16 de abril de 2013


Jornal: Marin comprou sede da CBF superfaturada em R$ 31 mi no Rio

CBF negou irregularidades na compra de futura sede na Barra Foto: Mauro Pimentel / Terra

Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, assinou a compra por R$ 70 milhões de um prédio de oito salas na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, em negócio que foi superfaturado em R$ 31 milhões. O edifício, que será a próxima sede da confederação, teve cinco de suas oito salas vendidas pela empreiteira BT Empreendimentos a empresas intermediárias, no intervalo entre o anúncio da compra por Marin (27 de junho de 2012) e a assinatura dos documentos de aquisição (31 de agosto de 2012). Os intermediários compraram as cinco salas por um valor total de R$ 12 milhões, e logo depois as venderam para a CBF por R$ 43 milhões.
Já as outras três salas do edifício foram vendidas diretamente pela BT à CBF por R$ 27 milhões, totalizando o valor de R$ 70 milhões. A confederação negou irregularidades e disse que as negociações seguiram "estritamente as normas e legislações vigentes", mas não explicou o motivo da diferença de R$ 31 milhões entre o valor pago pelas empresas intermediárias e o valor desembolsado pela CBF pelas mesmas salas. Já a BT Empreendimentos declarou que fez "um bom negócio" e que a diferença nos valores "é um problema interno das empresas". O prédio ainda passa por reformas, e por enquanto a CBF segue pagando R$ 130 mil mensais de aluguel para ocupar um andar de um condomínio na Barra, sua sede desde 2002.