30 de março de 2013

manter o ambiente limpo


Manter o ambiente limpo é ideal para evitar doenças respiratórias


Pesquisa aponta que no outono e inverno essas doenças crescem 40%.
Especialista ensina a melhor forma de limpar a casa.

                          

O outono chegou e com ele a mudança de clima também. Apesar de não ser tão acentuada no nosso estado, a estação traz índices de baixa umidade do ar, contribuindo para as infecções. A estudante Bruna Maia conhece bem essa estação. Para ela, que que sofre com inflamações no sistema respiratório, como rinite e sinusite, os remédios são um alívio.

“Nessa época piora muito porque o clima oscila o tempo todo. Quando estou com crises alérgicas fico muito estressada porque espirro sem parar, isso sem falar na conceira no rosto”, diz a estudante.
Segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, no outono e no inverno, o índice de doenças respiratórias aumenta em 40% no país, por isso, é preciso aumentar os cuidados. O principal deles é a limpeza em casa.
De acordo com a pneumologista, Celi Almeida, os ácaros, seres microscópicos que causam alergias e inflamações adoram a poeira, portanto, o primeiro passo é evitar o ambiente favorável ao desenvolvimento deles. “O ideal é lavar as cortinas toda a semana. Quem tiver um vaporizador, pode usar porque ele mata os ácaros”, afirma.
Outro lugar onde há muito desses seres é no quarto. “Como passamos cerca de oito horas dormindo, acontece a descamação natural da pele. Isso serve de alimento para o ácaro. O ideal é utilizar capas impermeáveis nos colchões e travesseiros, isso evita a proliferação esses organismos”, diz.

Para quem tem alergia, uma dica importante: nada de vassoura ou espanador. “O ideal é limpar o chão e os móveis com um pano úmido”, afirma a pneumologista Celi Almeida.
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que uma em cada sete pessoas sofre com algum tipo de alergia respiratória. Muitas vezes, as alergias não são diagnosticadas e os sintomas se prolongam, complicando o processo. Em alguns casos, o agravamento do quadro provoca o aparecimento de outras doenças respiratórias.