16 de março de 2013


Vídeo mostra servidores de SP recebendo sacola com dinheiro


Casal que atuava na Subprefeitura de Santo Amaro foi preso nesta sexta.
Empresário denunciou para a Prefeitura suposto pedido de propina.


                      

Um vídeo gravado pela Polícia Civil com uma câmera escondida mostra o momento em que dois servidores públicos da Prefeitura de Sao paulo receberam R$ 40 mil de propina de um empresário nesta sexta-feira (15). Os servidores, que são casados, trabalham na Subprefeitura de Santo Amaro e foram presos em flagrante.
Nicola Caramico, de 69 anos, e Sheila Maria Caramico, de 62 anos, eram investigados desde o dia 25 de fevereiro, quando um empresário denunciou o caso. Um representante da Unimed Paulistana procurou a Prefeitura de São Paulo após receber a visita dos fiscais numa obra de um pronto atendimento no bairro de Santo Amaro, na Zona Sul.
Segundo a denúncia, os funcionários da prefeitura disseram que aplicariam uma multa de R$ 194 mil por falta de Habite-se. Eles só não a multariam, caso a cooperativa pagasse a metade do valor para eles. Depois de muita negociação, chegou-se ao montante de R$ 80 mil divididos em duas parcelas.
O advogado do casal, Marcelo José de Assis Fernandes, afirmou que tudo foi um "equívoco". A Sheila foi se encontrar para pegar documentação referente a obra e não sabia que tinha dinheiro. O dinheiro foi uma surpresa”, disse o defensor. Já o casal disse que pegou o dinheiro para repassar a um arquiteto que iria auxiliar a empresa, segundo a polícia.
De acordo com a administração municipal, eles foram detidos em uma operação conjunta da Controladoria Geral do Município (CGM) e da Delegacia de Crimes Contra a Administração Pública, do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC). Os dois foram presos em um shopping na Zona Sul da capital.
A Prefeitura vai abrir um processo administrativo disciplinar para apurar responsabilidades. Os suspeitos podem responder pelos crimes de concussão ou corrupção passiva e lavagem  de dinheiro.O controlador-geral do município, Mário Spinelli, afirmou que os dois ganham cerca de R$ 5 mil por mês cada. Ele não quis dar detalhes sobre o patrimônio dos suspeitos. Ele disse que a prefeitura estuda um sistema de monitoramento do patrimônio de todos os servidores públicos.
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que essa foi a primeira denúncia recebida pela CGM. Na avaliação do prefeito, o trabalho foi bem conduzido. "A CGM tem carta branca para atuar sem pedir licença", afirmou Haddad.
Notas
A Polícia Civil marcou algumas das notas utilizadas pelo empresário no pagamento dos suspeitos, para provar que o dinheiro foi utilizado na transação. "Marcamos as notas, ou seja, xerocopiamos algumas delas", disse o delegado Sérgio Norcia, titular da 1ª Delegacia de Crimes Contra a Administração Pública, do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC). "Mobilizamos as equipes e aguardamos o encontro entre a vítima e os indiciados. Quando a mulher pegou o dinheiro e correu para o carro, foi presa em flagrante."