segurança pública e com o Procarga (Programa de Combate ao Roubo de Carga do Estado de São Paulo). A empresa diz também que investe em rastreamento.

Além de não receberem as encomendas roubadas, clientes que compram pela internet têm encontrado dificuldade para conseguir o reembolso. O administrador de empresas Marcus Vinicius Espudaro, de 35 anos, teve duas minilentes fotográficas para iPhone, que foram compradas de um site chinês, roubadas durante a entrega. Ele acionou os Correios, que o orientaram a procurar o site, dizendo que o objeto pertence ao remetente antes de chegar ao destinatário.
— Eu entendo que a responsabilidade é dos Correios, cujo carteiro foi assaltado.
Os Correios afirmam que a UPU (União Postal Universal) estabelece que qualquer pagamento de indenização só pode ser feito ao remetente da encomenda. Mas o especialista em relações de consumo, o advogado e professor do Mackenzie Bruno Boris diz que o consumidor que não recebeu a encomenda pode, sim, pleitear a indenização à empresa brasileira.