30 de abril de 2013



Justiça manda soltar condenados por 



invasão a Hotel Intercontinental, RJ


TJ concedeu alvará de soltura a nove condenados pelo crime de 2010.
Outro condenado por invasão foi liberado ao chegar a delegacia. 

Uma liminar do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), do dia 19 deste mês, concedeu um alvará de soltura a nove condenados responsáveis por invadir o Hotel Intercontinental, em São Conrado, na Zona Sul do Rio , segundo a assessoria de imprensa. O crime aconteceu em agosto de 2010. Hóspedes e funcionários foram feitos reféns. A decisão foi um recurso da defesa que alegou que os acusados  não puderam aguardar o julgamento em liberdade.
Oito dos nove condenados, que estavam presos preventivamente, foram soltos mediante um habeas corpus concedido em março de 2012. Ítalo de Jesus Campos, sentenciado a 16 anos e 4 meses de prisão, além de um ano e três meses 
de regime semiaberto, foi o único que continuou preso.

Na segunda-feira (29), Vitor Gomes Eloy, de 29 anos, também condenado pela Justiça a 18 anos e três meses de prisão por envolvimento na invasão ao hotel,  foi solto logo após ser preso e conduzido por policiais militares à 15ª Delegacia de Polícia (Gávea), nesta segunda-feira (29). Os policiais chegaram a ele através de uma denúncia. Ao chegar a delegacia, os agentes descobriram que o mandado de prisão contra Vitor havia sido suspenso.

Hotel Intercontinental foi invadido em agosto de 2010 (Foto: Reprodução / TV Globo)Intercontinental foi invadido em agosto de 2010
(Foto: Reprodução / TV Globo)
Condenação
Os envolvidos foram julgados pelos crimes de cárcere privado, sequestro, associação para o tráfico, porte de arma e resistência à prisão.
Alan Francisco da Silva, Vinícius Gomes da Silva, Washington de Jesus Andrade Paz, Rogério Avelino da Silva, Davi Gomes de Oliveira, Jackson Nascimento Gomes da Silva e Técio Martins da Silva foram condenados a 14 anos de reclusão e um ano de detenção.
Entenda o caso
No dia 21 de agosto de 2010, os criminosos fortemente armados invadiram o Hotel Intercontinental, em São Conrado, na Zona Sul, mantendo 35 reféns, entre funcionários e hóspedes, por um período de três horas. Seis pessoas ficaram feridas e outra morreu na ação.
O bando se deslocava entre as favelas do Vidigal e da Rocinha quando se deparou com carros da Polícia Militar, iniciando uma intensa troca de tiros, que causou pânico a quem passava pelo local. Em seguida, para fugir da polícia, os criminosos invadiram o hotel. O grupo era liderado pelo traficante Antônio Bonfim Lopes, o "Nem" da Rocinha, preso em novembro de 2011.