30 de março de 2013


Ruas da Saara, no Rio, estão fechadas para rescaldo de incêndio

Fogo atingiu sete casarões na madrugada deste sábado.
Incêndio foi controlado por volta das 2h e não há notícias de feridos.

Máquinas derrubam paredes do prédio da Papelaria Caçula, atingida pelo fogo na Saara (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

A Rua Buenos Aires, no Centro do Rio, permanece interditada na manhã deste sábado (30), entre a Avenida Passos e a Rua Regente Feijó, para o trabalho de rescaldo do incêndio que atingiu de madrugada sete imóveis entre os números 245 e 271. A informação é do Centro de Operações da Prefeitura.
As ruas Regente Feijó, entre a Rua Senhor dos Passos e a Rua Buenos Aires, e a Rua Gonçalves Ledo, entre a Rua Senhor dos Passos e o Beco do Tesouro, também estão interditadas. Agentes da CET-Rio e da Guarda Municipal orientam os motoristas nas vias e, segundo o Centro de Operações, não há retenção. A Avenida Passos está totalmente liberada, com interdição apenas do acesso para a Rua Buenos Aires.
Por volta das 2h destre sábado,  o incêndio que atingiu pelo menos sete casarões na Saara, centro comercial popular do Rio de Janeiro, que abriga cerca de 1.200 lojas.
O incêndio teria começado por volta das 23h de sexta-feira (29) na Papelaria Caçula da Rua Buenos Aires, que teve a fachada destruída pelo fogo. Na manhã deste sábado, paredes da loja destruída estavam sendo derrubadas.
Representantes da empresa que estiveram no local acreditam que houve perda total do material, que estava em setes prédios. Como era feriado, não havia expediente na loja e nenhum funcionário estava no local quando o fogo começou.
Equipes de quatro quartéis do Corpo de Bombeiros trabalharam no combate às chamas. O incêndio foi considerado de grandes proporções e levou cerca de três horas para ser controlado.
Lojas populares
A Saara é a região que engloba as ruas dos Andradas, Buenos Aires, Alfândega e a Praça da República, no Centro, um polo de lojas de roupas, brinquedos, acessórios para carnaval e artigos de festas a preços acessíveis. A região também abriga tradicionais restaurantes árabes. Saara significa Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega, uma associação formada em 1962 pelos comerciantes da área. São 1.200 lojas em 11 ruas que têm no Natal seu período de maior circulação de consumidores, chegando a um milhão de pessoas por dia. Em dezembro de 2012,por um incêndio.