27 de março de 2013


GM confirma 598 demissões na fábrica de São José dos Campos

Comunicado foi emitido pela montadora na tarde desta terça-feira (26).
Trabalhadores estavam com contratos suspensos desde agosto de 2012

Prefeito Carlinhos Almeida diz que vai ajudar contra demissões na GM (Foto: Carlos Santos/G1)

 A General Motors demitiu na tarde desta terça-feira (26) 598 trabalhadores da fábrica de SAO JOSE DOS CAMPOS, no interior de São Paulo (veja o comunicado abaixo). De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, os funcionários que estavam em layoff (suspensão temporária dos contratos de trabalho) começaram a receber as cartas comunicando o desligamento por volta das 14h. Os 150 metalúrgicos que têm estabilidade devem retornar ao trabalho na próxima segunda-feira (1º)l.
O Sindicato dos Metalúrgicos, representante dos trabalhadores, Contesta o numeros de demssoes e considera que pelo menos 300 funcionários têm estabilidade e deveriam retornar. O Ministério Público será acionado para intervir, se necessário.
O impasse que culminou nas demissões desta terça começou em julho do ano passado. Na ocasião, a montadora anunciou a intenção de fechar o setor de Montagem de Veículos Automotores (MVA), dois anos depois de não chegar a um acordo com o sindicato para a atração de novos investimentos para a unidade de São José dos Campos.
Por conta da falta de acordo, no ano passado deixaram de ser produzidos na planta três dos quatro modelos da linha MVA: meriva zafirae Corsa hatch. Apenas o Classic continuou sendo fabricado.

Com a redução na produção, a montadora avaliou que a mão de obra do setor, que empregava em agosto do ano passado 1.840 funcionários, era excedente. Além disso, a direção considerava a planta de São José pouco competitiva por conta do elevado custo da mão de obra em comparação com a concorrência.
Após os acordos firmados entre a montadora e o sindicato em janeiro, o setor MVA continua funcionando com metade da produção e deve ser desativado no próximo mês dezembro. Há risco de que com o encerramento das atividades no setor, mais trabalhadores sejam demitidos.