25 de abril de 2013



Bailarina que perdeu pé no ataque de 



Boston se recupera em hospital


Adrianne Haslet, de 32 anos, diz que quer voltar a dançar.
Explosões na maratona mataram 3 pessoas e deixaram quase 300 feridas.


A bailarina profissional Adrianne Haslet, de 32 anos, sofreu uma perda que poderia acabar com sua carreira: nas explosões na Maratona de Boston, ela perdeu um dos pés, essenciais para a dança. Entretanto, a mulher, que se recupera em um hospital de reabilitação, diz que quer voltar a dançar, e planeja correr a maratona no próximo ano.

A bailarina Adrianne Haslet perdeu o pé nas explosões durante a maratona de Boston e se recupera em hospital da região (Foto: AP)A bailarina Adrianne Haslet perdeu o pé nas explosões durante a maratona de Boston e se recupera em hospital da região (Foto: AP)
“Eu absolutamente quero dançar de novo e também quero correr a maratona no próximo ano”, afirmou. “Eu vou me arrastar até a linha de chegada, literalmente me arrastar, se isso significar terminar a corrida.”
Adrianne Haslet utiliza andador para voltar para a cama em hospital em Boston (Foto: AP Photo/Bizuayehu Tesfaye)Adrianne Haslet utiliza andador para voltar
para a cama em hospital em Boston (Foto:
AP Photo/Bizuayehu Tesfaye)
As manhãs são a pior parte do dia para Adrianne – às vezes ela se esquece que perdeu o pé. Ela foi atingida pela segunda explosão, enquanto andava com o marido – capitão da Força Área que havia voltado do Afeganistão duas semanas antes – próximo da linha de chegada.
Após a explosão, ela se arrastou até a porta de um restaurante, onde foi arrastada por alguém até uma escada. Seu marido, também ferido, tirou seu cinto para fazer um torniquete na perna dela. Outras pessoas chegaram para ajudar e logo ela foi levada para a área de triagem.
“Eu só gritava – sou uma bailarina, sou uma bailarina, salvem meu pé”, contou.
No dia seguinte ela acordou no hospital e viu sua mãe. “Eu disse: ‘Meu pé parece estar dormente’. E ela respondeu ‘Adrianne, você não tem mais um dos pés’.”
A bailarina espera conseguir começar a usar uma prótese nos próximos dois meses
.