28 de março de 2013


Unilever vai reforçar treinamento em fábrica após contaminação em sucos Ades

O vice-presidente da Unilever Brasil, Newman Debs, disse nesta quarta-feira (27) que a empresa vai intensificar a fiscalização e reforçar o treinamento das equipes nas fábricas depois do problema com a contaminação em sucos de soja da marca Ades.
Debs está na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados para uma audiência pública sobre as denúncias da presença de substâncias tóxicas em embalagens.

— Vamos reiterar, intensificar e treinar todos de novo para que não tenham dúvidas. Será feita uma revisão da máquina e do software da máquina e aumento do plano amostral — quantidade que é retirada da linha a cada fabricação e pode ser liberada para consumo.

Debs informou que a primeira preocupação ao saber do problema foi informar os consumidores através de comunicados na TV, em jornais e rádios, e reforçou que este foi "um problema pontual" em 83 anos de Unilever Brasil e 15 anos de produção dos sucos Ades.

Segundo ele, as pessoas que consumiram o suco de maçã com soda caustica e procuraram a Unilever tiveram assistência e acompanhamento médico.

Os consumidores que nos procuraram tendo consumido o produto oferecemos todo o apoio médico, acompanhamos a evolução dos quadros dessas pessoas. A sensação de ingerir é como uma afta forte, ardência e a boca se auto cura. Em nenhum caso houve internação e as pessoas estão bem.

Até agora, 46 das 96 unidades que foram contaminadas foram recolhidas pela campanha de recall da Unilever Brasil.

Soda caustica


A Unilever Brasil anunciou um recall dos sucos de maçã AdeS fabricados em 25 de fevereiro deste ano. Os produtos tiveram uma falha no processo de higienização e foram contaminados com soda caustica durante o envaze das embalagens.

Um total de 96 unidades do suco de 1,5 litro (lote com iniciais AGB 25) de maçã, distribuídas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, foram identificados com a contaminação, que pode causar queimaduras no consumidor.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a suspensão da fabricação, distribuição, comercialização e consumo, em todo o território nacional, de todos os lotes dos produtos "alimento com soja" da marca Ades, fabricados pela linha de produção TBA3G da empresa Unilever Brasil, localizada em Pouso Alegre, Minas Gerais.