31 de março de 2013

RIO DE JANEIRO


Oito anos depois, passeata lembra 29 mortes na Chacina da Baixada (RJ)

Entidades de direitos humanos, familiares e amigos dos 29 mortos na Chacina da Baixada relembram neste domingo (31) os oito anos da série de assassinatos que começou em Nova Iguaçu e terminou em Queimados, na Baixada Fluminense. Em uma caminhada, os participantes vão refazer o trajeto que os assassinos fizeram pelas ruas dos dois municípios na noite de 31 de março de março de 2005. Os acusados pelos crimes são 11 policiais militares.
Na noite do dia 31 de março de 2005, quando se completavam 41 anos do golpe militar de 1964, policiais militares atiraram contra 30 pessoas - somente uma conseguiu sobreviver. Entre os mortos, havia crianças, estudantes, comerciantes, desempregados e funcionários públicos.
A partir da mobilização da sociedade civil, especialmente dos familiares das vítimas e de organizações defensoras dos direitos humanos, foi realizada uma investigação e alguns culpados foram identificados. Dos 11 policiais diretamente envolvidos, cinco foram julgados e, até este ano, quatro foram condenados. Em dezembro de 2006, eles foram expulsos da PM.
Os familiares das vítimas fazem a manifestação também para cobrar providências contra o aumento da violência na região, principalmente contra os jovens - em setembro do ano passado, seis adolescentes da favela da Chatuba, em Mesquita, foram por traficantes que atuam na área.
A concentração do ato será no número 15.380 da via Dutra, em Nova Iguaçu, às 15h. Em seguida, haverá uma missa em lembrança das vítimas, na Igreja Sagrada Família, também em Nova Iguaçu.